E quebrando ela o vaso

00:00 0 Comments A+ a-


Marcos 14: 3

            INTRODUÇÃO

Certo dia, quando Jesus se encontrava em Betânia, reclinado à mesa, em casa de Simão, o leproso, veio uma mulher trazendo um vaso de alabastro com preciosíssimo perfume de nardo puro; e, quebrando o vaso, derramou o bálsamo sobre a cabeça de Jesus. Aquela atitude, levou muitas pessoas presentes a indignarem-se contra aquela mulher, mas Jesus disse: “Deixai-a; por que a molestais? Ela praticou boa ação para comigo”.
Na verdade, aquilo que foi feito pela mulher - a Bíblia não cita seu nome - se reveste de grande importância para a Obra de Deus e para a pregação do Evangelho, pelo seu significado.

            DESENVOLVIMENTO

O vaso de alabastro, que naquela época era usado para se guardar líquidos preciosos e caros, tipifica a nossa vida exterior - tudo aquilo que está ligado à vida biológica. O nardo puro aponta para a nossa vida interior - a vida espiritual. Esta vida interior está presa e envolvida pela vida exterior, que a impede de se expandir e espalhar seu perfume ao redor. Esta situação mantém a vida interior e espiritual, como que mortificada, pois as suas virtudes não são percebidas nem experimentadas. O vaso de alabastro não era tão precioso e valioso quanto o nardo puro que estava dentro dele.

Quando uma pessoa, qualquer que seja ela, chega diante do Senhor Jesus, precisa quebrar o vaso de alabastro, que é a sua vida exterior, seus interesses, seus sentimentos, sua vontade própria, etc., derramando, pela fé, sobre a pessoa do Senhor Jesus, sua vida interior, sua alma e seu espírito, para que Ele, que é a cabeça do corpo, possa governar toda a sua vida.

A vida exterior não é tão preciosa quanto a vida interior, pois é passageira e temporal, enquanto que a vida espiritual é eterna. A Bíblia pergunta: “De que adianta o homem ganhar o mundo inteiro (a vida exterior), e perder a sua alma? (a vida interior)”.

Muitos têm dado mais valor ao vaso de alabastro, do que ao nardo puro, pois não entendem nem percebem o seu valor. Por isso lutam para preservar o vaso intacto, não admitindo que ninguém o toque, nem mesmo o Senhor Jesus. Lutam pela sua sobrevivência, preservam a sua religiosidade, se preocupam em demasia com sua saúde, seu emprego, sua família e seus estudos, mas não se importam com o principal, que é a vida espiritual e a sua relação com o Senhor Jesus - o Cabeça da Igreja.

            CONCLUSÃO

Quebrar o vaso implica em enfrentar a indignação de muitos, implica em ser criticado e menosprezado e por isso, talvez, muitos não se disponham a tal. Mas quebrar o vaso implica também em liberar a vida espiritual e interior, em gozar a verdadeira vida que Deus planejou, em viver em comunhão com Ele e ouvir do Senhor Jesus: “Ela praticou boa ação para comigo...”, implica em exalar o bom perfume de Jesus Cristo e testemunhar das suas maravilhas operadas em nossas vidas. 

O Evangelho só é verdadeiramente anunciado por aqueles que tiveram sua vida exterior, sua natureza, sua vontade e suas paixões quebrantadas, pois só assim o Espírito Santo terá prioridade e liberdade para usar o nardo interior, perfumando este mundo infectado pelo pecado, e trazendo salvação a muitos, pela instrumentalidade dos vasos quebrados. A boa obra que agrada ao Senhor e chama a sua atenção, não se alcança através de práticas religiosas, mas ao quebrar-se o vaso.            

AVISO: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e e-mail válido).