PROCLAMANDO A VOLTA DO SENHOR JESUS!




"E o Espírito e a esposa dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede, venha; e quem quiser, tome de graça da água da vida” -Apocalipse 22:17



sábado, 28 de janeiro de 2017

Guarda tua a fortaleza...



Naum 2: 1


INTRODUÇÃO

            Esta Palavra que o Senhor enviou através do profeta Naum, foi dirigida aos habitantes de Nínive, capital da Assíria, que anos antes havia provado a misericórdia do Senhor por intermédio do ministério do profeta Jonas, que os havia levado a uma experiência de conversão e livramento do juízo, por causa dos seus pecados. Agora, muitos anos depois, os ninivitas haviam se esquecido de tudo isso e voltado ao pecado novamente. Por causa disso, os assírios foram destruídos pelos babilônios, naqueles dias.

DESENVOLVIMENTO

O destruidor está diante de ti ... - O homem tem basicamente três inimigos, que são: o mundo, o adversário e a carne. Todos eles trabalham para a destruição do homem, e não estão longe, mas bem perto, ao seu redor. Não podemos ignorar esta realidade, mas devemos estar alertas e vigilantes contra qualquer um destes destruidores. Davi disse: “o meu pecado está continuamente diante de mim, livra-me dos que me são ocultos ...”

Guarda tu a fortaleza ... - A nossa fortaleza é a fé no Senhor Jesus. É guardando a fé que vamos poder resistir diante das dificuldades e lutas desta vida (Heb 11: 33, 34 e I Jo 5: 4, 5).

Observa o caminho ... - O propósito de Deus com as provações não nos levar a nos afastar dele, e sim que nos firmemos mais e mais na sua presença. Por isso não podemos perder de vista o Caminho, nem podemos deixar de olhar para Jesus, pois Ele é o Caminho.

Esforça os lombos ... - Todo servo do Senhor precisa aprender a perseverar, a prosseguir sem nunca esmorecer; ele precisa aprender a carregar e suportar o peso da cruz, na qual está a sua glória. É preciso que haja um preparo, uma predisposição para isso. O servo precisa sempre estar se ajustando e se preparando para a peleja, para que não seja atingido pelos seus inimigos.

Fortalece muito o teu poder – A nossa vida na Obra do Senhor tem que ser dinâmica e não pode se estagnar nunca. Todos fomos chamados para uma batalha, na qual crescemos e amadurecemos à medida que avançamos no conhecimento do Senhor. Quanto mais nos aprofundamos neste conhecimento, mais nos fortalecemos espiritualmente. Ao superarmos os obstáculos somos cada vez mais fortalecidos, pois isso nos torna mais íntimos do Senhor e a sua capacidade e a sua força nos são concedidas.

CONCLUSÃO

            Para que essas coisas sejam uma realidade na nossa vida, e tenhamos vitória contra todo o mal que está constantemente diante de nós, precisamos ter perseverança na caminhada, pois só assim nos fortaleceremos para alcançar a eternidade.



Leia Mais ››

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Guarda as escrituras em vaso de barro...

JEREMIAS 32:14 


INTRODUÇÃO

·      Jerusalém estava cercada pelo exército da Babilônia
·      A derrota era uma simples questão de tempo
·      O profeta Jeremias já havia profetizado que a cidade seria tomada
·      Nesta situação era uma loucura investir em terrenos, pois tudo seria tomado pelo inimigo
·      Naquela época, quando se adquiria uma herdade, haviam duas escrituras: uma “pública”, aberta, que todos podiam ler; e uma cópia selada, que deveria ser muito bem guardada pelo novo proprietário. Esta era a sua segurança no negócio
·      O tio do rei Zedequias ofereceu-lhe um campo para adquiri-lo, pois ele tinha o direito à herdade

