PROCLAMANDO A VOLTA DO SENHOR JESUS!




"E o Espírito e a esposa dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede, venha; e quem quiser, tome de graça da água da vida” -Apocalipse 22:17



terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Eliseu salva três reis


II Reis 3: 5-10

INTRODUÇÃO 

O rei Jorão, filho de Acabe, convida Josafá, rei de Judá, e o rei de Edom, para pelejarem contra Mesa, rei dos moabitas, que havia se rebelado. 

Os três reis partem numa marcha de sete dias e não tomam providências no sentido de levar água para o exército e para o gado (que serviria de alimento) que os acompanhavam. 

Logo percebem a dificuldade em que se encontram e buscam o socorro do Senhor, através do profeta Eliseu.

DESENVOLVIMENTO

Quando foi convidado por Jorão para aquela empreitada, o rei Josafá não consultou o Senhor, antes de aceitar o convite, e só quando percebeu a situação difícil em que se meteu foi que lembrou de buscar ao Senhor.

Eliseu repreende a Jorão, e em consideração ao rei Josafá, pediu um tangedor e começou a louvar, buscando uma orientação do Senhor para aquela necessidade. O Senhor então mandou que todos cavassem várias covas no vale onde estavam e esperassem. Na ocasião não havia vento nem chuva, mas o Senhor disse que todas as covas se encheriam de água, para que eles não morressem de sede. O senhor também prometeu vitória sobre os moabitas.

Na manhã seguinte, oferecendo-se a oferta de manjares, as águas vieram e encheram as covas. Quando o sol nascente refletiu na superfície das águas, os moabitas pensaram que era o sangue dos três exércitos que haviam lutado entre si e se matado, e avançaram para recolher os despojos. Então os israelitas os atacaram e os destruíram totalmente, conforme prometera o Senhor.

CONCLUSÃO

Josafá é tipo do servo do Senhor. Jorão é tipo do falso servo e o rei de Edom tipifica o homem do mundo. Devemos ter muito cuidado ao tentar fazer aliança com estes tipos de pessoas. Precisamos consultar ao Senhor antes de qualquer decisão, pois os prejuízos e as dificuldades poderão ser grandes.

A falta da água – bênção do Senhor, Palavra revelada – que serve de sustento, é um perigo e um laço muito grande. Este tipo de união com os que não têm uma experiência com o Senhor, pode nos colocar em situações complicadas, além de nos expor ao inimigo.

Quando a dificuldade surge por causa do desacerto, faltam o vento, que é a orientação do Espírito Santo, e a chuva que fala da bênção do Senhor, e a única alternativa é cavar covas, isto é, buscar a presença do Senhor com jejuns, súplicas, orações, lágrimas e madrugadas. Tudo isso poderia ter sido evitado se o Senhor tivesse sido consultado.

Mas o Senhor é misericordioso, e sempre envia o socorro através da revelação do Senhor Jesus – o Sol da Justiça – que reflete a sua luz revelando o poder do seu Sangue, que para o inimigo significa morte, mas para nós vida eterna. É justamente através da revelação do poder do Sangue de Jesus que nós alcançamos o perdão e a vitória sobre o inimigo.

Leia Mais ››

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Eliseu multiplica o azeite da viúva


II Reis 4: 1-7


            INTRODUÇÃO
           
Mulher viúva - Tipo da igreja necessitada e dependente do Senhor;

Os filhos - São aqueles que foram gerados pela igreja, e que são ameaçados de escravidão pelo credor (adversário);

A dívida - o salário do pecado, a morte - Rom 6: 23;

A botija de azeite - Bênção do Espírito na vida da igreja, a Obra profética e os dons no corpo.

            DESENVOLVIMENTO

            A igreja vive nesta hora um momento que requer muito cuidado e vigilância. O mundo sofre uma época de escassez espiritual, e nesta hora o inimigo se levanta, qual credor sem misericórdia, buscando escravizar a muitos.

            Aquilo que vai manter os filhos seguros na presença do Senhor, é a abundância da sua bênção - o azeite - na vida da igreja, e ela não pode permitir que seus filhos sejam novamente escravizados. A igreja deve clamar ao Senhor, para que a bênção não falte na sua vida.

