Davi encontra com o Egípcio

00:00 0 Comments A+ a-


I Samuel 30: 9-13

INTRODUÇÃO

Davi voltava para a aldeia de Siclague, onde estava acampado com seus homens e suas famílias, quando se deparou com um quadro estarrecedor: A aldeia havia sido atacada e queimada pelos amalequitas, e as mulheres e crianças levadas cativas. Diante daquela situação, os homens de Davi levantaram a voz em grande pranto e se voltaram contra ele, acusando-o de ser o responsável por tudo aquilo, por ter oferecido ajuda aos filisteus e se afastado da aldeia, deixando as mulheres e crianças desprotegidas. Em seguida todos pegaram pedras para apedrejar a Davi. Mas Davi buscou refúgio no Senhor seu Deus, e o consultou se deveria perseguir os amalequitas.

DESENVOLVIMENTO

Davi foi um homem de muitas lutas e provações, mas em todas elas ele foi vitorioso, porque sempre buscou o socorro e a dependência do Senhor, além de sua direção para sua vida. Por isso o Senhor tem revelado que Davi tipifica a Obra que Lhe agrada. Naquele momento difícil para Davi, mais uma vez o Senhor o socorreu orientando-o a perseguir os amalequitas, pois eles seriam entregues na sua mão.
Davi reuniu seiscentos homens e partiu no encalço do inimigo. Ao passar os ribeiro de Besor (frieza), quatrocentos homens pararam por causa do cansaço e Davi prosseguiu com os quatrocentos restantes. Lá adiante, Davi enviou batedores à sua frente, para fazerem o reconhecimento do caminho e tentarem localizar os amelequitas.
No deserto, eles encontraram um homem egípcio vagando perdido, sedento e faminto e o trouxeram até a presença de Davi, que mandou lhe dar pão, água, massa de figos e dois cachos de passas. Ele os comeu e nisso seu espírito reviveu. Aquele homem era um escravo de um senhor amalequita que o havia abandonado há três dias por ter adoecido, e não servir mais prá ele.
           
A Obra do Espírito é para aqueles que estão dispostos a suportar as provas, confiando no Senhor para vencê-las. Apesar das provas, precisamos prosseguir na caminhada pois o Senhor tem seu Projeto para ser cumprido por nós.
Há pessoas perdidas vagando por este mundo, famintas e sedentas, sem ter quem as ajude. Estas pessoas são escravizadas pelo adversário, que as usa na realização de sua obra destruidora, e depois as abandona doentes, para morrerem sozinhas neste mundo. Muitas vezes o inimigo até lhes dá títulos de beleza, riquezas, destaque na sociedade e na mídia, mas de repente se ouve a notícia de sua morte trágica por overdose, assassinatos e outras desgraças.
O Senhor Jesus tem enviado seus servos à sua frente, na realização da Obra, e sempre acontece de pessoas nesta situação serem encontradas sem esperança e sem direção nas suas vidas. Estes então, são conduzidos à presença do Rei Jesus, que lhes dá aquilo que precisam para ganhar nova vida:
·       Pão – Palavra revelada
·       Água – Refrigério do Espírito Santo
·       Massa de figos – A cura de seus males (Jesus foi moído pelas nossas enfermidades)
·       Cacho de passas – A alegria e a paz do Espírito Santo

CONCLUSÃO

Quando o homem recebe tudo que o Senhor tem para ele, o seu espírito volta, isto é, ele nasce de novo, sua vida é restaurada e salva da morte eterna. O homem então passa a seguir ao Senhor, sendo útil na sua Obra, como o foi o egípcio resgatado no deserto.

Davi chora por Absalão

00:00 0 Comments A+ a-


II Samuel 18: 32, 33 

INTRODUÇÃO


Qual era a situação de Absalão antes de suas dificuldades?

1.    Filho do Rei;
2.    Participante de sua riqueza; e
3.    Amado por seu pai.

Absalão desprezou tudo isso e se rebelou contra o rei Davi, seu pai, preferindo governar sua própria vida e se levantando contra sua autoridade. Davi não queria nada daquilo para Absalão, e muito sofreu com a situação criada por ele. Naquela ocasião, muitos seguiram a Absalão.

