segunda-feira, 6 de julho de 2015

“ O TRIGO DA MINHA EIRA”


Texto: Isaías 21:10a - “ Oh! povo meu, debulhado e batido como o trigo da minha eira.”


INTRODUÇÃO

Qual o propósito de deus quando é feita essa analogia ( comparação) entre o povo de Israel e o trigo na eira? ensinar ao seu povo sobre as coisas espirituais, ou seja, o seu projeto de salvação.

Nesse verso lido no livro do profeta Isaías, a luz da revelação do Espírito Santo podemos identificar elementos proféticos que são essenciais para que o homem possa entender e viver o projeto de Deus.


DESENVOLVIMENTO

O Trigo na eira

O que é a eira?

Eira (do latim área = área, pedaço de terra) é um espaço plano com um chão duro, de dimensões variáveis, onde os cereais, eram malhados e peneirados,depois de colhidos, com vista a separar a palha e outros detritos dos grãos de cereais.

Qual  a localização da eira?

Israel é uma região montanhosa. em cada cidade antiga era costume usar montes para construir no seu topo a eira.

Quais as finalidades da eira?

Ø  Fazer a separação do trigo da palha;

Ø  Servia como tribunal de justiça. onde os anciãos da cidade, como juízes, se reuniam lá para julgar as causas do povo em geral.
O processo do trigo na eira, vemos  como se desenvolve a dinâmica da salvação. como Deus trabalha na vida do homem para a salvação.



A colheita do trigo

O trigo  era colhido no campo e depois trazido para a eira. da mesma forma o senhor nos tirou do mundo com o seu braço forte e nos trouxe para a sua obra.

O processo do trigo na eira:

“ Povo meu...” – é utilizado o pronome possessivo meu  que demonstra que pertecemos ao Senhor. Porque um alto preço foi pago na cruz do calvário pelas as nossas vidas.
(I Cor. 6:20; I Pe. 1: 18-19; Sl.49:8)

Que privilégio sermos chamados povo de deus.
Dt 28:10- e todos os povos da terra verão que és chamado pelo nome do senhor e terão temor de ti.
I Pe. 2:9-10- Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz;vós que, em outro tempo, não éreis povo, mas, agora, sois povo de deus; que não tínheis alcançado misericórdia, mas, agora, alcançastes misericórdia.
Ser povo de Deus é a certeza  de termos os cuidados, a provisão e a segurança do nosso Deus a cada dia de nossas vidas. Mas o maior benefício é a salvação eterna em Cristo Jesus.

·         “ debulhado “ – santificação

Debulhar o trigo é a separação de cada parte do trigo ( grãos e palhas ).

A santificação é um processo  diário onde seremos dirigidos pelo  espírito santo com um aprendizado contínuo.entendendo  que deus não aceita mistura.temos que sermos genuídos porque somos novas criaturas em cristo Jesus. ( ii cor. 5: 17)

A palavra santo no hebraico é kadosh que significa separado. (i pe. 1: 15-16 ; hb. 12:14 ; ap. 22:11; i tess. 4:3)

Separados do mundo, porque não podemos  misturar as coisas do mundo com as coisas de deus. é a palavra de Deus revelada pelo  Espírito Santo  que nos mostra aquilo que agrada a deus. ( Jo. 17: 17 )

Separados para Deus , porque o senhor nos ama e  quer estejamos perto dele.

“ batido “  -  provações

O trigo era espalhado e batido com varas para retirar a palha.

As provações na vida do servo de deus são necessárias para o nosso aperfeiçoamento espiritual. ( tg. 1: 3-4; tg. 1:12 )

Deus nos prova porque nos ama. nas provações ao longo da caminhada nunca estamos sozinhos, o senhor está  conosco em todos os momentos.

Exemplos de servos que foram provados:

Dn. 3: 15-26 - Os jovens na fornalha ;
Dn. 6: 19-23- Daniel na cova dos leões;
At. 16: 25 - 34- Paulo e silas na prisão.

