PROCLAMANDO A VOLTA DO SENHOR JESUS!




"E o Espírito e a esposa dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede, venha; e quem quiser, tome de graça da água da vida” -Apocalipse 22:17



sábado, 8 de abril de 2017

O pedido dos filhos de Zebedeu


Marcos 10: 35-40


            INTRODUÇÃO

               Certo dia, os filhos de Zebedeu, Tiago e João, fizeram um pedido ao Senhor Jesus, para que Ele lhes concedesse, na sua Glória Celestial, assentarem-se um à sua direita e o outro à sua esquerda. O pedido poderia ser interpretado como um desejo sincero de estar perto do Senhor na eternidade, no entanto, o Senhor lhes disse: “Não sabeis o que pedis...”
               Na verdade, Jesus percebeu que o que existia no coração daqueles dois discípulos, não passava de simples vaidade e desejo de se destacarem diante dos demais. Por isso o Senhor lhes disse que somente ao Pai competia determinar quem sentaria à sua direita ou à sua esquerda. Depois Jesus lhes fez uma pergunta, se eles poderiam “beber o cálice que Ele beberia e ser batizados com o batismo com que seria batizado”.

               DESENVOLVIMENTO

               Muitos servos se preocupam demasiadamente com cargos, títulos e posições na Obra do Senhor. Lutam desesperadamente para alcançar um título que os destaque, como um diaconato, participação no grupo de intercessão, no grupo de louvor, de senhoras, etc. Pensam que só poderão servir ao Senhor e realizar a Obra se tiverem algum título ou cargo. Não que seja errado desejar crescer na Obra, mas o que acontece com muitos é que fazem isso com o desejo de satisfazer a sua vaidade pessoal, e não agradar ao Senhor.
               Existem situações mais graves, onde a pessoa até se oprime na ânsia de alcançar uma posição elevada. Algumas vezes Jesus encontrou os seus discípulos brigando por esse motivo. O Senhor dá funções e responsabilidades a quem quer e quando quer, conforme a sua vontade, e geralmente a pessoa escolhida é aquela que ninguém imaginava. Vejamos os exemplos de Davi, Gideão, Paulo, etc.
               Participar da Obra não é simplesmente ocupar um cargo ou obter um título, mas é experimentar aquilo que o Senhor Jesus ofereceu aos dois irmãos, Tiago e João:

Beber o cálice que Jesus bebeu - No Getsêmani o Senhor orou ao Pai, que se possível fosse, afastasse dele aquele cálice. O que representava o cálice que Jesus iria beber? Ele representava tudo que Jesus passou para realizar a Obra de Deus. A obediência, o sofrimento, as humilhações, a rejeição, o desprezo, a dor, as provações, perseguições e tudo aquilo que o Senhor experimentou em toda a sua vida. Todos os servos que realizaram a Obra verdadeiramente, passaram por essas coisas. Beber o cálice é viver na Revelação, é diminuir para que o Senhor cresça, é pagar o preço da renúncia e da consagração da vida ao serviço do Senhor. Para experimentar isso tudo, não é necessário ter cargos e posições, basta testemunhar que é servo do Senhor e pronto.

Ser batizado com o batismo de Jesus - O batismo fala da morte e ressurreição de Jesus, e essa deve ser a mesma experiência daqueles que confessam o seu Nome. Ser batizado com o batismo de Jesus, significa morrer para o mundo e o pecado, para viver em novidade de vida com o Senhor Jesus, e ser identificado com Ele a cada dia. Todos os que se abstiveram dos prazeres mundanos e pecaminosos, que negaram a si mesmos, e carregaram a cruz do Senhor Jesus, realizaram a sua vontade e a sua Obra.

               CONCLUSÃO

               Todos aqueles que estão bebendo o cálice e identificados com o batismo de Jesus, estão à sua direita e à sua esquerda, independente mente de cargos, títulos e posições.
               A religião busca a pompa e a aparência; procura dar destaque aos seus líderes, cercando-os de luxo e misticismo, coloca-os em tronos e dá-lhes o título de infalíveis e intocáveis. Mas a Obra do Senhor não possui destaques ou líderes em evidência, e somente Jesus é destacado, pois só Ele é Senhor e Rei.

            

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e e-mail válido).

SOCIAL MEDIA


Wallace Oliveira Cruz

MARCADORES