            Às vezes a igreja se vê ameaçada por causa da falta de azeite, isto é, a bênção parece que está acabando, os dons não fluem mais e o Senhor parece que se esqueceu da igreja. Quando isso acontece, os filhos são ameaçados e alguns podem ser levados para o cativeiro, pois o credor, que é o inimigo, se apresenta para reclamar seus “direitos”.

            O que se deve fazer quando a igreja passa por esta fase?

A primeira coisa a fazer é clamar ao Senhor e colocar a situação diante da sua face;

Depois devemos reconhecer e confessar a falha de termos deixado o azeite acabar;

Em seguida devemos colocar diante do Senhor o pouco que temos e crer que Ele pode voltar a derramar sua bênção sobre nós novamente;

Por fim, a igreja deve se entregar ao trabalho de juntar vasos, isto é, convidar pessoas e evangelizar para que a bênção seja multiplicada e traga crescimento. Isso deve ser feito acompanhado com orações, intercessões, vigílias e madrugadas, para que os vasos se encham de azeite. A maior bênção na vida da igreja acontece quando ela vê novas vidas sendo alcançadas e sendo cheias do Espírito Santo.

            CONCLUSÃO

            A igreja só será vitoriosa juntamente com seus filhos, quando ela entende que não pode deixar faltar azeite na sua botija - a bênção do Espírito no seu coração. A orientação do Senhor  para que o azeite seja mantido, é que ela não cesse de trazer vasos - vidas novas - para sua casa. A igreja não pode parar de trabalhar, caso contrário seus filhos serão escravizados pelo adversário. Através da realização da Obra, a igreja se livra da dívida - morte -  e seus filhos recebem o escape.
Leia Mais ››

domingo, 15 de janeiro de 2017

Eliseu faz flutuar o machado


II Reis 6: 1 - 7


            INTRODUÇÃO

            Os filhos dos profetas moravam num lugar estreito e necessitavam de um lugar mais amplo e confortável. Quando o profeta Eliseu os visitou, eles sugeriram irem ao Jordão para dali cortarem madeira para a construção de uma habitação maior. Eliseu os autorizou a isso e, ao ser solicitado, se dispôs a ir com eles para supervisionar todo o trabalho.
            Eliseu tipifica o Senhor Jesus, e Ele também deseja ver a igreja crescendo com a salvação de novas pessoas e o aperfeiçoamento dos seus servos.

            DESENVOLVIMENTO
           
            Os filhos dos profetas representam os obreiros; aqueles que foram gerados pela Palavra Profética, os quais precisam ter uma visão de crescimento e desenvolvimento de sua habitação. Esta habitação refere-se à igreja onde estão servindo ao Senhor, ao seu Grupo de Assistência e à Obra na sua área de uma forma geral. O obreiro fiel é aquele que sempre está preocupado e trabalhando pela “ampliação” de sua igreja através do crescimento do seu Grupo, e não se acomodando com a situação de esterilidade em que se encontra. Ele deve ter a iniciativa de buscar resultados positivos no seu trabalho dentro do Projeto do Senhor, pois é isso que o Senhor espera dele. O obreiro acomodado acha normal a falta de crescimento do seu grupo e de sua igreja, ele mesmo apresenta desculpas para isso: O povo do bairro é difícil, os irmãos não têm dinheiro para irem à igreja, etc. Às vezes ele mora em um bairro onde não existe igreja da Obra e ele nem se dispõe a buscar o Senhor para que inicie uma igreja onde reside. Mas quando o obreiro se preocupa com o “lugar estreito” em que está habitando e começa a se movimentar para mudar sua realidade, ele vai perceber que sua iniciativa tem a aprovação imediata do Senhor. Foi isso que aconteceu com os filhos dos profetas.

Depois eles convidaram Eliseu para os acompanhar até o Rio Jordão para dali apanhar madeira para a construção. O obreiro precisa entender também que não pode realizar a Obra sozinho. Ele precisa da direção e da presença do Senhor para orienta-lo naquilo que vai fazer.