Deus nunca vai nos dar uma prova além do que possamos suportar. ( i cor. 10:13 )

As provas nos aproxima mais de deus, faz com que o servo confie somente no senhor e aprenda a depender exclusivamente de deus.
O servo diante das provas ( família, desemprego, enfermidades entre outras ) nunca diga por que estou passando por essa prova. Mas  pra quê  está prova, ou seja, qual a finalidade desta prova Senhor na minha vida. (rm. 8: 28)

Amados irmãos nas provas que passamos há um propósito de deus. (jo. 16:33; sl. 34: 19; sl. 119:71).



 “ Como o trigo da minha eira” – igreja= corpo de cristo.

A eira era o local onde o trigo seria trabalhado para depois ir para o celeiro.

A eira dentro desse contexto nos fala da igreja que é o corpo de Cristo. onde o Espírito Santo opera na vida do homem retirando as coisas que não agrada a Deus.

O interessante era que o trigo depois de colhido, debulhado e batido. Em seguida era lançado para o alto , e o vento que soprava na colina jogava para fora  a palha enquanto o trigo caía dentro da eira.

O trigo dessa passagem bíblica simboliza o homem que permite a ação do Espírito Santo em sua vida.

Esse detalhe do vento que jogava a palha para fora , mostra-nos que é fundamental  ação do Espírito Santo para santificar a vida do homem. só era possível  a saída de toda a palha pelo ação do vento. da mesma  forma acontece na vida do homem. Sem a operação do Espírito Santo a palha ( as coisas do velho homem) vai ficar.

CONCLUSÃO

Amados  irmãos , ao térnimo do processo do trigo na eira. o mesmo ficava no celeiro que é o local onde ficará depositado o trigo. Aqueles que vivem o processo de salvação o resultado será a eternidade com Deus.

Saiba que você pode escolher onde vai passar a eternidade. a eternidade com Deus , felicidade eterna ou a eternidade sem Deus  que é o sofrimento eterno.

Qual é a sua escolha?

Deus nos abençõe. amém.



Josenilson Félix
Leia Mais ››

E QUEM É O MEU PRÓXIMO?


Lucas 10: 25 – 29

25  E eis que se levantou um certo doutor da lei, tentando-o, e dizendo: Mestre, que farei para herdar a vida eterna?
26  E ele lhe disse: Que está escrito na lei? Como lês?
27  E, respondendo ele, disse: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças, e de todo o teu entendimento, e ao teu próximo como a ti mesmo.
28  E disse-lhe: Respondeste bem; faze isso, e viverás.
29  Ele, porém, querendo justificar-se a si mesmo, disse a Jesus: E quem é o meu próximo?

INTRODUÇÃO


Certa ocasião, o Senhor Jesus foi interpelado por um doutor da lei, que o perguntou o que uma pessoa deveria fazer para herdar a vida eterna. Aquele homem era muito religioso, mestre das Escrituras, conhecedor das profecias, mas não sabia como herdar a vida eterna, pois só conhecia a letra da Palavra. Além do mais, sua pergunta não foi sincera, pois ele a fez com o propósito de tentar Jesus. Todo religioso tem esse problema, ele pode até conhecer muitas coisas da Bíblia, mas não conhece a vida eterna.

1.    Jesus lhe perguntou o que estava escrito na lei, como ele lia a Escritura, e a resposta foi dada na ponta da língua: “Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças, e de todo o teu entendimento, e ao teu próximo como a ti mesmo”.

2.     Este é o primeiro mandamento e a base de toda a Escritura Sagrada. Jesus então concordou com a resposta do fariseu e lhe disse: “Faze isso, e viverás”.

O que o Senhor quis mostrar àquele homem foi que, o fato de alguém conhecer a Bíblia e decorá-la de capa a capa, não lhe garante a vida eterna, pois o principal é viver a Palavra, é praticá-la e cumprí-la em sua própria vida, e isso era o que estava faltando àquele doutor da lei. Ele “amava” a Deus mas não amava o seu próximo. Ele nem ao menos conhecia quem era o seu próximo, por isso, para se justificar, ele perguntou: “E quem é o meu próximo?”.

