PROCLAMANDO A VOLTA DO SENHOR JESUS!




"E o Espírito e a esposa dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede, venha; e quem quiser, tome de graça da água da vida” -Apocalipse 22:17



domingo, 8 de janeiro de 2017

E soube-se que estava em casa...



Marcos 2: 1-12


          INTRODUÇÃO

Muito tempo se passou desde que o Senhor Jesus esteve aqui neste mundo; e os anos do seu ministério foram inteiramente dedicados à realização da Obra de Salvação da humanidade, que culminou com a sua crucificação.

Após sua morte, Jesus ressuscitou e prometeu que estaria conosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Hoje Ele está aqui, nesta casa, e todos precisam saber disso...

          DESENVOLVIMENTO

No dia em que Jesus estava em casa, na cidade de Cafarnaum, as pessoas que queriam vê-lo e  ouvi-lo eram tantas, que nem ainda nos lugares junto à porta cabiam. Trouxeram um paralítico conduzido por quatro, mas não conseguiram se aproximar de Jesus. Então, subiram no telhado e abrindo um buraco, baixaram o leito em que jazia o paralítico, num lugar bem próximo a Jesus.

As dificuldades que surgem para que alguém se aproxime do Senhor são muitas. Há uma “multidão” de barreiras e obstáculos no caminho de quem busca ao Senhor, mas isso não significa que aproximar-se dEle seja algo impossível, pois sempre há um lugar para o necessitado bem perto de Jesus, e para alcançar este lugar é só transpor as barreiras.

O Senhor Jesus tem ordenado uma forma de conduzir os necessitados até sua presença, e esta forma está representada pelos “quatro” que conduziram o paralítico: as madrugadas, o jejum, os cultos-ao meio dia e o convite. São quatro atos de obediência que irão “levantar” os necessitados da bênção do Senhor, acima das dificuldades, colocando-os num lugar bem perto do Senhor, no interior da sua casa.

E Jesus vendo a fé deles, disse ao paralítico: “Filho, perdoados estão os teus pecados”. Naquele momento, os escribas que ali estavam acusaram Jesus de blasfêmia, por causa da sua palavra de perdão que também concedia salvação ao paralítico. Jesus perdoou aquele homem, por causa da fé dos seus amigos, e também porque aquela era a maior de suas necessidades. A cura não era a sua principal necessidade, mas a salvação.

A crítica e a acusação de blasfêmia vieram por causa do perdão - se ao invés disso, Jesus tivesse curado o paralítico, a reação dos escribas certamente não teria sido aquela. A Obra de Salvação tem gerado reações inflamadas entre os inimigos do Senhor Jesus, e isso acontece porque ela afeta diretamente o projeto do adversário. O perdão e a salvação tem efeito imediato na vida espiritual, trazendo libertação do reino do inimigo e vida eterna para a pessoa que a recebe. O adversário não tem nenhuma reserva em relação às curas e outros benefícios exteriores e físicos, porque estes não afetam o seu domínio, mas o têm em relação ao perdão e salvação. As pessoas buscam receber benefícios materiais e o inimigo não se opõe, mas se buscarem uma bênção espiritual receberão sua oposição.

Diante do arrazoado dos escribas, Jesus perguntou: “O que é mais fácil? Dizer ao paralítico: Estão perdoados os teus pecados, ou dizer: Levanta-te, toma o teu leito e anda? Ora, para que saibais que o Filho do Homem tem sobre a terra autoridade para perdoar pecados - disse ao paralítico: Eu te mando: Levanta-te, toma o teu leito e vai para tua casa”. Então ele se levantou, e no mesmo instante, tomando o leito, retirou-se à vista de todos, a ponto de se admirarem todos e darem glória a Deus, dizendo: Jamais vimos coisa assim!

O que é mais fácil dizer: “Perdoados estão os teus pecados, ou levanta-te e anda?” Para o homem é mais fácil dizer: Perdoados estão os teus pecados, porque os efeitos disso não são exteriores e visíveis, como uma cura. Mas para Jesus o mais difícil foi dizer: “Perdoados estão os teus pecados”, porque, para que isso realmente se cumprisse, Ele teria que dar a sua vida e morrer na cruz do Calvário; e isso foi muito difícil e doloroso para o Senhor. Para dizer: “Levanta-te e anda”, Jesus não teria que morrer, era só ordenar como Ele o fez, mas para que os pecados do homem fossem perdoados, o seu sangue teria que ser derramado.

          CONCLUSÃO

É por isso que a Obra de Redenção e perdão dos pecados, causa tanta agitação entre aqueles que fazem parte do reino do inimigo - que é o mundo - pois esta Obra só foi possível, porque Jesus derramou seu precioso sangue, derrotando definitivamente o reino das trevas e da morte. Benefícios como curas, prosperidade, enriquecimento, poder financeiro e político, resolução de problemas familiares, etc. não causam nenhum protesto do adversário - ele até ajuda muitos nisso - pois as pessoas que os recebem, permanecem presas e sendo enganadas. Mas a Salvação e a libertação do poder do mundo e do pecado, estes sim, causam grandes hostilidades da parte do inimigo, pois representam a sua derrota. 

Hoje em dia, muitos prometem e até realizam curas e outros benefícios - pois lhes foi concedido realizá-los - mas o perdão e a salvação, somente Jesus pode dar, e esta é a maior necessidade de todo homem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e e-mail válido).

SOCIAL MEDIA


Wallace Oliveira Cruz

MARCADORES