            Todos vão ao Jordão e começam a cortar árvores - a obra só cresce com a salvação de vidas – o corte da madeira, a evangelização, o testemunho, o convite, a assistência, tudo isso faz parte do processo de “cortar a madeira". O trabalho de evangelização é feito lançando-se o homem por terra e trazendo-o para a igreja. As pessoas resistem ao convite - a árvore não cai sozinha - elas precisam ser convencidas pelo Espírito Santo, que está conosco, e levadas à igreja para que se convertam.

            Para realizar aquele trabalho, os filhos dos profetas usavam o machado. Ele precisava estar bem amolado e bem ajustado ao cabo de madeira, e o trabalhador precisava ter habilidade no seu uso para não machucar ninguém que estivesse por perto.

            O ferro do machado tipifica a Revelação, aquilo que é do Senhor e do seu Espírito na vida do servo, pois é a parte de ferro quem vai realmente realizar a Obra de abate das árvores. O ferro é durável e resistente, precisa estar bem afiado, ser usado com dinamismo e com cuidado, pois é emprestado.

            O cabo de madeira representa o homem que Deus usa na Obra. A madeira não é tão durável quanto o ferro, mas precisa ser resistente para suportar o esforço do trabalho - experiência e maturidade do servo. Precisa também estar bem ajustada ao ferro e ter um comprimento compatível - equilíbrio - para que o ferro não se solte e cause algum acidente.

            Se o servo não estiver bem ajustado àquilo que é do Senhor ou usar de forma errada aquilo que recebeu, ele pode causar prejuízos para as pessoas ao seu redor ou para a própria Obra, nesse caso o servo perde a bênção e a instrumentalidade, pois o Senhor atua para preservar aquilo que lhe pertence - a queda do ferro na água.

            CONCLUSÃO

            Quando isso acontece, não adianta ficar lamentando o erro simplesmente, ou colocando a culpa nos outros. É preciso que haja o reconhecimento da própria falha - mostrar onde o ferro caiu - para se recuperar a comunhão e a bênção do Senhor.

            Eliseu providenciou um novo cabo e fez o machado flutuar, e em seguida ordenou que o levantasse novamente e o tomasse na mão. O servo precisa aprender com os próprios erros, para que não venha a repeti-los novamente, ele precisa ser um novo homem, mais zeloso, mais prudente, mais sábio, com uma outra mentalidade, para que possa ser levantado e usado novamente na realização da Obra do Espírito.
Leia Mais ››

sábado, 14 de janeiro de 2017

Testemunho do Evangelista Reginaldo Fernando



TESTEMUNHO !!! EVANGELISTA REGINALDO FERNANDO

Em 2010 o amor e a graça de Deus, me alcançou! Vivia uma vida totalmente fora da vontade de Deus, destruindo meu corpo com bebidas, drogas e prostituição. Por fim cheguei ao fundo do abismo, e passei pelo vale da sombra da morte, quando sofri uma overdose e o medo de morrer, me fez clamar por um Deus que não conhecia. Ele inclinou seus ouvidos ao meu clamor e me resgatou do império das trevas para o reino do seu filho amado. Hoje vivo uma nova história e...scrita pelo dedo de Deus. Jesus me libertou do vício das drogas, cigarro, bebidas da prostituição e do homossexualismo . Vivi 12 anos no homossexualismo sendo 8 deles me travestindo e me prostituindo! Hoje vivo os sonhos de Deus para minha vida, tive minha identidade de homem e de filho de Deus restaurada por minha fé em Cristo Jesus. Hoje vivo para glória Daquele que me criou e me amou te tal maneira que deu seu único filho para morrer em nosso lugar, para que todo aquele que Nele crê não pereça mas tenha vida eterna, aleluia!


Jesus liberta, cura, restaura e principalmente salva, creia e viverás o milagre de Deus em sua vida!