DESENVOLVIMENTO

·      O Senhor dá uma orientação: adquirir o campo
·      O Senhor faz uma promessa: Ainda se comprarão casas, campos e vinhas nesta terra (v. 15)
·      Contra todas as previsões e a lógica humana, Zedequias obedece à orientação e adquire o campo
·      A situação do evangelho, hoje, é a mesma em que se encontrava Jerusalém:
·      Cercada pelo adversário;
·      Com o seu fim decretado, pela sua desobediência e por não dar ouvidos à voz do Senhor;
·      Sem credibilidade.
·      Para muitos, que não conhecem a Obra, é uma loucura investir o nosso tempo, nossas vidas, no evangelho, uma vez que só se conhece o evangelho falido dos nossos dias
·      Mas, para nós, há uma promessa: ainda tomaremos posse da eternidade, e, por isso, aceitamos a “proposta” do Senhor
·      A escritura aberta: o nosso testemunho; o testemunho que damos para todos do nosso compromisso com o Senhor e com a eternidade que Ele nos prometeu. Apesar da situação, Zedequias obedeceu à orientação e não teve vergonha em testemunhar da sua opção
·      A escritura selada: o nosso compromisso pessoal com o Senhor. A experiência que só nós e o Senhor conhecemos. Estamos numa obra em que o que nos dá segurança de que vamos efetivamente para a eternidade com o Senhor são as experiências pessoais, é o nosso compromisso selado com o Pai.
·      “...ponde-as num vaso de barro...” - A melhor forma de se guardar documentos, na época, para evitar que se estragassem (recentemente foram encontradas escrituras originais da bíblia que foram preservadas por séculos em vasos de barro). O melhor lugar para guardarmos o nosso compromisso com o Senhor é no nosso coração: “escondi a tua Palavra no meu coração...”
·      “...para se conservar muitos dias;” - Por toda a eternidade.

CONCLUSÃO

            Apesar do momento de falência que o evangelho está vivendo em meio às muitas religiões, por não ouvirem a voz do Senhor, nós temos uma certeza de eternidade e por isso podemos investir a nossa vida nesta promessa.

Postado por @FaleComWallace
Leia Mais ››

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Eu, todavia, me não esquecerei de ti...



Isaías 49: 15, 16


INTRODUÇÃO

Depois do cativeiro babilônico, que durou 70 anos, o povo de Israel mergulhou num período conhecido como “silêncio profético”, pois nele o Senhor não falou com seu povo por aproximadamente 400 anos. Muitas coisas aconteceram em Israel nesta época; impérios se levantaram e caíram, o judaísmo se dividiu em várias facções, e diversas revoltas aconteceram na Terra Santa. Israel mergulhou nas trevas nestes quatro séculos, principalmente nos anos em que  o Império Romano dominou com mão de ferro o povo eleito.

Isaías profetizou a respeito deste período, principalmente com relação ao seu fim, pois o povo dizia: “Já me desamparou o Senhor, e o Senhor se esqueceu de mim”. Quando todos pensavam assim, o Senhor proclamou através da profecia de Isaías: “Exultai, ó céus, e alegra-te tu, terra, e vós, montes, estalai de júbilo, porque o Senhor consolou o seu povo, e dos seus aflitos se compadecerá”.


DESENVOLVIMENTO

Esta palavra foi proclamada em decorrência de outra profecia de Isaías 9:2, que diz: “O povo que andava em trevas viu grande luz, e aos que viviam na região da sombra da morte, resplandeceu-lhes a luz”.

Deus estava mostrando com isso, que não havia se esquecido do seu povo. De fato, suas palavras a seguir, mostram claramente isso: “Pode uma mulher esquecer-se tanto do filho que cria, que se não compadeça dele, do filho do seu ventre? Mas, ainda que esta se esquecesse, eu, todavia, me não esquecerei de ti. Eis que, na palma das minhas mãos, te tenho gravado; os teus muros estão continuamente perante mim”.