3.    Jesus então, para mostrar claramente àquele religioso quem era o seu próximo, contou-lhe a parábola do “bom samaritano”

Nela o Senhor mostrou o que aconteceu com um homem que descia de Jerusalém para Jericó, e como ele caiu nas mãos dos salteadores que, após o espancarem e roubarem, o deixaram meio morto à beira do caminho. Depois veio um sacerdote que também descia por aquele mesmo caminho, e vendo-o passou de largo. Veio também um levita que procedeu de modo semelhante ao seu antecessor, não prestando socorro ao homem ferido e abandonado meio morto. Nós podemos notar que Jesus procurou mostrar àquele doutor da lei, que ele era quem estava na situação do homem na sargeta. Ele fazia parte do imenso grupo de pessoas que desciam, que regrediam na vida espiritual, se afastavam de Deus, caindo nas mãos do adversário, que veio para matar, roubar e destruir, e que o sacerdote e o levita, amigos tão achegados a ele, nunca puderam fazer nada para ajudá-lo na sua situação de miséria espiritual.

Mas um samaritano, continuou Jesus, vindo de viagem pelo seu caminho, vendo-o, parou e prestou-lhe socorro, deitando-lhe vinho e azeite para curar suas chagas e reanimá-lo. Depois colocou-o sobre sua cavalgadura e o levou a uma hospedagem, orientando o seu proprietário que cuidasse dele, adiantando-lhe o pagamento de dois dinheiros e prometendo pagar o restante da conta na sua volta.

É importante lembrar que os samaritanos eram desprezados e hostilizados pelos judeus, por causa de antigos preconceitos raciais e religiosos. Eles não se comunicavam e não se davam bem, mesmo assim o samaritano acudiu ao judeu caído em desgraça.

4.    Ao concluir a parábola, o Senhor Jesus perguntou ao doutor da lei qual dos três foi o próximo daquele homem moribundo, e ele prontamente respondeu que achava que foi o que o socorreu. Jesus então ordenou: “Vai, e faze da mesma maneira”.

A partir da identificação de quem era o próximo do homem necessitado, Jesus se apresentou como sendo este Próximo, a quem aquele religioso não conhecia e a quem ele deveria amar como a si mesmo. Jesus também se identificou com o samaritano em todos os sentidos, naquilo que sofria no meio dos judeus, sendo perseguido e rejeitado, e naquilo que ele veio fazer por toda a humanidade, detendo-se para ver sua situação, descendo da sua posição gloriosa e se humilhando ao tomar a forma humana, derramando seu sangue (vinho) e seu Espírito (azeite) para curar as nossas chagas e nos livrar da morte eterna, através da sua própria morte.

CONCLUSÃO 


Hoje em dia muitos não conhecem quem é o seu próximo; aquele a quem precisam amar como a si mesmos, por isso não sabem como herdar a vida eterna. O homem pode ser religioso, conhecer os mandamentos e toda a Bíblia, mas se não conhecer que o seu próximo, a quem deve amar de todo o coração, é o Senhor Jesus, não herdará a vida eterna.

Wallace Oliveira Cruz


Leia Mais ››

domingo, 5 de julho de 2015

A FOME NO EGITO

                                                          







Gênesis 41: 54 – 57

54  E começaram a vir os sete anos de fome, como José tinha dito; e havia fome em todas as terras, mas em toda a terra do Egito havia pão.
55  E tendo toda a terra do Egito fome, clamou o povo a Faraó por pão; e Faraó disse a todos os egípcios: Ide a José; o que ele vos disser, fazei.
56  Havendo, pois, fome sobre toda a terra, abriu José tudo em que havia mantimento, e vendeu aos egípcios; porque a fome prevaleceu na terra do Egito.
57  E de todas as terras vinham ao Egito, para comprar de José; porquanto a fome prevaleceu em todas as terras.


INTRODUÇÃO


Falar em poucas palavras sobre como José chegou ao governo do Egito, depois de haver sido vendido por seus irmãos a uma caravana de mercadores ismaelitas.

1.   Começaram a vir os sete anos de fome sobre a terra do Egito, como José havia dito.

· Referência ao momento profético atual. A fome espiritual e a escassez de pão (Palavra de Deus) são notórios hoje em dia. As pessoas buscam algo que alimente suas almas, e muitas terminam encontrando aquilo que não serve como alimento (religião, letra, esoterismo, misticismo, etc.). Jesus disse que tudo isso iria acontecer, ele profetizou a respeito destes fatos no seu ministério.