DESENVOLVIMENTO


Qual foi o resultado da rebelião de Absalão?

1.    Guerra entre seus aliados e o exército do rei Davi;
2.    Ficou preso pelos seus cabelos num carvalho; e
3.    Foi alvejado por flechas e morreu.

Ao saber da morte de Absalão, Davi foi tomado de profunda dor e angústia, elevou sua voz em copioso choro, dizendo: “Meu filho Absalão , meu filho, meu filho, Absalão!  Quem me dera que eu morrera por ti, Absalão, meu filho, meu filho!” . A atitude de Davi naquele momento, não foi entendida por muitos que estavam ao seu redor, mas ela revela a profundidade do amor incondicional que ele tinha por seu filho Absalão.

A história de Absalão aponta para aquilo que aconteceu com o homem no Éden, pois ali ele tinha tudo, mas se rebelou contra Deus, desobedecendo sua Palavra, preferindo assim, governar sua vida e seguir seu próprio caminho. Por causa disso o homem perdeu a condição de filho, morreu espiritualmente e o Pai muito sofreu com esta situação.

CONCLUSÃO


A dor e o sofrimento de Davi com a morte de Absalão, reflete o que se passou no coração do Pai  com o que aconteceu com o homem. Enquanto Davi desejou ardentemente morrer no lugar de seu filho, apesar do que ele fez, Deus não ficou apenas no plano dos sentimentos, mas Ele deu a sua Vida por toda a humanidade, enviando o seu próprio Filho, o único que tinha, o Senhor Jesus, para morrer em nosso lugar, mesmo sendo nós pecadores.

O sacrifício de Jesus mostra a profundidade do sofrimento e do amor de Deus para com o homem. Quando o homem morreu espiritualmente, o Pai desejou dar sua vida para que ele permanecesse vivo eternamente. Isso aconteceu na eternidade, quando o Projeto de Salvação foi determinado pela Trindade, e foi definido que Jesus morreria pelo homem pecador.


Quão maravilhoso é o amor do Pai pelos seus ingratos filhos, que um dia o abandonaram e se rebelaram contra Ele. Quão profunda é a sua Graça, revelada na Pessoa do seu Filho Jesus Cristo.

Dá-lhes uma madre que aborte e seios secos...

00:00 0 Comments A+ a-


Oséias 9: 13, 14


            INTRODUÇÃO

            Efraim era um dos filhos de José, sobre quem recaiu a bênção de Jacó, e que mais tarde, não permaneceu na fidelidade. Efraim tipifica daqueles que receberam a bênção do Senhor, a salvação e o privilégio de ser plantado num lugar aprazível (a Obra do Espírito), mas que depois de algum tempo, começou a se apartar do Senhor e a esfriar espiritualmente. Quem assim procede, está levando sua vida e a vida de seus filhos ao matador e para a perdição.


            DESENVOLVIMENTO

            O propósito do Senhor para Efraim era glorioso. Mas Efraim foi comparado a um bolo que não foi virado, isto é, assou somente de um lado, apontando isso para sua indefinição, que culminou com a ruína total de seus filhos. Ao invés da bênção profetizada, Efraim recebeu um triste juízo: “Dá-lhes, ó Senhor; que lhe darás? Dá-lhes uma madre que aborte e seios secos”

Madre que aborte - No início, quando havia fidelidade, os frutos e a fecundidade espiritual eram notórios, mas depois nada mais foi gerado. A Obra não prosseguiu como antes e a esterilidade foi se estabelecendo. Os frutos produzidos morriam antes de nascerem, e nada mais passou a dar certo; a vida foi se esfriando e se tornando como um aborto. Devemos ser cuidadosos com a nossa vida espiritual, pois o Senhor nos escolheu para darmos frutos que permaneçam. Quando o servo não se define na Obra e não se preocupa com uma vida de frutificação, a tendência é perder a “fertilidade espiritual” que foi dada na conversão - o primeiro amor - tornando-se estéril e sem vida.