Nestas palavras Deus apresenta profeticamente a razão da sua eterna lembrança do seu povo. Ele mostra também a profundidade do seu amor, mostrando que ele é muito maior do que o amor de uma mãe por seu filho. Humanamente, não se conhece outra forma de expressão de amor maior do que o amor de uma mãe por seu filho que gerou, mas o Senhor diz que, ainda que uma mãe esqueça seu filho e deixe de amá-lo, Ele jamais faria isso. Deus nunca esquece o homem a quem ama.

Por que o Senhor diz isso? Por que Ele nunca esquece do homem que criou, mesmo sendo ele pecador? Ele mesmo responde: “Eis que, na palma das minhas mãos, te tenho gravado...”

Quando não queremos esquecer algo importante, escrevemos aquilo na palma da nossa mão, para que esteja sempre ao alcance e nos facilite a lembrança. Quando Deus determinou nunca esquecer do homem, Ele enviou o Senhor Jesus para morrer por ele na cruz. Nela o Senhor foi cravado, suas mãos foram feridas pelos cravos e marcadas por causa de cada um de nós. Ali, nas mãos do Senhor Jesus estavam os nossos nomes, pois foi por todos nós que Ele morreu. Os nomes de todos os homens e mulheres de todos os tempos foram gravados nas mãos de Jesus, pois Ele morreu por todos – II Co 4: 14.

CONCLUSÃO

Atualmente muitos vivem neste mundo na opressão, na angústia, sem esperança, pensando que Deus se esqueceu deles. No entanto, a profecia de Isaías serve para todos hoje em dia. Neste fim de tempos, mais do que nunca, o Senhor proclama que todos devem buscar seu lugar no Projeto de Salvação que Ele revelou quando enviou o seu Filho Unigênito para morrer na cruz.

Ali Deus deixou claro o seu amor e a sua eterna lembrança do homem que vive sofrendo neste mundo. Ele aponta para as mãos do Senhor Jesus, afirmando que estamos gravados nelas para a salvação e a vida eterna, bastando para isso o nosso reconhecimento pela fé e a nossa entrega. Quando alguém percebe tudo isso e crê em Jesus, os céus exultam, e os montes eternos estalam de júbilo, por um pecador que se arrepende.


O Senhor também menciona o muros de Jerusalém, que estão continuamente perante Ele. Esta Jerusalém é a Celestial, pois no seu amor e na sua lembrança, o Senhor preparou um Tabernáculo para nele habitar eternamente com os homem – Ap 21: 3.
Leia Mais ››

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Eis que eu a atrairei ao deserto...


Oséias 2: 14-23


INTRODUÇÃO

            A Palavra de Deus afirma que o homem sem Jesus no coração é como ovelha que não tem pastor. Ele vive desorientado e confuso, sem esperança e numa situação de vítima constante do inimigo, que o mantém debaixo da escravidão do pecado, da idolatria, dos vícios, etc. O pior de tudo isso, é que o homem não percebe sua situação e pensa que está tudo bem. Mas no fundo ele é infeliz, inseguro  e vive envolvido pela angústia, sem perceber que há um outro modo de vida muito melhor, onde a paz e segurança são constantes. O homem natural, que tem vivido estas coisas, nunca está disposto a ouvir a voz de Deus, pois ele é insensível e não sabe que o Senhor está interessado em falar-lhe ao coração.
            A graça de Deus opera na vida do homem de várias maneiras. O Senhor usa diversos meios para atrair o homem à sua presença. Há muitos que só se lembram do Senhor quando surgem as adversidades, as lutas, as enfermidades, as tragédias repentinas. É nestas horas que o coração de muitos se quebranta e Deus aproveita para revelar o seu projeto e o seu imenso amor.

DESENVOLVIMENTO

... eis que eu a atrairei, e a levarei para o deserto, e lhe falarei ao coração – O Senhor permite certas situações dolorosas na vida das pessoas, porque é justamente nestas ocasiões que seus corações amolecem e elas se dispõem a ouvir o conselho do Senhor. A coisa que o Senhor mais deseja conquistar é o coração do homem – “filho meu, dá-me o teu coração”. O Senhor deseja revelar o seu amor, a sua misericórdia e a sua intenção em salvar a vida do homem, justamente na hora da tribulação, pois quando tudo ia aparentemente bem seu Nome não era lembrado.