Leia Mais ››

Eliseu e Jeoás


II Reis 13: 14-19 

INTRODUÇÃO 


            Sempre que o Senhor nos ensina alguma coisa relacionada com a sua Obra ou o seu Reino, em seguida, Ele permite que sejamos provados, para ver se aprendemos as lições que nos ensinou. O Senhor nos envolve em circunstâncias muitas vezes desconfortáveis, para avaliar nossa atitude diante delas. Ele não se preocupa se estamos sofrendo, ou com quem nos causa o sofrimento, mas com a nossa atitude. Quando nos comportamos de acordo com as lições ensinadas, permanecemos de pé e somos edificados. Mas quando reagimos conforme nossa razão, e não perseveramos em seguir a revelação do Senhor, somos derrotados e não atingimos o propósito do Senhor.
            Deus sempre age assim com seu povo, de modo que, logo depois de uma grande bênção, vem sempre o momento da provação, para que seus servos aprendam a viver pela fé e também a perseverar quando estiverem cruzando o deserto da vida. 

DESENVOLVIMENTO 


            Quando o profeta Eliseu estava à morte, o rei Jeoás foi visitá-lo e chorou muito ao ver a sua situação e a perda iminente do servo, que era o porta-voz do Senhor naqueles dias.

·       E Eliseu lhe disse: Toma um arco e flechas. E tomou um arco e flechas. Então, disse ao rei de Israel: Põe a tua mão sobre o arco. E pôs sobre ele a sua mão; e Eliseu pôs as suas mãos sobre as mãos do rei. E disse: Abre a janela para o oriente. E abriu-a. Então, disse Eliseu: Atira. E atirou; e disse: A flecha do livramento do Senhor é a flecha do livramento contra os siros; porque ferirás os siros em Afeca, até os consumir.

            O Senhor nunca nos manda fazer nada sem antes nos ensinar como fazer. Ele sempre nos ensina a lidar e conhecer bem a revelação, para em seguida fazer-nos usá-la. Deus usa a sua mão (os ministérios) para nos adestrar, e a direção do objetivo do Senhor é sempre o oriente - a direção do sol nascente – pois ele aponta a luz e para a Revelação do Senhor Jesus. Todo o propósito do Senhor  é sempre nos levar para a eternidade.

·       Disse ainda: Toma as flechas. Ele as tomou. Então, disse ao rei de Israel: Atira contra a terra; ele a feriu três vezes e cessou. Então, o homem de Deus se indignou muito contra ele e disse: Cinco ou seis vezes a deverias ter ferido; então, feririas os siros até os consumir; porém, agora, só três vezes ferirás os siros.                   

            Deus tem feito promessas de vitórias ao seu povo, mas para alcançá-las precisamos perseverar em confiar no Senhor, colocando em prática aquilo que aprendemos com Ele. Nada pode ser alcançado através do comodismo e da passividade. Há inimigos vindo na direção oposta, e eles só serão derrotados se perseverarmos na batalha, até serem destruídos. A promessa do Senhor é real, mas a vitória só se concretiza mediante a perseverança e a fé.           

CONCLUSÃO 


            A igreja tem sido abençoada, mas as provas estão sempre diante dela. Se ela começar a olhar somente para as dificuldades, será derrotada, mas se confiar no Senhor e se apegar às revelações, perseverando nisso cada dia, o inimigo (dificuldades) será totalmente destruído.
             “O justo viverá pela fé, e se ele recuar, a minha alma não terá prazer nele” – Heb 10: 38.
Leia Mais ››

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Confira na íntegra o vídeo completo da idolatria do Valdemiro Santiago


Confira na íntegra o vídeo completo da total idolatria dos evangélicos modernos, o cara passando a camisa ensanguentada do Valdomiro no pano com digitais, e dizendo que as pessoas vão ser abençoadas. 

video




Leia Mais ››

Eliseu e a Sunamita


II Reis 4: 8-11

INTRODUÇÃO

            Esta mensagem pode ser transmitida com caráter de evangelização, e nela podemos observar o seguinte:

·       A Sunamita (mulher rica) – Tipifica uma igreja rica, porque tem os dons espirituais, a revelação e a bênção do Espírito.
·       Eliseu – O homem que peregrina, que passa sem provar o pão, porque não tem quem o constranja (convide) a isso.
·       O marido – Tipo do Espírito Santo, a quem a igreja (mulher rica) intercede pela vida do peregrino.                          

