PROCLAMANDO A VOLTA DO SENHOR JESUS!




"E o Espírito e a esposa dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede, venha; e quem quiser, tome de graça da água da vida” -Apocalipse 22:17



quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Jesus - O Carpinteiro


 Marcos 6:1-6


            A Palavra do Senhor nesta noite nos fala de uma cena acontecida nas cercanias de Nazaré, no ministério de Jesus. Durante o seu ministério de três anos e meio de duração, o Senhor Jesus estava sempre em deslocamento constante dentro da terra de Israel. Israel é um país, até nos dias de hoje, muito pequeno, muito limitado geograficamente, e o Senhor Jesus jamais saiu da terra de Israel, sempre esteve por ali mesmo, com duas pequenas exceções, quando era pequeno, criança ainda de colo, saiu em fuga com seus pais e foi até o Egito, para ali permanecer por um curto período de tempo, para em seguida voltar. Esta foi a primeira vez que Jesus saiu de Israel. A segunda vez foi quando Ele se dirigiu às cidades de Tiro e Sidom, que ficam ao norte de Israel, sendo estas as únicas vezes em que Jesus saiu de sua pátria natal.

            Até nos dias de hoje Israel continua  com os seus limites geográficos também  pequenos e estreitos. O Senhor Jesus no seu  ministério portanto ele ocorre, nós podemos nos guiar por preferência bíblica, o Senhor Jesus, ele passou os trinta primeiros anos  da sua vida como um ilustre desconhecido, ninguém conhecia Jesus, porque ele não fez nada extraordinário, nem nada excepcional, nenhum milagre , não viveu extraordinariamente, a sua vida foi uma vida modesta, simples. Ele era galileu. O aspecto de Jesus era de Galileu, uma vez que aquele que lhe foi dado por Pai aqui na terra, na verdade era apenas um tutor, porque o Senhor Jesus foi gerado por obra e graça do Espírito Santo, portanto as características  físicas dele, eram de Maria, que era galiléia. Maria era da Galiléia e José era da Judéia e o Senhor Jesus tinha aspecto físico  de galileu. Ele não tinha nada a ver com o aspecto físico dos judeus, aqueles que habitavam na região da Judéia.

            Tudo isso nos trás muita informação nestes 30 anos em que Jesus viveu como um carpinteiro galileu. Uma pergunta que é revestida de muita importância para nós que estudamos à Palavra de Deus, é o fato da vida de Jesus ter sido totalmente revelada, isto é, ele não deu um passo sequer sem a aprovação  do Pai que estava no céu. Certa vez, chamado para ir à festa em Jerusalém, ele disse: “Vocês podem ir, porque o vosso tempo sempre é chegado, mas o meu nem sempre. Podeis ir”. E depois ele foi encontrado lá na festa porque ele foi na hora  revelada para ir a Jerusalém. E nas suas andanças nesses 30 anos, ou seja, nas suas andanças nesses 3 anos, porque nos trinta anos iniciais  ele esteve apenas  habitando em Israel, ele nasceu em Belém, passou a sua infância até a sua fase adulta em Nazaré e depois a sua residência transferiu-se para Cafarnaum, que é uma cidade que fica bem ao lado do mar da Galiléia, e existe até hoje.