... e lhe darei as suas vinhas dali, e o vale de Acor, por porta de esperança: e ali cantará – A vinha representa a igreja, e é para ela que o Senhor encaminha a pessoa angustiada. Na igreja o Espírito Santo revela a “Porta de Esperança”, que é o Senhor Jesus, retirando a maldição – Vale de Acor – da vida da pessoa. A obra que o Senhor opera na pessoa, transforma seu coração e a desperta para o louvor ao Senhor e para a verdadeira adoração.

... e me chamarás meu marido; e não me chamarás mais meu Baal – A idolatria é uma forma de infidelidade ao Senhor, pois a pessoa substitui o verdadeiro Deus por outro deus. Baal representa todo tipo de idolatria e infidelidade ao Senhor existente na vida do homem. Através da revelação de Jesus, o Espírito Santo liberta o homem das trevas e o faz perceber que precisa manter um relacionamento de fidelidade, amor e dependência do Senhor (a figura do marido). A partir daí, o coração do homem é purificado de tal maneira que o nome dos ídolos é retirado até dos seus lábios.

... e desposar-te-ei comigo para sempre – A aliança do Senhor com o homem é eterna, e o relacionamento é de íntima comunhão. É um concerto firmado na justiça, no juízo, em benignidade, em misericórdia e em fidelidade. O Senhor se faz conhecido num relacionamento assim.

CONCLUSÃO

... e compadecer-me-ei de Lo-Ruama, e a Lo-Ami direi: Tu és meu povo – Lo-Ruama significa desfavorecida,e Lo-Ami quer dizer não meu povo. Estas palavras representam as condições espirituais do homem antes de conhecer ao Senhor; Ele era desfavorecido e estava fora do arraial dos santos do Senhor. Mas a mão do Senhor alcança o homem e transforma toda a situação em que se encontra, trazendo-o das trevas para sua maravilhosa luz (I Pe 2: 9, 10)


Leia Mais ››

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Este vale se encherá...



II Reis 3: 22, 23


            INTRODUÇÃO

            Após a morte de Acabe, Jorão, seu filho, assumiu o reino de Israel em seu lugar. Naquele tempo, Mesa, o rei dos moabitas, que era criador de gado e pagava impostos a Israel, se revoltou e deixou de pagar os tributos.
           
            DESENVOLVIMENTO

            Os reis de Israel, Judá e Edom, baseados na sua razão, se uniram como um só exército para combater o rei dos moabitas, mas no meio da caminhada, a sede e a fome se estabeleceram e eles se viram em grande dificuldade. As religiões se unem muitas vezes, como um corpo só, mas sem revelação, e procuram enfrentar o inimigo, e no final as dificuldades surgem (a sede e a fome) pela falta da Palavra revelada.

            Josafá, rei de Judá, buscou um profeta do Senhor para saber sua vontade e encontra Eliseu em sua casa. Em consideração ao rei Josafá, o profeta pediu um tangedor e em meio ao louvor veio a revelação e a orientação do Senhor.

Fazei neste vale muitas covas... - Em meio às dificuldades, devemos buscar o Senhor com humildade, orações e jejuns. Cavar muitas covas significa descer àquilo que está no profundo, buscar com fé o livramento que está fora do alcance dos olhos.

Não vereis vento e não vereis chuvas... - A bênção do Senhor depende da nossa fé, e não das circunstâncias e das coisas aparentes. A verdadeira fé não depende de evidências exteriores, mas ela contempla aquilo que é invisível.

Este vale se encherá de tanta água... - Quando o Senhor opera, Ele derrama uma bênção abundante sobre aquele que espera nele. O Espírito Santo transborda no coração do servo que confia no Senhor.

