PROCLAMANDO A VOLTA DO SENHOR JESUS!




"E o Espírito e a esposa dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede, venha; e quem quiser, tome de graça da água da vida” -Apocalipse 22:17



sábado, 1 de abril de 2017

O Dia da Mentira e a Bíblia





Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai. Ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira. João 8:44


Dia 1º de Abril é denominado no Brasil inteiro como o Dia da Mentira. Historicamente, alguns dizem que esse dia foi designado assim por causa da mudança do calendário gregoriano com Carlos IX na França. No Brasil o dia foi adotado após o pronunciamento de que D. Pedro havia falecido, notícia a qual foi desmentida no dia seguinte. 

Parece que não há nada demais nas brincadeiras feitas nesse dia. Por exemplo, alguns sites ensinam até como enganar (mentir) sem ser prejudicial. Mas, como uma mentira não pode ser prejudicial? 

Para o pragmatismo o que importa não é a verdade, mas se algo, mesmo sendo mentiroso, funciona. Ou seja, se funcionar, mesmo que seja a pior de todas as mentiras, isso deve ser aceito como verdade. 

O outro problema que envolve a mentira é o relativismo. Isaias mostra que tal pensamento é perverso e merece o juízo de Deus: Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem do amargo doce, e do doce amargo!” (Is 5.20)

Mas quando olhamos para a primeira mentira descrita na Bíblia, vemos que tal aceitação desta prática não foi nada pragmática e nem relativa, pois Deus disse a Eva que se comesse do fruto certamente morreria, e a serpente disse a ela que “certamente não morrerás” (Gn 3.4). Quando uma mentira é acreditada o estrago pode ser grande, assim como foi na queda de nossos primeiros pais (Adão e Eva), por terem dado ouvidos a voz do Diabo e não a voz de Deus, fez com que toda a humanidade ficasse debaixo da ira de Deus, sendo cada um de nós, desde a nossa concepção, merecedores do fogo eterno. 

Uma das proibições bem claras sobre a mentira é o nono Mandamento, que diz: “Não dirás falso testemunho contra o teu próximo” (Êx. 20.16). O “falso testemunho” leva em si várias circunstâncias de ocorrências (cf. Lv 6.1-7), mas o que está por volta é a mentira. A mentira em qualquer circunstância é pecado, até quando uma criança, quando acha algo na rua, diz que “achado não é roubado”, a Bíblia responde: [o] que achou o perdido, e o negar com falso juramento [...] Será pois que, como pecou e tornou-se culpado” (Lv 6.3,4). Ou também, com as nossas pegadinhas, ou até mesmo os trotes de faculdade, que são tratados como brincadeiras, a Bíblia responde: Como o louco que solta faíscas, flechas, e mortandades. Assim é o homem que engana o seu próximo, e diz: Fiz isso por brincadeira” (Pv 26.18,19). 

A mentira é mostrada como um aspecto que pertence ao velho homem corrupto (Ef 4.22-25) e o mentiroso é tido como filho do Diabo (Jo 8.44), e a ordem bíblica é que aquele que mentia não minta mais, mas fale a verdade com o seu próximo ( Cl 3.9). 

Isto posto, a mentira, o pragmatismo e o relativismo são atos contra a verdade de Deus que acarretam em vários males que prejudicam não somente o autor do ato, mas aqueles que são afetados pela mentira. Portanto, os que amam e praticam a mentira ficarão de fora do reino eterno (Ap 22.15). 

***
Fonte Bereianos
Leia Mais ››

sexta-feira, 31 de março de 2017

O levita na casa de Mica


Juízes 17: 7-13

INTRODUÇÃO


            A Palavra fala que nos dias dos Juízes, não havia rei em Israel, e cada um fazia o que achava reto aos seus olhos. Naqueles dias, um jovem levita saiu de sua terra natal e foi peregrinar na montanha de Efraim. Ele partiu de Belém buscando um lugar onde encontrasse comodidade, hospitalidade e um abrigo para ali viver.  Este moço tinha algumas características:

·        Era de Belém;
·        Era da Tribo de Judá;
·        Era levita = sacerdote;
·        Era peregrino em Efraim.