2.   No Egito havia pão...

·Apesar da fome espiritual que impera no mundo, o Pão Vivo que desceu do céu está à disposição de todos os que o buscarem. Ele foi revelado a todo o mundo, de modo que todos que desejarem saciar sua fome podem de aproximar dele pela fé, pois ele está ao alcance de todos.

3.   Clamou o povo a Faraó por pão e Faraó disse: Ide a José, o que ele vos disser, fazei.

· Não adianta recorrer à religião, pois ela, apesar de toda a sua estrutura, não pode atender às necessidades das pessoas. Mas a Obra do Espírito tem tudo que as pessoas necessitam. Só o Senhor Jesus pode atender e suprir toda a necessidade do homem, pois ele é o Pão da Vida para todos nós.

4.   José abriu os celeiros onde havia mantimento...

· Jesus é o único que tem as chaves do Reino dos Céus e quando vamos a ele, sempre recebemos toda sorte de bênçãos, pois todo o mantimento que necessitamos só nele encontramos. Ele pode suprir qualquer falta na nossa vida, pois todo o poder lhe foi dado nos céus e na terra.

5.   E todas as terras vinham ao Egito para comprar de José...

Todos os famintos da terra devem ir a Jesus, pois só ele, nenhum outro, tem aquilo que sua alma necessita. Se a necessidade é de salvação, ele deu a sua vida para nos garantir a salvação. Se é paz, ele tem a paz que o mundo não dá. Se é de alegria, ele é a fonte de toda a alegria, e assim por diante. Todos devem “comprar”a bênção, e o preço que deve ser pago é a nossa própria vida, o nosso coração e o nosso ser, pois aquilo que iremos adquirir é uma vida bem melhor do que a anterior: a Vida Eterna.


CONCLUSÃO 

O Senhor Jesus venceu a morte para suprir toda a necessidade da nossa alma. Todo aquele que o busca alcança a vida eterna e a satisfação de todas as suas necessidades interiores. 



Wallace Oliveira Cruz
Leia Mais ››

sábado, 4 de julho de 2015

A CAPA DE ELIAS



II Reis 2:8-13

8  Então Elias tomou a sua capa e a dobrou, e feriu as águas, as quais se dividiram para os dois lados; e passaram ambos em seco.9  Sucedeu que, havendo eles passado, Elias disse a Eliseu: Pede-me o que queres que te faça, antes que seja tomado de ti. E disse Eliseu: Peço-te que haja porção dobrada de teu espírito sobre mim.10  E disse: Coisa difícil pediste; se me vires quando for tomado de ti, assim se te fará, porém, se não, não se fará.11  E sucedeu que, indo eles andando e falando, eis que um carro de fogo, com cavalos de fogo, os separou um do outro; e Elias subiu ao céu num redemoinho.12  O que vendo Eliseu, clamou: Meu pai, meu pai, carros de Israel, e seus cavaleiros! E nunca mais o viu; e, pegando as suas vestes, rasgou-as em duas partes.13  Também levantou a capa de Elias, que dele caíra; e, voltando-se, parou à margem do Jordão.


INTRODUÇÃO

· Eliseu foi chamado por Elias para a realização da Obra através de um gesto muito interessante: Elias colocou a sua capa sobre os ombros de Eliseu e ele deixou tudo e o seguiu

· Elias: tipo do Senhor Jesus

· Eliseu: tipo do servo fiel

· A capa de uma pessoa era o que a identificava de longe quando ela estava passando

· A capa de Elias sobre os ombros de Eliseu é tipo do Sangue de Jesus sobre a vida do servo, que ele passa a desfrutar desde o chamado (a conversão) e que o identifica como servo, tanto para o mundo, como para o Pai. É como se o servo passasse a ter a “identidade” de Jesus.

DESENVOLVIMENTO

· Eliseu havia vivido uma experiência muito interessante: mesmo sabendo que Elias seria arrebatado, ele foi até o fim no intuito de receber uma bênção.