E entregará Moabe nas vossas mãos - O resultado final da confiança é a derrota do inimigo e a solução dos problemas e dificuldades. A Obra do Senhor tem como propósito, não a solução parcial da dificuldade, mas a eliminação total do problema e de suas causas.

            CONCLUSÃO

            Pela manhã, o exército dos moabitas viram as águas do vale avermelhadas como sangue, por causa do reflexo do sol nascente, e pensaram que era o sangue dos reis de Israel, Judá e Edom que haviam se matado, e quando se aproximaram, foram surpreendidos pelos exércitos confederados e foram mortos ao fio da espada.

            O poder do Sangue de Jesus é quem nos dá a vitória diante do inimigo. Quando clamamos pelo poder do Sangue de Jesus, somos atendidos e o Senhor sai para desbaratar os exércitos adversários.
Leia Mais ››

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Este é o caminho, andai nele...


Isaías 30: 21


            INTRODUÇÃO

            A Palavra de Deus traz muitas referências acerca do Caminho.

            O que vem a ser um caminho? O caminho na Bíblia aponta para a vida, para a forma de viver e de caminhar, é a maneira como a pessoa vive. Quando a Palavra diz: “Confia no Senhor de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento, reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele aplainará as tuas veredas...”, ela está querendo dizer que o homem não deve viver segundo a sua razão, mas segundo a orientação do Senhor, e segundo a sua Palavra.

            DESENVOLVIMENTO

            Todo caminho liga ou une dois pontos ou dois lugares. Se isso não acontece, existe alguma coisa errada com esse caminho e, provavelmente, ninguém vai querer passar por ele, visto que não leva a lugar algum. Se alguém está trilhando um caminho, e não sabe para onde ele o está levando, deve tomar duas providências: tentar descobrir para onde está indo, ou abandonar este caminho e buscar outro que conduza a um lugar seguro. 

            Quando olhamos para a vida de muitas pessoas hoje em dia, percebemos que elas estão perdidas, sem orientação e sem rumo; pois não sabem de onde vêm nem para onde estão indo. Os caminhos por onde trafegam as suas vidas não têm um destino claro e definido.

            A Bíblia diz que “todos os caminhos parecem bons aos olhos dos homens, mas muitos deles levam à morte”. Será que o caminho de alguém que está aqui é um desses caminhos? Como descobrir se um caminho conduz à vida ou à morte?

            É uma dura realidade, mas o fato é que muitos não conhecem o verdadeiro Caminho da Vida. A Palavra de Deus nos aponta claramente este Caminho. O Senhor tem falado aos ouvidos de muitos; Ele está por “detrás” de muitos que não O têm à sua frente, falando e mostrando o Caminho - “Este é o Caminho, andai nele, sem vos desviardes para a direita, nem para a esquerda”.

            Este Caminho é o Senhor Jesus. Ele é o Caminho, a Verdade e a Vida, e ninguém vai ao Pai a não ser por Ele. Jesus é o Caminho que une o homem ao Pai e à Vida Eterna. Quando alguém conhece Jesus e entra no Caminho, já não está mais perdido, pois encontrou o rumo e a direção da Eternidade.

            CONCLUSÃO

            O Senhor se revela neste Caminho, mostrando ao homem a sua origem e o seu destino, que é a eternidade. Quando o homem o encontra, ouve a exortação: “Não vos desvieis para a direita nem para a esquerda”.

            Este Caminho é a Obra que Deus tem revelado hoje, para que andemos nele. O homem natural não o entende e não o conhece, pois ele é trilhado por meio da fé. Ele é para aqueles que tiveram seus olhos abertos pelo Espírito Santo, e que não andam mais segundo a razão e a carne, mas segundo o Espírito.         
Leia Mais ››

domingo, 22 de janeiro de 2017

Esta enfermidade não é para morte...