            Todas essas características correspondem às características do Senhor Jesus, pois Ele também nasceu em Belém e era da Tribo de Judá. Jesus veio a este mundo em busca de comodidade no nosso coração, em busca de um lugar onde o seu Espírito pudesse habitar, e este lugar é a nossa vida.

DESENVOLVIMENTO


            Aquele levita, de Belém de Judá, terminou se encontrando com um homem chamado Mica, da tribo de Efraim. Os efraimitas eram conhecidos na Bíblia como pessoas indefinidas, como um bolo que não foi virado, e que assou só de um lado. Isso fala da situação de indefinição espiritual do homem. Mica perguntou quem era ele, e ao descobrir, lhe fez um convite: “Fica comigo e sê-me por pai e sacerdote; e cada ano te darei dez moedas de prata, e vestuário, e o teu sustento”. E o levita entrou em sua casa e ficou com ele. Mica tinha também algumas características e alguns problemas em sua vida:

·        Havia roubado mil e cem peças de prata de sua mãe;
·        Estava debaixo de uma maldição;
·        Com medo da maldição, devolveu as peças de prata e foi agraciado com duzentas peças;
·        Mandou fundir a prata e transformou-a em um ídolo.

            Mica é tipo do homem natural, gerado por uma sociedade materialista e que está debaixo de uma maldição por causa dos seus pecados. Ele age de acordo com seu próprio conceito de verdade,   e é idólatra, capaz de substituir a Deus por qualquer coisa.

            Apesar de estar vivendo uma vida de pecados, o levita não fez acepção de pessoa e concordou em habitar na casa de Mica, pois encontrou receptividade, a necessidade de segurança e de um intercessor (sacerdote) diante de Deus. Mica também lhe prometeu sustento e vestuário, além de uma quantia em moedas de prata.

            Hoje em dia, o homem vive no pecado e na idolatria, mas quando o Senhor Jesus o encontra, e o seu coração se abre, então o Senhor entra na sua vida (casa) e passa a habitar ali. A partir daí, Jesus passa a ser o Pai e o Sacerdote na vida do homem. O Pai é aquele que cuida, que supre toda necessidade, que dá segurança e transmite uma herança ao seu filho. O Sacerdote é aquele que intercede diante de Deus por suas necessidades, e que advoga as sua causas diante do inimigo.

CONCLUSÃO


            Quando o Senhor Jesus entra na vida de alguém, a pessoa é transformada, tudo se faz novo e a verdadeira razão de viver é alcançada. Por isso Mica afirmou: “Agora sei que o Senhor me fará bem, porquanto tenho um levita por sacerdote”.


            O homem que foi alcançado pela misericórdia do Senhor, deve se consagrar a Deus oferecendo sua vida em gratidão pelas bênçãos recebidas. A sua fidelidade (sustento), o seu testemunho (vestidos) e a salvação de vidas (moedas de prata) são as coisas que o Senhor espera receber do homem, como resultado da sua convivência com Ele.
Leia Mais ››

quinta-feira, 30 de março de 2017

"O leproso vai até Jesus"


MATEUS 8:1- 3


1.  INTRODUÇÃO

·     Jesus descia do monte - Ele veio da Eternidade para satisfazer a necessidade da multidão
·     Grande multidão - necessitada da bênção


2.  DESENVOLVIMENTO

·     A multidão - seguia a Jesus, mas nada acontecia, pois estava fora do Projeto de Deus
·     O interesse da multidão - apenas ouvir Jesus e ver os milagres que Ele realizava, comer pão, etc. (coisas relacionadas às coisas deste vida)
·     O leproso
·     Foi até Jesus - buscou (desejou) o projeto
·     Creu no Projeto de Deus para sua vida
·     A situação do leproso
·     Excluído da sociedade - fora da comunhão
·     Separado da família - fora da igreja
·     Vivia de esmolas - alegrias efêmeras, pão envelhecido
·     Considerado imundo - pecador
·     Condenado à morte - juízo sobre o mundo
·     Sem direito de entrar na sinagoga - sem acesso à presença de Deus
·     Lepra = pecado
·     Multidão - obstáculo a vencer
·     O leproso o adorou - humilhou-se, reconheceu a divindade de Jesus
·     A multidão não adorou a Jesus - a religião não consegue adorar verdadeiramente, apenas quer “vê-lo” de longe, sem ter uma experiência com Ele
·     “se quiseres”
·     Debaixo da vontade de Deus
·     Invocação do Projeto
·     Ele entendeu que o bem maior era a salvação. A cura seria uma conseqüência.
·     Jesus estende a mão - o socorro de Deus levando a salvação (soteria)
·     Jesus toca o leproso - Jesus troca a enfermidade do homem pela sua bênção
·     “Quero...” - O  Senhor Jesus externa , dá conhecimento ao homem do seu Projeto de salvação: CULTO PROFÉTICO
·     “Sê limpo...” - conclusão da Obra, do Projeto de Salvação