DESENVOLVIMENTO

Verso 8 - Eliseu desce a Suném e é constrangido a comer pão na casa da mulher rica.

            Muitas pessoas passam por essa vida sem provar sequer um pouco do “pão”, que é o Senhor Jesus e a sua Palavra. Isso ocorre porque não há quem os constranja, quem os convide. Mas a igreja que tem a bênção do Senhor, e que é rica por isso, deve se esforçar por deter os que a visitam, a fim de que se alimentem do “Pão Vivo” que desceu do céu e tenham vida eterna. A igreja nesta hora deve dar uma assistência tal, que o visitante sinta o desejo de voltar e se alimentar mais do Senhor Jesus.

Verso 9 – A sunamita fala ao seu marido sobre o santo homem de Deus.

            É um dever da igreja interceder pela vida do visitante, pois ele é um escolhido (separado), e vocacionado para a salvação em Jesus. A Palavra diz que a vontade de Deus é todos sejam salvos pelo arrependimento dos seus pecados. A igreja deve entender isso, e tomar providências para que o desejo do Senhor se cumpra na vida do visitante.

Verso 10 – A sunamita diz a seu marido: façamos um pequeno quarto em cima, obra de pedreiro.

            O visitante deve ser acolhido pela igreja com toda a atenção, mas esta atenção deve ser equilibrada e com simplicidade (sem dar muito espaço). Os servos devem ter sabedoria na assistência, sem exagerar nos cumprimentos mas agindo com naturalidade, mantendo o tratamento que será dado todas as vezes que o visitante chegar na igreja.
            A obra de pedreiro é o tipo de trabalho que começa pela base, pela fundação. Isso fala da Obra de edificação realizada na vida da pessoa, a partir do momento em que ela entra na igreja pela primeira vez.
            O quarto a ser edificado ficava num lugar elevado, mostrando que a Obra é espiritual e tem como objetivo aproximar a pessoa do Senhor, através da santificação de sua vida. O trabalho começa com a colocação do fundamento, que é o entendimento de corpo, clamor pelo sangue de Jesus, consulta à Palavra e outras doutrinas básicas da Obra do Senhor. Depois vem o levantamento das paredes, da estrutura do edifício, que representa o amadurecimento, o conhecimento da Palavra, as primeiras experiências com o Senhor etc. Por fim vem a colocação do telhado, que é a consolidação da Obra, o momento em ela pode ser usada para o fim a que se destina. Esta é a fase da instrumentalidade e do serviço ao Senhor.
            Depois que o quarto estava pronto, algumas coisas necessárias foram colocadas no seu interior. Estas coisas falam daquilo que deve ser colocado no coração daqueles que se achegam à igreja para se alimentar. São elas: uma cama, uma mesa, cadeiras e um candeeiro.
            Também é função da igreja ajudar para que estas coisas estejam sendo criadas na vida do novo convertido, para que o seu crescimento seja normal:
           
·       A cama – fala do descanso, da confiança no Senhor;
·       A mesa – fala da comunhão com o Senhor Jesus;
·       As cadeiras – falam daquilo que conduz à comunhão, como a oração, o jejum, as madrugadas);
·       O candeeiro – aquilo que fornece luz, a revelação, a presença do Espírito, o batismo com o Espírito Santo, os dons espirituais.

            A obra do pedreiro é uma obra simples, realizada por um homem simples que trabalha com as mãos (ministérios). É uma obra de equilíbrio e retidão, de prumo e de esquadro, cuja referência é a “Pedra Principal de Esquina”, que o Senhor Jesus.

CONCLUSÃO

Verso 11 – Eliseu se retira para o quarto e se deita ali.

            O homem definido na Obra sabe qual é o Caminho a seguir. Ele sempre volta para a igreja, pois sabe que ali será bem recebido e terá um lugar para descansar das lutas desta vida.                                                                                
           


Leia Mais ››

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Pacto de Lausanne



          Em 1974 houve um Congresso Mundial de Evangelização em Lausanne, do qual resultou um documento chamado Pacto de Lausanne no final da década de 80. Ricardo Wesley Borges utilizou tal documento para aprofundamento dos estudos e compreensão das Escrituras com relação ao trabalho missionário. Wesley entendeu que a fé não exigia separação entre dimensão da salvação pessoal do indivíduo e de uma adequada preocupação integral com o ser humano em seu todo, e com as questões que afetam o mundo em que vivemos, pois o Evangelho afeta todas as dimensões da vida.