João 11: 3, 4 


INTRODUÇÃO


Sempre que se encontrava nas imediações de Jerusalém, o Senhor Jesus sempre era recebido na casa de uma família de Betânia, aldeia que ficava a 2,5 km de Jerusalém, e lá se hospedava. Era a casa de Lázaro, Marta e Maria.

Certo dia, quando se encontrava no norte de Israel, na Galiléia, mandaram-lhe dizer as irmãs de Lázaro, que o mesmo estava gravemente enfermo, e que o Senhor fosse à sua casa para cura-lo. Jesus amava a Marta, e a sua irmã, e a Lázaro. Ouvindo pois que estava enfermo, disse: “Esta enfermidade não é para morte, mas para glória de Deus; para que o Filho de Deus seja glorificado por ela”, e ficou ainda dois dias no lugar onde estava.


          DESENVOLVIMENTO

            Depois disto, disse aos seus discípulos: Vamos outra vez para a Judéia. Assim falou; e depois disse-lhes: Lázaro, o nosso amigo, dorme, mas vou despertá-lo do sono. Disseram-lhe os seus discípulos: Senhor, se dorme, estará salvo. Então Jesus disse-lhes claramente: “Lázaro está morto; E folgo, por amor de vós, de que eu lá não estivesse, para que acrediteis: mas vamos ter com ele.”

Chegando pois Jesus, achou que já havia quatro dias que estava na sepultura. Muitos vizinhos e amigos tinham ido consolar a Marta e a Maria, e estavam na sua casa  quando Jesus chegou. Havia tristeza no coração de todos, e no coração das irmãs de Lázaro um misto de tristeza e decepção. Elas certamente estavam sem entender por que Jesus não as atendeu de imediato, quando avisaram que Lázaro estava muito doente e precisando da ajuda do Senhor. Elas estavam decepcionadas com Jesus, pois não entendiam como alguém que as amava tanto, deixou de atender ao seu pedido, o que levou seu amado irmão à morte.

A pergunta que não queria calar nos seus corações era: Por que Jesus fez isso? Por que Ele não nos atendeu como lhe pedimos? Havia muita decepção no coração de Marta quando disse a Jesus: “Senhor, se tu estivesses aqui, meu irmão não teria morrido”. Essa palavra soou como um “agora é tarde demais; o Senhor demorou muito a agir, as coisas se complicaram e agora nada mais pode ser feito; Se o Senhor tivesse chegado enquanto Lázaro estava vivo, poderia curá-lo, mas agora que está morto é muito tarde...” Mas Jesus lhe disse: “Teu irmão há de ressuscitar”. Disse-lhe mais: “Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá; E todo aquele que vive, e crê em mim, nunca morrerá. Crês tu isso?”

A reação de Marta e Maria diante do grave problema que envolveu suas vidas é a mesma que nós assumimos hoje em dia também. Quando uma situação adversa nos envolve, nós recorremos ao Senhor, pedindo que nos atenda imediatamente e resolva aquela situação, pois as coisas podem se complicar e ficar sem solução. Na visão de Marta e Maria, Jesus tinha que vir logo e curar seu irmão, antes que sua enfermidade se agravasse.

Essa tendência de querer que tudo seja resolvido de imediato é natural na vida da maioria das pessoas. Nós somos muito “imediatistas”, e não somos capazes de imaginar que Deus tem outros planos para nós naquilo que estamos passando. Nós só pensamos na nossa situação, e não na situação de Deus. Pensamos nos nossos interesses e não nos do Senhor. Não paramos para pensar se o Senhor não tem um outro propósito, quando demora a nos atender naquilo que pedimos.
Foi isso que aconteceu no caso da enfermidade de Lázaro. Marta e Maria queriam que Jesus curasse seu irmão imediatamente, mas Jesus queria fazer algo muito maior. Quando Ele disse: “Lázaro está morto; E folgo, por amor de vós, de que eu lá não estivesse, para que acrediteis: mas vamos ter com ele.”, Ele deixou claro que ficou ainda dois dias onde se encontrava, de propósito, para que Lázaro morresse e Ele pudesse realizar algo muito mais glorioso que uma simples cura, que foi a sua ressurreição.