· Eles passaram por vários lugares (Gilgal, Betel, Jericó e o Jordão), mas Eliseu soube esperar e ser fiel em busca da bênção - o servo fiel não abandona o Senhor Jesus um instante sequer e espera, que no momento certo a bênção vem.

· Eliseu não deu ouvidos às muitas tentativas de demovê-lo do seu desejo de alcançar a bênção - o servo fiel enfrenta muitas situações e convites para deixar a Obra, mas ele não dá ouvidos e continua no caminho.

· Elias abre o Jordão com sua capa - o Senhor Jesus tem realizado muitas maravilhas no meio da sua igreja e o servo fiel (Eliseu) tem acompanhado, visto de perto e até participado destas experiências (eles passaram juntos)

· Elias pergunta: “...o que queres que eu te faça?...”

· A resposta de Eliseu: “...porção dobrada do teu espírito sobre mim.” - a bênção que o servo fiel almeja é sempre espiritual. O seu desejo deve ser sempre de crescer na presença do Senhor, de alcançar experiências mais profundas com Ele. O adversário tem usado força dobrada para derrubar o servo, por isso é necessária PORÇÃO DOBRADA do Espírito Santo sobre a sua vida.

· “Coisa dura pediste...” - O preço para alcançarmos estas bênçãos foi muito alto e foi pago no calvário pelo Senhor Jesus.

·  “...SE ME VIRES...” -  A condição para receber a bênção era VER Elias no exato instante em que ele seria arrebatado e que ninguém sabia exatamente qual seria este momento. - O servo luta, paga um preço por uma bênção,  só a receberá se estiver ATENTO ao Senhor e à sua Obra. Se Eliseu desviasse os olhos por um único instante de Elias, este poderia ser o momento em que ele seria arrebatado e Eliseu perderia aquela bênção.

· A capa que fica - A confirmação da bênção na vida do servo, a prova visível de que ele alcançou aquilo que ele tanto almejava é o renovo da salvação, do primeiro amor (o chamado), é a marca do Sangue de Jesus na sua vida.

· Eliseu passa a usar a capa de Elias - o servo fiel tem a identidade de Cristo.

· Eliseu abre o Jordão com a capa - “...os sinais seguem aos que crêem...” - o servo usa as bênçãos que têm recebido do Senhor na realização da sua Obra.

CONCLUSÃO
         
Muitas vezes nós almejamos bênçãos do Senhor (dons, o levantamento para um grupo, a instrumentalidade na casa do Senhor) e lutamos por isso, mas é preciso estar constantemente atentos porque, a qualquer momento, esta bênção virá.

Wallace Oliveira Cruz
Leia Mais ››

sexta-feira, 3 de julho de 2015

A BÊNÇÃO DE JOSÉ


 Gênesis 49: 22 – 26 

22  José é um ramo frutífero, ramo frutífero junto à fonte; seus ramos correm sobre o muro.
23  Os flecheiros lhe deram amargura, e o flecharam e odiaram.
24  O seu arco, porém, susteve-se no forte, e os braços de suas mãos foram fortalecidos pelas mãos do Valente de Jacó (de onde é o pastor e a pedra de Israel).
25  Pelo Deus de teu pai, o qual te ajudará, e pelo Todo-Poderoso, o qual te abençoará com bênçãos dos altos céus, com bênçãos do abismo que está embaixo, com bênçãos dos seios e da madre.
26  As bênçãos de teu pai excederão as bênçãos de meus pais, até à extremidade dos outeiros eternos; elas estarão sobre a cabeça de José, e sobre o alto da cabeça do que foi separado de seus irmãos.

INTRODUÇÃO


Deus tem um negócio com todos aqueles que guardam a sua Palavra, e por isso lhes concede experiências para que cresçam no seu conhecimento e na sua graça. 

DESENVOLVIMENTO


1.  José foi desprezado por seus irmãos e incompreendido por seus pais, no entanto guardou a Palavra do Senhor e ele o colocou numa posição elevada.