Seios secos - A partir do momento em que a pessoa perde o poder da “frutificação”, passa a não receber mais nada do Senhor. Ela não se alimenta mais nem do leite - as coisas elementares da Palavra - nos cultos não recebe bênção alguma, passa a murmurar de tudo, vivendo na pobreza. Como uma criança que mama em seios secos, ela deixa de crescer espiritualmente, pois o leite não está mais à sua disposição. A tendência é a inanição com o afastamento da casa do Senhor, e o desligamento do corpo materno, que é a igreja.


            CONCLUSÃO

            A pessoa que não valoriza a bênção do Senhor e a sua eleição para servi-lo, termina sendo entregue à sua própria sorte, como aconteceu com Esaú, Saul e outros, que perderam aquilo que o Senhor um dia lhes deu.

            Isso tudo acontece, porque Deus não dá nada àquele que não usa o que recebeu, para frutificar espiritualmente para Ele.

O cuidado da igreja com o novo convertido

13:30 0 Comments A+ a-

II Reis 4: 8-10



1.  INTRODUÇÃO
·     A igreja tem recebido de Deus muitas bênçãos e alimento espiritual em abundância
·     Muitas pessoas têm passado pela igreja a cada dia, em busca de alimento espiritual e  a igreja precisa estar atenta em obedecer a orientação do Senhor no que diz respeito à assistência aos visitantes.

2.  DESENVOLVIMENTO
·     Eliseu - nesta mensagem, é tipo do homem deste mundo, mas que é escolhido por Deus
·     A sunamita
·     mulher grave (rica, em outra versão)
·     tipo da igreja, que é rica em revelações
·     “O deteve a comer pão...” - a igreja oferece ao visitante o pão espiritual. Todas as vezes que trazemos alguém à igreja, estamos “detendo-o a comer pão”
·     Eliseu passa a ir sempre à casa da sunamita para comer pão - quando a igreja está na posição e o culto profético é uma realidade, o visitante volta sempre pela necessidade do alimento espiritual. Ele sabe que naquele lugar há pão para ele. A partis daí, ele se torna uma novo convertido.
·     “Ela disse ao seu marido...” - o diálogo da igreja com o Senhor
·     “Tenho observado que este é um homem de Deus...” - a igreja, na revelação,  tem o discernimento quando o visitante é uma pessoa escolhida por Deus
·     O que a sunamita oferece a Eliseu:
·     Um pequeno quarto - uma espaço para o novo convertido, onde ele seja assistido individualmente
·     Junto ao muro - compreensão. O novo convertido está sempre no limite entre a obra e a vida que levava no mundo. Mas deve estar sempre “dentro do muro”. Dele nunca se pode exigir ou forçar uma posição, principalmente no que diz respeito aos usos e costumes.
·     Ponhamos uma cama - descanso. A igreja é um lugar de descanso para o novo convertido
·     Uma mesa - comunhão (a família se reúne na mesa)
·     Uma cadeira - os meios de comunhão: clamor pelo Sangue de Jesus, oração, consagração, amor entre os irmãos, etc.
·     Um candeeiro - a Revelação, que ilumina tudo, mostrando, inclusive, a situação de descanso e conforto que o homem desfruta na presença do Senhor. Sem a luz do candeeiro, nada do que foi feito teria efeito.

3.  CONCLUSÃO

          “E vindo ele a nós, para ali se retirará” - o visitante ou novo convertido que é assistido dentro da orientação, voltará sempre até se tornar um servo. 

Convite ao arrependimento

09:38 0 Comments A+ a-


Jeremias 7: 1-4 

INTRODUÇÃO 


Deus ordena ao profeta Jeremias que proclame sua Palavra ao povo de Israel, que naquela ocasião se encontrava distante dos seus caminhos, exortando-os ao arrependimento. 

DESENVOLVIMENTO 


O povo de Israel estava vivendo no pecado, cometendo atos semelhantes aos das nações pagãs. Havia assassinatos, idolatrias, injustiças, e outras coisas que desagradavam ao Senhor, mas mesmo assim o povo ia ao templo com frequência, para cumprir aquilo que já havia se tornado uma tradição, um  ritual e uma liturgia, destituída de fé ou qualquer sentimento ou consciência a respeito da vontade do Senhor. O profeta Isaías havia profetizado a respeito desta situação quando disse: “Este povo me honra com os lábios, mas o seu coração está longe de mim”.