3.  CONCLUSÃO


          A Obra de Deus se realiza a partir do momento em que o homem reconhece a sua real necessidade de alcançar o Projeto de Deus. Jesus veio ao mundo para nos apresentar este projeto.
Leia Mais ››

quarta-feira, 29 de março de 2017

O jumentinho entre dois caminhos



Marcos 11: 1-4

INTRODUÇÃO

            Quando, na eternidade, Deus apresentou o seu Projeto de Salvação da Humanidade, os anjos desejaram realiza-lo, mas o Senhor determinou que o mesmo seria cumprido por aqueles que haveriam de experimentar a gloriosa experiência da redenção, pois só eles poderiam testemunhar da Graça e do Amor do Senhor em favor do homem.

DESENVOLVIMENTO

            No dia em que subiu para Jerusalém, onde seria preso e crucificado dias depois, O Senhor Jesus enviou dois dos seus discípulos a uma aldeia que estava adiante, dizendo que eles deveriam soltar um jumentinho que estava amarrado fora da porta da aldeia, e entre dois caminhos, e trazê-lo até Ele. Disse também que se alguém tentasse impedir aquele trabalho, os discípulos deveriam dizer que o Senhor precisava dele.
           
            Quando chegaram à aldeia, os dois encontraram tudo conforme Jesus havia dito. Eles então tomaram o jumentinho, e quando o estavam libertando, alguém surgiu e tentou impedir, mas eles disseram que o Senhor precisava dele, e aquela pessoa não disse mais nada. Depois eles o levaram até Jesus, que montando nele, seguiu para Jerusalém sendo aclamado pela multidão que dizia: “Hosana, bendito o Rei que vem em nome do Senhor”.

            O jumento é um animal que, desde cedo, tem sido usado para carregar pesadas cargas sobre suas costas; este tem sido o seu destino. Hoje em dia existem muitas pessoas que desde cedo, também têm carregado pesadas cargas sobre seus ombros. Estas cargas representam opressões, angústias, traumas e tudo aquilo que o próprio sistema mundano impõe ao homem.
            A situação de muitos hoje em dia, se assemelha à situação daquele jumentinho, que estava amarrado fora da porta e entre dois caminhos. Muitos estão presos e escravizados no mundo e no pecado, fora da comunhão com o Senhor Jesus (a porta) e com a vida espiritual indefinida, vagueando entre o caminho da vida e o caminho da morte. As pessoas vêem liberdade na vida que levam, mas na verdade elas estão sob o olhar do inimigo, que quando percebe alguma ameaça de libertação, logo se levanta para tentar impedir.
           
            O Senhor Deus, que na eternidade elaborou um projeto para libertar o homem, em um determinado dia, se fez propício, e começou a operar no sentido de mudar o seu destino. Para isso Ele enviou o seu Filho para vir até nós e nos libertar de tudo que nos prendia e nos escravizava. Jesus veio e cumpriu todo o Projeto de Salvação, e nomeou aqueles que Ele alcançou em todas as gerações, a seguirem adiante dele para libertar todos os que, como o jumentinho, estivessem presos fora da porta e entre dois caminhos.
                       
CONCLUSÃO

            Nesta última hora, o Senhor tem enviado sua igreja fiel (dois = comunhão) para realizar a tarefa de libertação dos presos deste mundo, dos que estão distantes dele e sem direção para sua vida. Muitas vezes, quando a obra de libertação se inicia na vida de alguém, logo o inimigo se levanta, se considerando dono da pessoa, trazendo dificuldades, dúvidas e toda sorte de problemas,  na tentativa de impedir a sua libertação. Mas nesta hora precisamos lembrar do que Jesus falou quando enviou os discípulos: “digam que o Senhor precisa dele”.