            Mas durante o período que ele esteve morando em Nazaré, um fato que marcou muito foi a profissão que Deus Pai lhe concedeu aqui na terra – e vem a nossa pergunta: Qual seria o motivo pelo qual Deus Pai escolheu esta profissão para o seu Filho Jesus. Jesus poderia ter sido em Israel muitas outras coisas. Poderia ter sido médico ou engenheiro, ou um doutor da lei, talvez ele pudesse ser ourives, ou oleiro, ou especialista em outras  coisas diversas, mas a profissão dele foi carpinteiro e ele era conhecido como tal. Muito embora  ele tivesse  vivido  ao oculto, ou seja, desconhecido totalmente durante 30 anos, ele tinha a sua profissão e o Jesus que as  páginas  do evangelho nos revelam , ou os profetas  do Velho Testamento falam a respeito, não tem nada a ver com o  Jesus que é apresentado hoje pelos artistas, o Jesus das telas , o Jesus das imagens , das estátuas, o Jesus dos afrescos, o Jesus que está estampado em todos os  lugares . O Jesus revelado pela boca dos profetas inspirados por Deus Pai, é um Jesus completamente diferente do que está retratado por muitas paredes e em diversos lugares. É o Jesus Galileu que não é o galã de cabelos loiros  e olhos azuis, nem tinha 1,95 de altura, nem tinha essa aparência  frágil que é apresentada hoje. O Jesus que a escritura revela é o  Jesus carpinteiro, ele era conhecido como  tal. Depois que ele começou  o seu ministério público, ou seja, depois que ele começou a ser conhecido, em  todas as cercanias de Israel e até nos países vizinhos , quem olhava para ele dizia: Não é este  o carpinteiro? Esse foi o adjetivo de que qualificaram. Jesus quando ele entrou em Nazaré, a cidade onde, ele havia sido criado, ele era bem conhecido ali. É por isso que quando as pessoas olharam e viram que ele ensinava... o ensino dele era incontestável, as perguntas que eram feitas  a ele, eram as perguntas mais difíceis, capciosas, complexas, verdadeiras armadilhas feitas pelos religiosos. Certa vez perguntaram a ele: “Mestre, é lícito pagar tributo a César?” ele estava na nossa expressão: um beco sem saída, porque se ele dissesse que era lícito ele estava contra os judeus e a favor dos romanos, era uma brecha.  E se ele dissesse que não era lícito, ele estava contra os romanos. Era o adversário contra ele, e ele disse: “alguém tem uma moeda? Temos sim . Me dá lá essa moeda. De quem é essa cara aqui? César. Então dá a César o que é de César e a Deus o que é de Deus, o meu reino não é deste mundo. As perguntas e respostas eram assim, e eles ficaram impressionados de como ele ensinava com tanta autoridade e com tanto poder. É por isso que perguntaram: “Não é esse o carpinteiro? Donde pois lhe vem esta sabedoria? E onde foi que ele aprendeu letras?” Sabendo que um carpinteiro é iletrado.

            A carpintaria funcionava  lá em Nazaré , cidade pequena , e quem quisesse encomendas para fazer para este trabalho artesanal, quem quisesse uma encomenda  feita de maneira  correta, podia ir lá na carpintaria de Nazaré de José e depois dirigida por Jesus, o carpinteiro. Quem quisesse um preço certo era lá, quem quisesse encomenda entregue na hora marcada era lá, quem quisesse ver um olhar extraordinário era lá. Olhar do carpinteiro de Nazaré. Ali ele aprendeu muita coisa . Jesus aprendeu como todos nós aprendemos. Desde menino indo à sinagoga, aprendeu a ler, aprendeu a escrever, aprendeu a conhecer gente. Há pessoas que não gostam de rotina , acham enfadonha a vida de rotina, e alguém pode dizer: Eu estou enjoado desse tipo de vida , eu só faço isso! Acordo de manhã, vou pra Faculdade, volto da Faculdade, venho para casa e de casa vou a tal lugar e volto e de manhã cedo café da manhã, Faculdade ... que rotina! Jesus também tinha uma rotina  e ele nunca reclamou dela , porque nessa rotina ele aprendeu muita coisa, ele aprendeu a conhecer gente. Nós podemos imaginá-lo menino, ainda na carpintaria, aprendendo com José e passar um homem com a espada do lado e dizer: Papai! Que homem é aquele?  E o Pai diz: Meu filho, aquele é um oficial do exército romano, o povo que invadiu Israel e porque ele comanda 100 soldados, ele é chamado de centurião , porque comanda 100. Aprendeu uma coisa. Papai, o que é aquele homem ali que anda com roupas  todas cheias de versículos da Torá, o livro Sagrado? Meu filho, aquele  é um fariseu. E aquele outro Pai? Aquele é um saduceu. E esse aqui? Esse é um zelote. Que é zelote papai? Zeloti, meu filho, é um homem que pertence a um partido político aqui em Israel. E aquele ali? Olha, bom! Aquele ali tome cuidado porque ele é um assaltante, pertence a um bando cujo comandante é um homem perigosíssimo , chamado Barrabás. E Jesus aprendeu assim  a conhecer gente , a conhecer pessoas, a conhecer classes e sobretudo ele aprendeu a conhecer madeira, ele aprendeu no ofício, ele aprendeu a ser um bom carpinteiro, era na verdade uma profissão muito modesta , muito simples e humilde , mas ela é cheia de ensinamento para nós, graças a Deus que a profissão de Jesus  foi ser carpinteiro.