2. José cresceu muito, mas o Senhor o chamou de “ramo”, que representa algo frágil mas que por estar junto às fontes das águas se torna grandemente frutífero. Era um ramo frágil na verdade, mas que corria sobre o “muro”, que lhe dava sustentação e firmeza. O Senhor é o muro que dá sustento à sua igreja, que é o ramo frágil que frutifica junto à fonte. O fruto é o alimento que deve ser produzido, apesar das lutas e das frechas amargas que são lançadas contra nós a todo momento para nos provar. Apesar das provas, o ramo não pode deixar de produzir frutos, pois ele não depende dos fatores exteriores, mas da fonte que lhe fornece a seiva que circula no seu interior.

3.  A razão das provas é que elas nos levam a lançar mão do “arco” (revelação) e nele nos suster. Nas situações de fraqueza nossos braços devem ser fortalecidos pelas mãos do “Valente de Jacó”, que é o Senhor Jesus, pois ele é o Forte que tem o arco que nos dá a vitória. Ele é o “Pastor” que nos livra do lobo e nos guarda de todos os perigos deste mundo. Ele é a nossa “Pedra”, o nosso fundamento onde reclinamos a cabeça para descansarmos e termos a visão da eternidade (experiência de Jacó). 

CONCLUSÃO


As bênçãos do Senhor são para a sua igreja, as dos céus e as da profundidade. As bênçãos dos peitos (o leite, o alimento, a Palavra Revelada) e da madre (a vida eterna). As bênçãos que o Senhor tem para nós nesta última hora são mais excelentes que as do princípio (vinho de excelente qualidade) até às extremidades dos montes eternos. Elas estarão sobre a igreja, a qual foi separada dentre os povos da terra.

Wallace Oliveira Cruz
Leia Mais ››

quinta-feira, 2 de julho de 2015

OBAMA: RELIGIOSOS PRECISAM ACEITAR O CASAMENTO GAY



O que teremos que aceitar depois?


Depois que a Suprema Corte dos EUA aprovou o casamento gay nos EUA, a Casa Branca foi iluminada com as cores do arco-íris, símbolo mundial do movimento LGBT.

Veja mais sobre o assunto: Aqui

O presidente Barack Obama, que lutava por isso desde que ganhou a primeira eleição, usou sua conta no Twitter para afirmar “O amor vence”, frase que se popularizou na internet logo em seguida. Mas uma de suas falas nos dias seguintes teve pouca repercussão na grande mídia, embora tenha irritado muitos líderes religiosos. O presidente norte-americano disse que as pessoas precisam mudar suas convicções [religiosas] e aceitar o casamento gay. Para que isso aconteça, incentivou os defensores da união entre homossexuais que “ajudem” os demais a superar seus pontos de vista, que estão profundamente enraizados.

Ao mesmo tempo, afirma que seu governo tem “profundo compromisso com a liberdade religiosa”.  “Mudança nos corações e mentes é possível”, acrescentou. “Aqueles que chegaram tão longe em sua luta pela igualdade têm a responsabilidade de ajudar os outros para que se juntem a eles. Porque, apesar de todas as nossas diferenças, somos um povo. Somos mais fortes juntos do que jamais seríamos sozinhos.”

Curiosamente, enquanto concorria ao Senado, em 2004, Obama afirmou: “Acredito que o casamento é entre um homem e uma mulher. [...] Na minha fé, um homem e uma mulher, quando se casam, estão realizando alguma coisa diante de Deus, e não é simplesmente duas pessoas que estão juntas.”

Durante muitos anos, Obama afirmou ser evangélico, mas um quarto dos americanos acredita que ele é o Anticristo. Pastores influentes já afirmaram que ele está apenas abrindo o caminho para a chegada do Anticristo.

Durante um painel da Heritage Foundation, o procurador-geral norte-americano Donald Verrilli, terceiro oficial mais graduado do Departamento de Justiça e que pode falar em nome da administração de Obama em processos judiciais chocou a plateia. Perguntado se com a decisão da Suprema Corte as escolas religiosas seriam obrigadas a oferecer alojamentos a casais do mesmo sexo, ele asseverou: “Isso certamente vai ser um problema.” Alguns seminários e universidades evangélicos lutam na justiça há mais de uma década pelo direito de não aceitarem alunos homossexuais. 