            Jesus precisa do homem ao seu lado, Ele quer ter o governo de sua vida para conduzi-lo com Ele à Jerusalém Celestial, onde passará a Eternidade, pois este é o destino que Deus quer para o homem.  
Leia Mais ››

terça-feira, 28 de março de 2017

Ó Jerusalém! Sobre os teus muros pus guardas...


Isaías 62: 6, 7


INTRODUÇÃO

            Tudo que Deus tem nos dado custou um preço que não foi pago por nós, mas por seu Filho, o Senhor Jesus. No entanto, Deus tem nos feito participantes dos seus dons e da sua Graça para nos preparar para a eternidade. Nós porém, temos uma grande responsabilidade na sua Obra, pois a Palavra diz: “De graça recebestes, de graça dai”. Isto significa que devemos transmitir aquilo que temos recebido, pois muitos são os que não têm nada. Todos aquele que um dia foram chamados para participar na natureza de Deus e da sua Obra, têm o dever de zelar por ela e proclamar as suas maravilhas.

DESENVOLVIMENTO

  • Ó Jerusalém! sobre os teus muros pus guardas ... - Jerusalém significa Cidade da Paz. Ela era cercada por altas muralhas que serviam de proteção e limite do mundo lá de fora. A função dos seus guardas era vigiar para que nenhum mal entrasse pelas suas portas, além de avisar aos que estivessem fora, caso algum perigo se aproximasse, para que pudessem buscar a segurança existente dentro dos seus muros.
Jerusalém é como a Obra do Senhor, pois nela encontramos paz, segurança e refúgio contra os perigos lá de fora, do mundo. Quando estamos dentro dos limites da Obra, estamos protegidos e experimentamos de tudo aquilo que o Espírito santo tem colocado à nossa disposição. Além disso, o Senhor tem nos feito como guardas, que zelaram pelo bem da Obra, e falam àqueles que estão fora  sobre os perigos e a insegurança que há no mundo, convidando-os a entrar, a fim de gozar a verdadeira paz e felicidade.

  • Que todo o dia e toda a noite não se calarão ... - Aqueles que têm experimentado e provado das bênçãos de Jerusalém (Obra), não podem emudecer nem calar, mas devem proclamar diligentemente sobre as boas novas da salvação.   

  • Ó vos, os que fazem menção do Senhor, não haja silêncio em vós ... - Há muitos que querem apenas receber, e não repartem o muito que têm recebido do Senhor. Todos aqueles que fazem menção do nome do Senhor e o conhecem na intimidade da sua revelação, devem proclamar com sabedoria, a mensagem que os resgatou do mundo e da condenação, pois foi para isso que foram chamados e colocados como guardas das muralhas da Obra do Senhor. 

CONCLUSÃO
                                                                                                                
  • Até que confirme e ponha Jerusalém por louvor da terra – Por enquanto a porta da Graça permanece aberta, mas quando o número dos salvos se completar (Ap 6: 11), então a igreja será arrebatada e a Obra do Senhor se confirmará. Neste dia Jerusalém será posta como louvor da terra, pois ela será a sede do governo mundial do Senhor Jesus, durante o Milênio.
Enquanto isso, não podemos nos calar, mas devemos anunciar estas coisas até que o Senhor venha.                                                                                                                                       


Leia Mais ››

segunda-feira, 27 de março de 2017

O Irmão do Filho Pródigo


Lucas 15: 25


          INTRODUÇÃO

            Quando o Senhor Jesus contou a parábola do Filho Pródigo, procurou mostrar a todos a misericórdia de Deus e o seu desejo em perdoar aquele que estivesse distante da casa do Pai, recebendo-o como filho em seguida.
            Mas Jesus também fez referência ao segundo filho, aquele que permaneceu na casa do pai, servindo cada dia aparentemente com fidelidade. Este filho, apesar de estar junto do seu pai, tinha problemas em sua vida, que se manifestaram com o retorno do seu irmão que se havia perdido.