Pacto de Lausanne foi um documento produzido durante um congresso na Suíça que contou com 2.700 participantes, vindos de diferentes regiões do planeta. Marco que moldou mais de uma geração de líderes da igreja de vários continentes.

Sentido seu pacto se torna um marco importante, na maneira como ele aponta a possibilidade de, dentro de um contexto de bases de fé considerada evangélicas, encontrar uma referência sólida e bem fundamentada acerca da importância da atuação da igreja no mundo. Lançaram-se bases importantes para atuação missionária evangélica séria, engajada e comprometida com o que se convencionou chamar de teologia da missão integral.

  Acreditamos que o evangelho são as boas novas de Deus para todo o mundo, e por sua graça, decidimo-nos a obedecer ao mandamento de Cristo de proclamá-lo a toda a humanidade e fazer discípulos de todas as nações. Desejamos, portanto, reafirmar a nossa fé e a nossa resolução, e tornar público o nosso pacto.

1.     O Propósito de Deus
Afirmamos a nossa crença no único Deus eterno, Criador e Senhor do Mundo, Pai, Filho e Espírito Santo, que governa todas as coisas segundo o propósito da sua vontade.

2. A Autoridade e o Poder da Bíblia
Afirmamos a inspiração divina, a veracidade e autoridade das Escrituras tanto do Velho como do Novo Testamento, em sua totalidade, como única Palavra de Deus escrita, sem erro em tudo o que ela afirma, e a única regra infalível de fé e prática. Também afirmamos o poder da Palavra de Deus para cumprir o seu propósito de salvação.


3. A Unicidade e a Universalidade de Cristo
Afirmamos que há um só Salvador e um só evangelho, embora exista uma ampla variedade de maneiras de se realizar a obra de evangelização. Reconhecemos que todos os homens têm algum conhecimento de Deus através da revelação geral de Deus na natureza. Mas negamos que tal conhecimento possa salvar, pois os homens, por sua injustiça, suprimem a verdade.

4. A Natureza da Evangelização
Evangelizar é difundir as boas novas de que Jesus Cristo morreu por nossos pecados e ressuscitou segundo as Escrituras, e de que, como Senhor e Rei, ele agora oferece o perdão dos pecados e o dom libertador do Espírito a todos os que se arrependem e crêem..

5. A Responsabilidade Social Cristã
Afirmamos que Deus é o Criador e o Juiz de todos os homens. Portanto, devemos partilhar o seu interesse pela justiça e pela conciliação em toda a sociedade humana, e pela libertação dos homens de todo tipo de opressão.

6. A Igreja e a Evangelização
Afirmamos que Cristo envia o seu povo redimido ao mundo assim como o Pai o enviou, e que isso requer uma penetração de igual modo profunda e sacrificial.

7. Cooperação na Evangelização
Afirmamos que é propósito de Deus haver na igreja uma unidade visível de pensamento quanto à verdade.

8. Esforço Conjugado de Igrejas na Evangelização
Regozijamo-nos com o alvorecer de uma nova era missionária. O papel dominante das missões ocidentais está desaparecendo rapidamente. Deus está levantando das igrejas mais jovens um grande e novo recurso para a evangelização mundial, demonstrando assim que a responsabilidade de evangelizar pertence a todo o corpo de Cristo.

9. Urgência da Tarefa Evangelística
Mais de dois bilhões e setecentos milhões de pessoas, ou seja, mais de dois terços da humanidade, ainda estão por serem evangelizadas

10. Evangelização e Cultura
O desenvolvimento de estratégias para a evangelização mundial requer metodologia nova e criativa.