Vejamos o seguinte ponto: Se Jesus tivesse atendido ao pedido de socorro de Marta e Maria, como elas queriam, Ele iria chegar na sua casa, iria dar uma ordem e Lázaro seria curado. Aquela família de três pessoas receberia uma bênção e ficaria muito grata ao Senhor. Mas isso não lhes traria salvação, pois eles já eram salvos e conheciam ao Senhor. Mas... E os vizinhos e amigos, os judeus que moravam na aldeia de Betânia, que precisavam de salvação e vida eterna, como eles ficariam se Jesus tivesse atendido ao pedido de Marta e Maria? Certamente, poucos tomariam conhecimento da cura de Lázaro, e talvez nem acreditassem no testemunho deles.


CONCLUSÃO


Quando Jesus falou com Maria e a viu chorar, chorando também os judeus que com ela vinham, moveu-se muito em espírito, e perturbou-se. E disse: Onde o pusestes? Disseram-lhe: Senhor, vem e vê. Jesus chorou.

Como somos duros e nos enganamos a respeito dos sentimentos do Senhor Jesus para conosco. Às vezes pensamos que Ele não se preocupa com aquilo que lhe pedimos, e o julgamos mal, sem saber que Ele está comovido no seu Espírito pela nossa situação. Às vezes choramos e pensamos que o Senhor está insensível às nossas lágrimas, mas ele está chorando conosco, e se preparando para operar de forma maravilhosa nas nossas vidas, nos dando muito além do que lhe pedimos.

Quando Jesus chegou diante do sepulcro de Lázaro, este já estava morto a quatro dias. Humanamente nada mais poderia ser feito, mas quem estava ali era o Senhor da Vida, aquele que venceu a morte e todos os nossos inimigos. Mas alguns objetaram: Não podia ele, que abriu os olhos ao cego, fazer que este não morresse? Jesus, agitando-se novamente em si mesmo, encaminhou-se para o túmulo; era este uma gruta a cuja entrada tinham posto uma pedra. Então, ordenou Jesus: “Tirai a pedra”. Disse-lhe Marta, irmã do morto: Senhor, já cheira mal, porque já é de quatro dias. Respondeu-lhe Jesus: “Não te disse eu que, se creres, verás a glória de Deus? “  Tiraram, então, a pedra. E Jesus, levantando os olhos para o céu, disse: “Pai, graças te dou porque me ouviste.  Aliás, eu sabia que sempre me ouves, mas assim falei por causa da multidão presente, para que creiam que tu me enviaste”. E, tendo dito isto, clamou em alta voz: “Lázaro, vem para fora!”. E o defunto saiu, tendo as mãos e os pés ligados com faixas, e o seu rosto envolto num lenço. Disse-lhes Jesus: “Desligai-o, e deixai-o ir.”

Muitos, pois, dentre os judeus que tinham vindo visitar Maria, vendo o que fizera Jesus, creram nele.

Foi aí que todos entenderam o porque de Jesus não ter atendido a Marta e a Maria quando Lázaro estava enfermo. Jesus tinha um projeto muito mais glorioso na vida de Lázaro, de suas irmãs e de todos da aldeia de Betânia... E por que não dizer, na vida de todos nós hoje em dia também, pois essa experiência nos ensina a descansar em meio às lutas e provações, na certeza de que o Senhor, que nos ama, cuidará para que o seu propósito se cumpra integralmente na nossa vida e na vida dos que nos cercam. Os homens buscam cura, mas o Senhor quer lhes dar vida eterna.

A Palavra diz: “Ora, àquele que é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos, conforme o seu poder que opera em nós, a ele seja a glória, na igreja e em Cristo Jesus, por todas as gerações, para todo o sempre. Amém!” - Efésios 3:20. 
Leia Mais ››

SOCIAL MEDIA


Wallace Oliveira Cruz

MARCADORES