            Um dia a carpintaria de Nazaré cerrou as suas portas . E alguém podia procurar e perguntar: Mas onde é que está o carpinteiro? Desapareceu? Mas a Bíblia mostra que  ele havia deixado o alto de Nazaré  e foi para a Judéia, porque ele sabia que estava na hora de começar o seu ministério público. A carpintaria de Nazaré fechou as suas portas  e ele desceu para a Judéia para encontrar com um outro homem, um profeta extraordinário chamado João Batista, que estava às margens do Rio Jordão, nas cercanias de Jerusalém , e ali João Batista pregava , exortava, ensinava, doutrinava a respeito do reino, quando muitos escribas e fariseus, saduceus, desciam para ser batizados nas águas e eles que de repente apareceu Jesus, o carpinteiro de Nazaré, desceu  lá do alto da Galiléia e encostou ali às margens  do Rio Jordão, e João Batista estende as suas mãos por revelação e diz: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo”. A carpintaria de Nazaré fechou as suas portas, mas estava sendo inaugurada naquela hora  a maior  de todas as carpintarias do Universo, porque Jesus deixou  de trabalhar com madeira para trabalhar com o homem. É por isso que a bíblia mostra que a madeira  é um símbolo perfeito do homem. Foi por isso que Jesus foi carpinteiro, porque da mesma maneira que ele conhecia madeira , ele conhecia também o nosso coração. Do mesmo modo que existem madeiras diferentes, também existem homens diferentes. Nós somos diferentes. Como existe peroba, jacarandá, imbuia, mogno, pinho, farinha seca, pau ferro, jequitibá, ipê roxo, ipê amarelo, madeira de todo o tipo, nós também somos classificados  assim diante de Jesus. E a coisa impressionante é que Jesus como carpinteiro ele é o único poderoso para transformar a madeira natural em  madeira especial. Jesus é o único capaz de transformar o homem natural em homem espiritual. Tem que passar na mão dele. Se nós quisermos ser naturais a vida inteira podemos, é só evitar Jesus. E ninguém aqui está  proibido de evitar Jesus. Pode evitá-lo. Há pessoas que evitam. A história conta com um número extraordinário de pessoas que evitaram Jesus. Há muitas  maneiras de fugir  dele, de ignorá-lo, de criticá-lo, de voltar as costas para ele. Você pode fazer isso. Pilatos achou cômodo ignorá-lo, porque Pilatos achava que ele não tinha crime algum, na hora do julgamento ele olhou para Jesus e disse: “Eu não vejo nesse homem crime algum”. Mas o povo está dizendo que ele é rei dos judeus e se eu apoiá-lo, eu estarei contra o meu patrão César, lá em Roma e eu vou perder o meu emprego. Eu sou empregado de César, sou procurador de César – então embora eu saiba que ele não tem crime algum, eu prefiro ignorá-lo. Me dá cá uma bacia d’água que eu  vou lavar as minhas mãos. Ignorou o Senhor.