Nota: Agora é o “casamento” gay, mas o que virá depois? O que o governo dos EUA vai querer que aceitemos? Que outras leis a Suprema Corte norte-americana vai empurrar goela abaixo do povo, devidamente doutrinado para aceitar tudo? Aguardemos e veremos. [MB]
Leia Mais ››

“A MENSAGEM DAS CRIANÇAS DA OBRA DE DEUS”



ATOS 12:13 – 16

13  E, batendo Pedro à porta do pátio, uma menina chamada Rode saiu a escutar;
14  E, conhecendo a voz de Pedro, de gozo não abriu a porta, mas, correndo para dentro, anunciou que Pedro estava à porta.
15  E disseram-lhe: Estás fora de ti. Mas ela afirmava que assim era. E diziam: É o seu anjo.
16  Mas Pedro perseverava em bater e, quando abriram, viram-no, e se espantaram.

INTRODUÇÃO

·  Há muitas crianças e adolescentes cujas histórias estão narradas na Bíblia. Todos aqueles que, desde criança, buscaram uma experiência com o Senhor, foram vitoriosos em suas vidas.
·  José, Moisés, Samuel, Davi,  Daniel, etc.

DESENVOLVIMENTO

· Dorcas – mais uma criança que a o Senhor fez questão de registrar sua experiência.
·    Pedro – representa o Senhor Jesus.
o   Preso
o   Condenado à morte
· Havia uma grande ansiedade na casa de Rode, pois todos pensavam que, ao amanhecer, Pedro já estava morto.
·   Muitas pessoas, hoje, vivem uma grande ansiedade, um grande vazio, pois pensam que Jesus morreu há dois mil anos e continua morto. Para muitos, Ele realmente está morto.
·      Mas Pedro estava vivo, assim como Jesus está vivo!
·    Pedro bate à porta – Jesus continua batendo à porta de muitos corações, de muitas casas, de muitas famílias.
·    Quem foi abrir foi uma criança – Rode.
· As nossas crianças estão ouvindo o bater do Senhor Jesus e estão se dispondo a ter uma experiência com Ele. Estão abrindo a porta de seus corações.
·  Rode reconhece a voz de Pedro – As crianças desta obra estão vivendo uma experiência de ouvir e reconhecer a voz de Jesus. Elas têm dons, elas são obedientes, elas têm experiências maravilhosas, elas oram pelos seus familiares e o Senhor os abençoa, elas têm intimidade com o Senhor.
·  A alegria que ela sente é tão grande, que ela quer transmitir à sua família, aos seus parentes, àqueles que estão em sua casa – a mesma experiência vivida pelas nossas crianças hoje.
·     A mensagem de Rode: PEDRO ESTÁ VIVO!
· Esta é a mensagem das nossas crianças aos seus parentes, coleguinhas: JESUS ESTÁ VIVO!
· Elas não levam esta mensagem porque alguém lhes ensinou, ou treinou para que repetissem. Elas o fazem porque elas mesmas têm ouvido a voz de Jesus!
·  As pessoas tiveram duas reações:
1.    Não acreditaram – acharam que ela estava louca ou era coisa de criança e não queriam dar importância.
2.    Tentaram dar uma explicação religiosa – “é o seu anjo”.
· Estas são as mesmas reações que as pessoas têm hoje ao ouvirem nossas crianças falarem das experiências vividas  com o Senhor.
· Pedro continuou insistindo – O Senhor Jesus ainda quer dar oportunidade para que as pessoas tenham uma experiência de Salvação.
·    Resolveram, então, abrir a porta – Quando o homem se entrega ao Senhor para também Ter a sua experiência.
·  Viram que Pedro estava vivo e se maravilharam – a reação do homem ao ver que Jesus está vivo, ao conhecê-lo pessoalmente, é de se maravilhar com tudo o que vê e experimenta.

CONCLUSÃO

As crianças, intermediários e adolescentes têm uma mensagem nesta obra: JESUS ESTÁ VIVO! E esta mensagem é fruto de uma experiência pessoal com o Senhor. Elas o conhecem e por isso elas evangelizam e convidam. Elas querem que seus pais, avós, parentes e amigos também experimentem deste gozo maravilhoso.

Wallace Oliveira Cruz

Leia Mais ››

SOCIAL MEDIA


Wallace Oliveira Cruz