            DESENVOLVIMENTO

·        O filho mais velho estava no campo... - Ele havia ficado na fazenda do seu pai, e lá permanecido todo o tempo. Este filho representa aqueles que estão na igreja todos os dias, participando de suas atividades, orando, jejuando, etc., mas fazendo estas coisas como que por obrigação, como uma rotina e não de coração puro.

·        Veio teu irmão; e teu pai matou o bezerro cevado... mas ele se indignou... - Ao saber da festa preparada para o filho mais novo, ao ver a alegria e a atenção que todos deram ao recém-chegado, o filho mais velho se revoltou contra seu pai, e se encheu de ciúmes e indignação, e não quis entrar em casa e participar da festa. Ele não entendeu a atitude de seu pai e de todos na fazenda com a volta do filho pródigo, e isso mostra que ele não sentia nenhum amor pelo seu irmão; ele era indiferente com relação à sua salvação.
Há pessoas na igreja que, apesar de estarem presentes nos trabalhos que são realizados, não têm entendido o amor de Deus para com as almas perdidas, e nem a Obra que tem realizado na igreja. Esses irmãos também não têm noção de seus “direitos” espirituais, concedidos pelo Pai através do Senhor Jesus. Deus tem uma grande preocupação com a salvação do homem, e a Bíblia diz que há júbilo nos céus por um pecador que se arrepende. No entanto, muitos na igreja são insensíveis a isso e não se preocupam com aqueles que precisam de salvação, não evangelizam e nem convidam seus amigos para participarem dos cultos na igreja.

·        Te sirvo a tantos anos... e nunca me deste um cabrito... - Ao reclamou do pai por nunca lhe haver tratado daquela forma, ele deixou de reconhecer a morte e sacrifício de Jesus em seu favor também - o bezerro cevado. Ele expôs a sua justiça própria quando reclamou de seu serviço contínuo na fazenda, e deixou claro que o desejo do seu coração era estar se banqueteando com seus amigos lá de fora, não na fazenda de seu pai.

·        Filho, tu sempre estás comigo e todas as minhas coisas são tuas... - O Pai enviou o Senhor Jesus, que deu sua vida por nós, para que fôssemos recebidos como filhos e tomássemos posse de todo as as coisas que Ele preparou para nós, pela fé no seu Nome. O apóstolo João escreveu: “Estas coisas vos escrevi para que saibais que tendes a vida eterna...” - I Jo 5: 13. Ter a vida eterna é viver tudo aquilo que Jesus conquistou na cruz - segurança, vitória, preservação, livramento, saúde, felicidade e salvação.

            CONCLUSÃO


            Estar em comunhão com Deus não significa estar na igreja simplesmente, mas é pensar como o Senhor pensa, agir como Ele age e sentir o que o Senhor sente. Aquilo que mais alegra o coração do nosso Pai Celeste é quando alguém se arrepende e alcança a salvação - Jo 15: 7.
Leia Mais ››

domingo, 26 de março de 2017

O fogo no altar


Levítico 6: 12, 13 

INTRODUÇÃO


·       A Palavra afirma que o servo é o Templo do Espírito Santo, lugar de adoração e habitação de Deus (I Co 3: 16).

·       O Altar deste templo é o nosso coração, onde o fogo do Espírito deve arder continuamente (I Tess 5: 19).

DESENVOLVIMENTO


·       Nós, como Sacerdotes, somos responsáveis pela manutenção do fogo no altar, cada manhã e durante todo o dia.

·       A Lenha (velho homem, natureza humana) deve ser queimada todos os dias, nada de nossa velha natureza deve ser preservada do fogo.

·       O holocausto, o sacrifício (o Cordeiro, Jesus, sua Obra) deve ser ordenado em cima das coisas e interesses humanos (lenha). A Obra deve estar acima de tudo na nossa vida (Mt 6: 33) e precisa estar bem ordenada, para que nosso testemunho glorifique o nome do Senhor e lhe seja agradável, como o aroma da gordura queimada sobre o altar, como ofertas pacíficas e voluntárias.

CONCLUSÃO



·       Para que isso seja uma realidade na nossa vida, o fogo precisa arder continuamente no altar do nosso coração.
Leia Mais ››

SOCIAL MEDIA


Wallace Oliveira Cruz

MARCADORES