            É impressionante, quando Jesus vai trabalhar no coração de alguém, de um jovem, de uma jovem, uma moça, um senhor, uma senhora, um ancião, um menino, uma menina, seja quem for, de qualquer classe social, de qualquer idade ou em qualquer  região geográfica da terra, quando Deus vai trabalhar no coração do homem simbolicamente, como uma árvore natural. Porque a madeira que forma esses bancos não nasceu assim, essa madeira veio de árvores. Ela foi trabalhada por  carpinteiros e tomou esse aspecto. O homem natural que não teve uma experiência com Deus, é como uma árvore  natural, com suas raízes fincadas  nesta terra, porque a sua mentalidade está fincada nas coisas  desta terra, desta vida, nas coisa que são próprias deste mundo e ninguém é proibido de viver assim não, mas o carpinteiro quando planeja trabalhar  no coração de uma árvore dessa, ele se aproxima  dela e tem na sua mão uma serra para jogar essa árvore no chão e cortar essas  as suas raízes. É a primeira experiência que nós temos  quando encontramos com o Senhor Jesus e quando ele vai trabalhar na nossa vida. A árvore tão vaidosa, tão cheia de pompa, tão cheia de ostentação, não há muita gente assim? E o carpinteiro chega e joga a árvore pela raízes  e joga por terra. Aconteceu isso com um homem muito vaidoso, altamente religioso, chamado Saulo de Tarso. Um homem de uma cultura invejável , que ninguém aqui nesta congregação  tinha tanta. E o Senhor o serrou pelas raízes e ele tombou por terra , bendito seja o nome do Senhor! Que tombo bonito que ele tomou! E ali  Deus começou a trabalhar  no coração daquele homem culto, inteligente, famoso, de posição social, eloquente, sábio ... , mas era diante do Senhor, apenas uma árvore tombada. E o carpinteiro de Nazaré disse pra ele! “Saulo, Saulo, porque me persegues?” Dura coisa é para ti recalcitrar, contra os aguilhões”. E a tora caiu lá no chão e disse: “Senhor, que queres que te faça?” e ele diz: Nada, agora vou começar a trabalhar  na sua vida. Você está cheio de galhos, cheio de pontas, de nós, de casca, eu vou arrancar isso tudo. Deixou Saulo de Tarso 3 dias sem comer e sem beber. É assim que Deus faz  conosco. Você é uma árvore que se julga muito frondosa? Bonita? Você quer ter um encontro com o carpinteiro de Nazaré? Prepare-se para o tombo, bendito seja o Senhor! Que começa a trabalhar no coração de alguém. No encontro com o Senhor, as coisa que agarravam suas raízes, elas vão ser arrancadas, para o teu próprio bem. A casca vai sair, os galhos que são as nossas opiniões: Eu acho, eu penso, comigo é assim, o negócio é diferente , o carpinteiro de Nazaré vai começar a arrancar  tudo isso logo. E aquela coisa grossa que nós adquirimos  durante muito tempo, hoje o que aprendemos  com nossos pais, nossas religiões, e casca, o carpinteiro vai arrancar isso tudo. Vai deixar a madeira limpa e depois entra num processo mais longo, serrar, tirar as tábuas, acertar direitinho..., depois vem a enchó, vem a plaina , vem a lixa ..., tem nó dentro? Vamos arrancar o nó. É assim que Deus faz. O carpinteiro de Nazaré, e ele sabe exatamente o tipo  de madeira que você é. E alguém poderia dizer assim: Não, eu modéstia parte sou peroba . E outro humilde  diz: Não, eu sou farinha seca mesmo, mas todos nós somos úteis nas mãos do carpinteiro. Você pode ser uma madeira muito mole, Jesus vai trabalhar na sua vida e vai te colocar numa posição onde você vai ser útil. E se você é pinho, eu farinha seca, também vai ter  um lugar pra você. Vai ser cabo de vassoura. Se tem uma coisa de alta utilidade ..., uma vez tentei varrer com uma vassoura sem cabo e foi  uma dificuldade tremenda. Todos nós somos úteis na presença de Deus, desde que nós deixemos que o carpinteiro de Nazaré transforme nossas vidas. Certa vez estava viajando por um certo lugar e de  dentro do carro estava meditando e eu vi numa baixada muito grande no norte do estado e estava ali uma planície enorme, aquela região ali, outrora, tinha sido uma floresta provavelmente, mas as árvores foram derrubadas  com o passar do tempo, e ficou ali uma árvore sozinha. Pela altura da árvore , parecia até mesmo um poste, de tão ereta que era . No momento em que a vi, era a penas um tronco seco, morto, sem vida, sem galho, sem nada. Sabia-se que era uma árvore porque dava para ver ainda as catanas das raízes em baixo. E ali , o Senhor me falou uma coisa que eu nunca mais esqueci. Uma coisa simples, o Senhor disse: “Aquela árvore nunca viu as mãos de um carpinteiro. E eu disse: é  verdade mesmo, e o Senhor disse: O que ela é aí? Um pedaço de madeira estragada, podre, sem vida, que o vento mais forte que der vai jogar no chão. E não vai aparecer em nenhum jornal, que no Km 45 do estado da Bahia, caiu um toco de árvore de trinta metros de altura, não vai ser notícia de jornal. Simplesmente o vento forte vai dar, vai jogar no chão, caiu, acabou, apodreceu, virou terra e desapareceu, e ali o Senhor estava dando uma lição importantíssima para nós, mostrando que naquela árvore, desde o seu período de nascer, crescer, ficar frondosa, bonita, provavelmente com frutos ou com flores, ou galhos, ou uma folhagem com copa bonita..., o tempo passou, as folhas caíram, ela se acabou por um motivo qualquer  e estava ali, um tronco seco, desgalhado, sem vida e morto, esperando o momento de cair por terra, e isso nos trás a imagem, à nossa mente, quantos homens  se comportam desta maneira? É apenas um exemplo. Quantos? Na nossa sociedade, não só no Brasil, mas no estrangeiro, os homens que são árvores eretas, são árvores frondosas, bonitas, de pompa, de fama, conhecidos internacionalmente, capa da revista Time ou da Manchete, ou seja lá do que for, notícias diárias a respeito dele. Apenas uma árvore que está destinada a morrer, as suas folhas caírem, os seus galhos  despencarem por ali e ficar um tronco de madeira podre. Vai cair, vai se misturar com o pó da terra e ninguém mais vai ter memória dele.

