PROCLAMANDO A VOLTA DO SENHOR JESUS!




"E o Espírito e a esposa dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede, venha; e quem quiser, tome de graça da água da vida” -Apocalipse 22:17



domingo, 22 de janeiro de 2017

Esta enfermidade não é para morte...


João 11: 3, 4 


INTRODUÇÃO


Sempre que se encontrava nas imediações de Jerusalém, o Senhor Jesus sempre era recebido na casa de uma família de Betânia, aldeia que ficava a 2,5 km de Jerusalém, e lá se hospedava. Era a casa de Lázaro, Marta e Maria.

Certo dia, quando se encontrava no norte de Israel, na Galiléia, mandaram-lhe dizer as irmãs de Lázaro, que o mesmo estava gravemente enfermo, e que o Senhor fosse à sua casa para cura-lo. Jesus amava a Marta, e a sua irmã, e a Lázaro. Ouvindo pois que estava enfermo, disse: “Esta enfermidade não é para morte, mas para glória de Deus; para que o Filho de Deus seja glorificado por ela”, e ficou ainda dois dias no lugar onde estava.


          DESENVOLVIMENTO

            Depois disto, disse aos seus discípulos: Vamos outra vez para a Judéia. Assim falou; e depois disse-lhes: Lázaro, o nosso amigo, dorme, mas vou despertá-lo do sono. Disseram-lhe os seus discípulos: Senhor, se dorme, estará salvo. Então Jesus disse-lhes claramente: “Lázaro está morto; E folgo, por amor de vós, de que eu lá não estivesse, para que acrediteis: mas vamos ter com ele.”

Chegando pois Jesus, achou que já havia quatro dias que estava na sepultura. Muitos vizinhos e amigos tinham ido consolar a Marta e a Maria, e estavam na sua casa  quando Jesus chegou. Havia tristeza no coração de todos, e no coração das irmãs de Lázaro um misto de tristeza e decepção. Elas certamente estavam sem entender por que Jesus não as atendeu de imediato, quando avisaram que Lázaro estava muito doente e precisando da ajuda do Senhor. Elas estavam decepcionadas com Jesus, pois não entendiam como alguém que as amava tanto, deixou de atender ao seu pedido, o que levou seu amado irmão à morte.

A pergunta que não queria calar nos seus corações era: Por que Jesus fez isso? Por que Ele não nos atendeu como lhe pedimos? Havia muita decepção no coração de Marta quando disse a Jesus: “Senhor, se tu estivesses aqui, meu irmão não teria morrido”. Essa palavra soou como um “agora é tarde demais; o Senhor demorou muito a agir, as coisas se complicaram e agora nada mais pode ser feito; Se o Senhor tivesse chegado enquanto Lázaro estava vivo, poderia curá-lo, mas agora que está morto é muito tarde...” Mas Jesus lhe disse: “Teu irmão há de ressuscitar”. Disse-lhe mais: “Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá; E todo aquele que vive, e crê em mim, nunca morrerá. Crês tu isso?”

A reação de Marta e Maria diante do grave problema que envolveu suas vidas é a mesma que nós assumimos hoje em dia também. Quando uma situação adversa nos envolve, nós recorremos ao Senhor, pedindo que nos atenda imediatamente e resolva aquela situação, pois as coisas podem se complicar e ficar sem solução. Na visão de Marta e Maria, Jesus tinha que vir logo e curar seu irmão, antes que sua enfermidade se agravasse.

Essa tendência de querer que tudo seja resolvido de imediato é natural na vida da maioria das pessoas. Nós somos muito “imediatistas”, e não somos capazes de imaginar que Deus tem outros planos para nós naquilo que estamos passando. Nós só pensamos na nossa situação, e não na situação de Deus. Pensamos nos nossos interesses e não nos do Senhor. Não paramos para pensar se o Senhor não tem um outro propósito, quando demora a nos atender naquilo que pedimos.
Foi isso que aconteceu no caso da enfermidade de Lázaro. Marta e Maria queriam que Jesus curasse seu irmão imediatamente, mas Jesus queria fazer algo muito maior. Quando Ele disse: “Lázaro está morto; E folgo, por amor de vós, de que eu lá não estivesse, para que acrediteis: mas vamos ter com ele.”, Ele deixou claro que ficou ainda dois dias onde se encontrava, de propósito, para que Lázaro morresse e Ele pudesse realizar algo muito mais glorioso que uma simples cura, que foi a sua ressurreição.