11. Educação e Liderança
Confessamos que às vezes temos nos empenhado em conseguir o crescimento numérico da igreja em detrimento do espiritual, divorciando a evangelização da edificação dos crentes. Contudo, apoiamos integralmente os princípios que regem a formação de uma igreja de fato nacional, e ardentemente desejamos que toda a igreja tenha líderes nacionais que manifestem um estilo cristão de liderança não em termos de domínio, mas de serviço.

12. Conflito Espiritual
Cremos que estamos empenhados num permanente conflito espiritual com os principados e postestades do mal, que querem destruir a igreja e frustrar sua tarefa de evangelização mundial.

13. Liberdade e Perseguição
É dever de toda nação, dever que foi estabelecido por Deus, assegurar condições de paz, de justiça e de liberdade em que a igreja possa obedecer a Deus, servir a Cristo Senhor e pregar o evangelho sem quaisquer interferências.

14. O Poder do Espírito Santo
Cremos no poder do Espírito Santo. O pai enviou o seu Espírito para dar testemunho do seu Filho. Sem o testemunho dele o nosso seria em vão. Convicção de pecado, fé em Cristo, novo nascimento cristão, é tudo obra dele.

15. O Retorno de Cristo
Cremos que Jesus Cristo voltará pessoal e visivelmente, em poder e glória, para consumar a salvação e o juízo. Esta promessa de sua vinda é um estímulo ainda maior à evangelização, pois lembramo-nos de que ele disse que o evangelho deve ser primeiramente pregado a todas as nações.



REFERÊNCIA BIBLIOGRAFICAS
 BÍBLIA REVISTA E CORRIGIDA: 12ª edição Santo André - SP -Brasil 2008
 BÍBLIA HEBRAICA: 1º reimpressão revisada janeiro 2007 
 BÍBLIA DE ESTUDO PETENCOSTAL, 2. ed. São Paulo, janeiro de 1995
 BÍBLIA DE ESTUDO ARQUEOLÓGICA: 1ª edição Março 2013 NVI
 PACTO DE LAUSANNE: Lausanne, Suíça, 1974
 TEOLOGIA DE MISSÕES: O Evangelho Integral, Pacto Lausanne, 2002
 BÍBLIA DE ESTUDO PETENCOSTAL, 2. ed. São Paulo, janeiro de 1995
Leia Mais ››

Ele vai adiante de vós para a Galiléia

Marcos 16: 6 – 8
O Senhor Jesus envia uma mensagem para que os discípulos, após sua ressurreição, se dirijam para a Galiléia, para reencontrá-lo.
·       Todos, principalmente Pedro, estavam desiludidos e desanimados após a prisão e morte de Jesus. Por isso o Senhor orientou que todos fossem para a Galiléia. Por que para a Galiléia e não para Judéia ou outra região de Israel? A resposta está no fato de ter sido na Galiléia onde Jesus iniciou seu ministério, e onde realizou um maior número de milagres em toda a sua vida. Foi na Galiléia que Jesus chamou os seus discípulos e onde eles tiveram as maiores experiências com o Senhor.
·       No estado de frieza em que se encontravam, voltar para a Galiléia significava voltar a reviver as bênçãos experimentadas no início da caminhada com Jesus, era a renovação do primeiro amor para a continuação da Obra que o Senhor tinha a realizar nas suas vidas.
·    Diante das dificuldades do presente, eles precisavam se afastar da Judéia, onde Jesus foi perseguido e morto, para o lugar onde o ministério de Jesus foi tão frutífero e abençoado, a fim de receberem a porção necessária para que suas vidas fossem reerguidas espiritualmente e pudessem dar continuidade à Obra do Senhor.
·     Hoje em dia, o mesmo acontece conosco; nos sentimos fracos e sem estímulo diante das lutas e provações da caminhada, mas o Senhor nos manda que voltemos sempre às primeiras experiências, aos dias da nossa conversão, quando a sua presença era constante em nossos corações, nos renovando a cada instante da nossa vida. A Obra nunca para, e nós temos que caminhar sempre, até chegar à eternidade.
Leia Mais ››

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Heresia: Apóstolo Valdemiro afirma que sua camisa ensanguentada está curando pessoas

