O amigo importuno 2

00:00 0 Comments A+ a-


Lucas 11: 5-8

            INTRODUÇÃO

Na época do Novo Testamento e na no tempo de Jesus, as pessoas que viajavam, costumavam pousar nas casas dos seus amigos. A chegada destes viajantes era quase sempre de surpresa e nas horas mais imprevistas. Para um bom judeu não havia situação mais constrangedora do que receber um amigo em casa e não ter o que lhe oferecer, pois as pessoas geralmente chegavam cansadas e famintas, de modo que eram uma grande vergonha passar por uma situação como essa.

            DESENVOLVIMENTO

O Senhor Jesus fala de um homem que recebeu em sua casa, à meia-noite, um amigo vindo de viagem, e o mesmo não tinha nada para lhe oferecer. Por isso foi bater na casa de seu vizinho para pedir três pães, para alimentar seu amigo recém-chegado.

Esta parábola fala do momento profético que estamos vivendo nesta hora. A meia-noite aponta para a hora de densas trevas por que passa esse mundo atualmente. Muitos estão neste momento caminhando de um lugar para outro, como que viajando em busca de seu destino, cansados e famintos, procurando um lugar para repousar. Muitos têm entrado nas igrejas em busca de amigos que lhe ofereçam aquilo que necessitam para suprir suas necessidades espirituais. Quão embaraçosa será a situação, se recebermos uma dessas pessoas nas nossas igrejas e não tivermos PÃO para lhe oferecer. O que será de nós se as pessoas baterem na nossa porta, a qualquer hora do dia ou da noite, e não tivermos aquilo que elas precisam para suas almas?

O Senhor tem nos falado insistentemente a respeito de ASSISTÊNCIA nestes dias de tanta necessidade. Muitas pessoas têm se decepcionado com muitas coisas que estão acontecendo no meio dito “evangélico”. Muitos têm sido “saqueados” ao invés de atendidos, e sua esperança tem se esvaído. Por isso nós precisamos estar preparados para socorrer estes “viajantes” quando baterem na nossa porta.

Precisamos ser a igreja que está pronta para atender a qualquer hora. Precisamos ter os três PÃES, pois eles falam do alimento completo, da Palavra Revelada pela Trindade. A igreja nesta hora precisa estar vivendo uma experiência verdadeira e profunda com o Senhor Jesus; ela precisa estar em comunhão e vivendo em obediência ao seu Espírito Santo, para que possa ter o que oferecer àqueles que a buscam nesta hora de escuridão espiritual.

A igreja precisa viver diariamente a experiência do Culto Revelado, pois grande será o prejuízo se o visitante entrar na igreja, e após o final do culto, sair sem nada receber. Deus quer alcançar o coração necessitado através do louvor revelado, da mensagem revelada, e dos sinais e dons espirituais que falam da vida e da situação que o visitante está passando.

            CONCLUSÃO

Se não estivermos vivendo esta experiência, ou se não tivermos o suficiente para atender ao necessitado que bate na nossa porta, então só nos resta uma saída: bater na porta do nosso amigo.

Bater na Porta do Amigo é ir à presença do Pai (o Amigo), e através do Filho (a Porta), pedir a sua ajuda para que nos dê Três Pães (a Palavra Revelada pela Trindade, o alimento completo), a fim de que possamos atender àqueles que chegam na nossa igreja.

O Senhor não se sente importunado quando batemos na sua porta, mas Ele mesmo nos manda insistir em bater, pois o segredo do receber está no insistir no pedir, e não simplesmente no pedir (Tg 4: 2).



AVISO: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e e-mail válido).