            Estive no museu do Cairo e ali eu pude ver as múmias dos Faraós, um monte de carne ressequida, que tem formato e cara de gente, e quando se olha nos afrescos, nas paredes, nas pinturas, que se conservam até hoje, pode se ver a diferença da glória do império egípcio e o que resta lá dentro do museu, a glória de um Faraó dentro de um sarcófago carcomido, ressequido, um pedaço de carne morta e sem vida. Houve um irmão nosso que poderia estar lá no museu do Cairo também. Ele foi educado para ser Faraó, ele se chamava  Moisés. Mas o carpinteiro trabalhou nele. Graças a Deus ele não está no museu do Cairo não, está no céu, na presença do Deus três vezes poderoso.


              Árvores que não são  tocadas pelo carpinteiro. Cabe a você decidir. “Não é esse o carpinteiro?” ou fica-se um pedaço de árvore seca, destinada a cair e a apodrecer mais tarde, ou  se deixa ser moldado e trabalhado pelo Espírito de Deus, para sermos objetos úteis nas mãos de Deus. Há um filósofo na Inglaterra que disse que: Nesse mundo, a vitória é daquele que apodrece por último, e é isso mesmo. Deixa o carpinteiro trabalhar na sua vida , ele te conhece. E alguém pode dizer assim: Senhor, cuidado comigo. O Senhor não vai colocar esse prego aqui, esse parafuso? Calma, o Senhor conhece madeira. Se a madeira é muito dura mesmo, vai ter a furadeira, que vai fazer o buraco e depois vem o parafuso no lugar certo. Se é uma madeira muito revirada, vem uma tachinha, mas vem tudo na hora certa, e as peças vão se encaixar e nós vamos ser um corpo só e um só espírito, preparado pelo Senhor Jesus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e e-mail válido).

SOCIAL MEDIA


Wallace Oliveira Cruz

MARCADORES