Vejamos o seguinte ponto: Se Jesus tivesse atendido ao pedido de socorro de Marta e Maria, como elas queriam, Ele iria chegar na sua casa, iria dar uma ordem e Lázaro seria curado. Aquela família de três pessoas receberia uma bênção e ficaria muito grata ao Senhor. Mas isso não lhes traria salvação, pois eles já eram salvos e conheciam ao Senhor. Mas... E os vizinhos e amigos, os judeus que moravam na aldeia de Betânia, que precisavam de salvação e vida eterna, como eles ficariam se Jesus tivesse atendido ao pedido de Marta e Maria? Certamente, poucos tomariam conhecimento da cura de Lázaro, e talvez nem acreditassem no testemunho deles.


CONCLUSÃO


Quando Jesus falou com Maria e a viu chorar, chorando também os judeus que com ela vinham, moveu-se muito em espírito, e perturbou-se. E disse: Onde o pusestes? Disseram-lhe: Senhor, vem e vê. Jesus chorou.

Como somos duros e nos enganamos a respeito dos sentimentos do Senhor Jesus para conosco. Às vezes pensamos que Ele não se preocupa com aquilo que lhe pedimos, e o julgamos mal, sem saber que Ele está comovido no seu Espírito pela nossa situação. Às vezes choramos e pensamos que o Senhor está insensível às nossas lágrimas, mas ele está chorando conosco, e se preparando para operar de forma maravilhosa nas nossas vidas, nos dando muito além do que lhe pedimos.

Quando Jesus chegou diante do sepulcro de Lázaro, este já estava morto a quatro dias. Humanamente nada mais poderia ser feito, mas quem estava ali era o Senhor da Vida, aquele que venceu a morte e todos os nossos inimigos. Mas alguns objetaram: Não podia ele, que abriu os olhos ao cego, fazer que este não morresse? Jesus, agitando-se novamente em si mesmo, encaminhou-se para o túmulo; era este uma gruta a cuja entrada tinham posto uma pedra. Então, ordenou Jesus: “Tirai a pedra”. Disse-lhe Marta, irmã do morto: Senhor, já cheira mal, porque já é de quatro dias. Respondeu-lhe Jesus: “Não te disse eu que, se creres, verás a glória de Deus? “  Tiraram, então, a pedra. E Jesus, levantando os olhos para o céu, disse: “Pai, graças te dou porque me ouviste.  Aliás, eu sabia que sempre me ouves, mas assim falei por causa da multidão presente, para que creiam que tu me enviaste”. E, tendo dito isto, clamou em alta voz: “Lázaro, vem para fora!”. E o defunto saiu, tendo as mãos e os pés ligados com faixas, e o seu rosto envolto num lenço. Disse-lhes Jesus: “Desligai-o, e deixai-o ir.”

Muitos, pois, dentre os judeus que tinham vindo visitar Maria, vendo o que fizera Jesus, creram nele.

Foi aí que todos entenderam o porque de Jesus não ter atendido a Marta e a Maria quando Lázaro estava enfermo. Jesus tinha um projeto muito mais glorioso na vida de Lázaro, de suas irmãs e de todos da aldeia de Betânia... E por que não dizer, na vida de todos nós hoje em dia também, pois essa experiência nos ensina a descansar em meio às lutas e provações, na certeza de que o Senhor, que nos ama, cuidará para que o seu propósito se cumpra integralmente na nossa vida e na vida dos que nos cercam. Os homens buscam cura, mas o Senhor quer lhes dar vida eterna.

A Palavra diz: “Ora, àquele que é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos, conforme o seu poder que opera em nós, a ele seja a glória, na igreja e em Cristo Jesus, por todas as gerações, para todo o sempre. Amém!” - Efésios 3:20. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e e-mail válido).

SOCIAL MEDIA


Wallace Oliveira Cruz

MARCADORES