"O despertar do espírito do homem"

00:00 0 Comments A+ a-



INTRODUÇÃO

·      O objetivo de Deus, quando fez o homem foi que este fosse governado pelo Espírito Santo
·      Quando Deus soprou o seu Espírito nas narinas do homem, Ele deu vida ao corpo, criando a alma
·      A alma é um intermediário entre o espírito e o corpo
·      Quando o homem peca, o espírito fica mortificado e o homem passa a ser governado pela alma e pela carne
·      espírito do homem - pode ter comunhão com o Espírito de Deus
·      alma: (psiquê) personalidade, vontade, sentimentos.
·      carne: pecado

DESENVOLVOMENTO

·     O objetivo da Obra, é “acordar” o espírito do homem para ter contato novamente com Deus
·     O espírito estava adormecido, morto. A este acordar do espírito do homem dá-se o nome de Novo Nascimento. É o renascimento do espírito do homem
·     Daí inicia-se todo o processo de amadurecimento, desde os passos iniciais até o crescimento e desenvolvimento na Obra.
·     O espírito do homem não tem autonomia própria. Ele precisa do Espírito Santo para conduzi-lo (é como um carro sem combustível)
                        Ex. Pedro: “Quando eras mais moço, cingia-te a ti mesmo, mas...”
                               Paulo: “Vivo, não eu, mas Cristo vive em mim...”
·     Ezequiel - o Senhor mostra o processar da Obra do Espírito Santo na vida do homem
·     O caminhar do servo é em direção ao oriente: nascer do sol, luz, revelação.
·     As 4 fases:

1a FASE: Água nos artelhos
·     Os pés são lavados - purificação dos pecados e das coisas deste mundo - purificação dos caminhos tortuosos do homem
·     Pouca profundidade - primeiros passos na obra, o novo convertido
·     Muita liberdade - para agir como quer
·     Não se pode exigir nada do servo nesta etapa, pois por muito pouco ele pode voltar para a margem.
·     Nesta fase a pessoa está governada pela sua vontade
·     Ainda não há verdadeira disposição em servir ao Senhor
            2a. FASE: Água nos joelhos
·     Joelhos - Oração (experiências com a oração)
·     Madrugadas
·     Humildade
·     O servo começa a ter o entendimento de que é o Senhor quem governa a sua vida
·     Começa a haver o entendimento da Revelação
·     Diminui a liberdade de se mover - o servo começa a entender a submissão ao Senhor
            3a. FASE: Água nos lombos
·     Atinge o coração do homem que começa a ser envolvido pela Obra
·     “...de todas as coisas, guarda o teu coração...”
·     Começa a haver um grande desejo de se envolver com a Obra do Senhor
·     Domínio do Espírito Santo sobre a vontade do homem
·     Amadurecimento do servo nas profundezas do Espírito Santo
·     Os sentimentos e as vontades estão nas mãos do Senhor
·     “...cada um tome a sua cruz...” - sobre os lombos
·     Nesta fase, o servo começa a suportar as provações
            4a. FASE: Águas profundas
·     Envolvimento total
·     Os pés não tocam mais o chão
·     O Espírito Santo tem o domínio total sobre o homem
·     Até mesmo a razão do homem está sob o envolvimento do Espírito Santo - “...a mente de Cristo...”
           
·     Mil côvados - a medida do Espírito Santo de acordo com a condição de cada um


CONCLUSÃO

Em que fase estamos?  

Obs: Quando este estudo foi trazido, utilizou-se o recurso do desenho, conforme modelo apresentado, que ia sendo completo na medida que se apresentavam as fases. 

AVISO: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e e-mail válido).