Após sofrer atentato, na manhã deste domingo (08/01/2017), pastor Valdemiro Santiago teve a camisa cheia de sangue disputada por fiéis

Camisa ensanguentada de Valdemiro estaria “curando” fiéis
Camisa ensanguentada de Valdemiro estaria "curando" fiéis

Após o apóstolo Valdemiro Santiago ser esfaqueado dentro da Igreja Mundial do Poder de Deus no Brás, em São Paulo, a igreja já identificou um aumento no número de fiéis nas reuniões da tarde e da noite de domingo. O bispo Jorge Pinheiro, que assumiu a liderança dos cultos, explica que “Muitas pessoas foram orar pelo apóstolo.”
Em um dos vídeos que gravou após o atentado contra sua vida, Santiago aparece sentado ao lado da mulher, na residência da família. Além de anunciar que perdoa seu agressor, contou que a camisa que ele usava na hora do ataque está “curando” fiéis. Sem dar muitos detalhes, apenas afirma que o evento está sendo usado por Deus para abençoar pessoas.


video

Durante um dos programas da Mundial exibido pela TV, um membro da igreja aparece esfregando-a em um manto. Valdemiro explica: “Passaram até a camisa ensanguentada no manto. Quando ela [a fiel] tocou no manto, ela aplumou. Foi curada. O demônio fez o serviço dele, mas acabou dando o contrário. No acerto de contas com o diabo, foi assim: ‘E aí, como é que foi com o Valdemiro? O saldo foi negativo. Porque teve até gente que saiu curada’”
O apóstolo acredita que “A unção está na nossa roupa, no nosso copo, no nosso relógio, na nossa aliança, no nosso chapéu, no nosso sangue”, ressaltando que isso não vem dele, mas é o poder de Deus agindo.
Na segunda-feira, fez até piada sobre o assunto, durante entrevista ao apresentador José Luiz Datena, no “Brasil Urgente”. Santiago afirmou que vai instituir agora a “fila do açougue”.
Contou ainda que o domingo (08/01/2017) foi um “dia de azar”, pois sofreu um pequeno acidente enquanto era encaminhado ao hospital. “Eles me deixaram cair da ambulância com a cabeça no chão. Eu estava com um azar aquele dia”, lembra.
Uma revelação feita durante o programa é que os seguranças identificaram mais duas pessoas armadas com facas na fila onde estava a esposa do apóstolo, a bispa Francileia iria orar e impor as mãos, como sempre faz.
Em entrevista à revista Veja, o pastor Jorge Pinheiro, que assumiu o comando da denominação enquanto Valdemiro se recupera, explica que a camisa ensanguentada de Santiago não seria utilizada para “fins simbólicos”, mas que foi guardada “pela importância do que aconteceu”.
O bispo disse também que, apesar do ocorrido no domingo, a igreja não irá alterar o esquema de segurança nos dias de cultos.
Havia cerca de 15 mil pessoais no local no culto de domingo de manhã.

Fiéis acreditam em milagre

Vários membros da IMPD acreditam que Deus interveio para salvar a vida do líder religioso. O funcionário da igreja, Marivaldo Lima de Assis, garante: “Foi a mão de Deus que o salvou”.
Raimundo Simião, 61, também ajudava na organização das filas das bênçãos na hora que aconteceu o ataque, é enfático: “Deus mostrou para o mundo inteiro que está presente no apóstolo”.
O fiel Willian Costa Mendes, 22 anos, que estava na fila à espera de oração quando tudo aconteceu explica que o atentado reforçou sua fé em Deus. Dizendo ter inclusive chorado depois do ataque, emenda que “O apóstolo é um grande exemplo. A pessoa fez maldade com ele e ele o mesmo o perdoou”.
Cristine de Oliveira, 66 anos, sublinha que ficou revoltada com a agressão. Contudo, faz questão de dizer que “Tenho mais fé nele agora, que provou mais do que nunca que é um ungido de Deus”.
https://noticias.gospelprime.com.br/camisa-ensanguentada-valdemiro-curando-fieis/
Leia Mais ››

SOCIAL MEDIA


Wallace Oliveira Cruz

MARCADORES