FAMÍLIA E SOCIEDADE

TEMAS BÍBLICOS



O paralítico de Betesda




João 5: 5-9


INTRODUÇÃO

A Palavra nos informa que havia uma festa em Jerusalém, e o Senhor Jesus subiu para esta festa. Do lado norte do templo, junto à porta das ovelhas, havia um tanque, chamado em hebraico Betesda, o qual tinha cinco alpendres ou pavilhões. Nestes jazia uma multidão de enfermos, cegos, coxos, paralíticos - esperando que se movesse a água, porquanto um anjo descia em certo tempo, agitando-a; e o primeiro que entrava no tanque, uma vez agitada a água, sarava de qualquer doença que tivesse. Isso era uma crença naqueles dias, sem nenhuma consistência.

DESENVOLVIMENTO
           
Quando Jesus chegou em Jerusalém, não se dirigiu ao templo, mas foi ao tanque de Betesda, onde pode contemplar a aflição e a amargura daqueles que estavam nos seus alpendres esperando pelo “milagre” que iria mudar suas vidas. No entanto, as frustrações vividas por todos eram maiores do que as “bênçãos”.

A situação aqui apresentada, aponta para aquilo que está acontecendo com as religiões hoje em dia. Assim como cada um dos cinco alpendres oferecia um ângulo de visão diferente, as religiões de hoje também são assim, pois cada uma tem sua visão particular das coisas de Deus, conforme seu ponto de vista, sua razão e seus interesses. Elas estão cercadas por enfermos espirituais, cegos, coxos e paralíticos, todos esperando uma bênção que nunca vem, por ser fruto de falsas promessas, baseadas em misticismo e sofismas que enganam e iludem àqueles que nelas confiam e esperam. Na verdade, aqueles que esperam pela providência da religião estão sozinhos, não tendo quem os ajude.

Em meio a tudo aquilo, Jesus olha para um homem paralítico havia trinta e oito anos, deitado em sua cama, desprezado num canto de um dos alpendres, e lhe pergunta: “Queres ser curado?” O enfermo respondeu: “Senhor, não tenho ninguém que me ponha no tanque, quando a água é agitada; pois, enquanto eu vou, desce outro antes de mim”. Então, lhe disse Jesus: “Levanta-te, toma o teu leito e anda”. Imediatamente, o homem se viu curado e, tomando o leito, pôs-se a andar. E aquele dia, era sábado. Naquele mesmo instante os judeus religiosos o criticaram, por levar a cama num dia de sábado, pois para eles era preferível que permanecesse paralítico, do que deixasse de cumprir o preceito religioso do sábado. Esta é a mentalidade da religião; ela acha mais importante o cumprimento de liturgias, do que a verdadeira experiência da salvação operada pelo Senhor Jesus na vida de alguém.

O Senhor Jesus se compadece daqueles que sofrem nos ensino errado, pois os mesmos não têm quem os ajude a sair do sistema cativante em que se encontram. Ele, então, se revela a cada um, individualmente, e pergunta se querem se libertar da situação em que se encontram. Alguns não entendem que o Senhor está lhes oferecendo uma bênção real e eterna, e na hora raciocinam em termos humanos, com desconfiança e ceticismo, em virtude das muitas decepções sofridas anteriormente. No entanto a bênção do Senhor Jesus não depende da vontade do homem, e de repente ela está ali, diante do necessitado, que, sem ainda entender o que está acontecendo com clareza, se vê agraciado com a bênção e a libertação daquilo que o imobilizava e o escravizava. Essa Obra tem contrariado o ensino errado até hoje.

CONCLUSÃO

Jesus veio a este mundo para ver os males que atingem a todos nós, e no meio de tantos, Ele escolheu um - que tipifica cada um de nós - para se revelar e salvar. Às vezes pensamos que o Senhor não se preocupa e nem olha para nós, mas o Senhor ama e se compadece de cada pessoa, e o seu projeto é salvar a todos, libertando-os do jugo do ensino errado. Ele disse: “Eis que estou à porta e bato...”


O Senhor conhece os prejuízos que o mal ensino causa ao homem, pois esta o mantém preso e paralisado aos seus problemas e superstições. Por isso a misericórdia do Senhor se revela ao homem, mesmo estando ele no ensino errado (Betesda = Casa de Misericórdia), pois Jesus sabe que ninguém, a não ser Ele mesmo, pode ajudá-lo a se libertar de suas enfermidades, cegueira e paralisia. Depois que o Senhor se revela, o homem pode se erguer e andar, conduzindo sua cama (tipo do seu antigo problema), por algum tempo,  para servir de testemunho daquilo que Jesus fez em sua vida.