Põe-te à porta da Casa do Senhor ... - Jesus é a Porta (Jo 10: 9). Somente em Jesus o servo pode falar com autoridade e ser o porta-voz de Deus diante dos homens, pois não está sozinho, mas acompanhado do testemunho de uma vida plantada na fé. As pessoas hoje estão cansadas de tantos discursos vazios, de conferências e debates bíblicos. Hoje o que todos precisam ver é o exemplo na vida dos servos, por isso aquele que prega a Palavra precisa fazê-lo da Porta, isto é, na comunhão com o Senhor Jesus (Gal 2: 20).

Melhorai os vossos caminhos ... - Cada pessoa segue um caminho, e todos julgam o seu caminho o melhor de todos. Mas o fim deles muitas vezes é a morte e o abismo. Melhorar o caminho, na verdade, significa buscar o “Melhor Caminho”. Jesus é o Caminho, a Verdade e a Vida. Não há outro caminho melhor e mais agradável a Deus, do que o Senhor Jesus, pois este é o único que conduz o homem pelas veredas da justiça e da paz, encaminhando-o à eternidade.

Melhorai vossas obras ... - Isto não significa fazer mais caridade, dar mais esmolas, ser mais “bonzinho”, etc. A Bíblia diz que é dever de todos fazer o bem, mas aqui Deus se refere às Obras que procedem da fé (Ef 2: 10). O homem natural procura agradar a Deus através de sacrifícios, que ele considera boas obras, mas para o Senhor é melhor obedecer do que sacrificar. Melhorar as obras quer dizer deixar as suas obras (justiça própria) e firmar-se nas Obras da Fé em Jesus, andando em obediência à sua Palavra Revelada, alcançando assim os “Frutos do Espírito”.
                                                                                             
CONCLUSÃO

E eu vos farei habitar neste lugar – O Salmo 92 diz que os que estão plantados na Casa do Senhor, florescerão nos átrios do nosso Deus. O resultado do caminhar na revelação de Jesus e na obediência, é uma vida de comunhão e esperança de Vida Eterna com o Senhor na Glória Celestial. este é o plano e o objetivo de Deus na vida de todo homem.

Como ter porei entre os filhos?

00:00 0 Comments A+ a-


Jeremias 3: 19 

Introdução 


A família é um projeto de Deus. Ele mesmo almejava uma família e por isso criou o primeiro casal e mandou que se multiplicassem, afim de que seus descendentes fossem seus filhos e seus herdeiros.
Na eternidade Deus sabia de tudo que iria acontecer com o homem. Por causa do pecado ele iria perder muitas coisas, dentre elas a condição de filho e também o direito à herança e à vida eterna. O Senhor se viu diante de uma situação muito séria, pois perdeu os filhos a quem iria transmitir sua herança, e neste momento fez duas perguntas, as quais o homem não saberia responder, por isso o Senhor na sua misericórdia já deu a resposta e apontou a saída para a difícil situação do homem. 

Desenvolvimento 


1.    Como te porei entre os filhos? - Nem todos os homens são filhos de Deus, mas o desejo do Senhor é que todos venham a se tornar seus filhos.
O que é ser filho de Deus?

·       É ser guiado pelo Espírito Santo;
·       É ter a mesma identidade do Pai (a mesma natureza);
·       É depender e confiar no Pai;
·       É honrá-lo e obedecê-lo;
·       É amá-lo acima de todas as coisas.

2.    Como te darei a terra desejável, a excelente herança das nações? – A terra desejável é a Jerusalém Celestial. A herança é a vida eterna através de Jesus. Tudo isso Deus deseja dar ao homem desde o princípio, mas para obtê-lo o homem precisa alcançar a condição de filho de Deus. 

Conclusão 


Para que estas perguntas pudessem ser respondidas, algo tremendo teve que acontecer: Deus teve que enviar seu único Filho a este mundo, para morrer por toda a humanidade.

·       Pai me chamarás – para isso o homem precisa verdadeiramente se tornar filho, adquirindo pela fé tudo aquilo que pertence à natureza de Deus, o qual enviou Aquele que era o seu único Filho para nos transformar em novas criaturas, e nos tornar aceitos novamente. Purificados pelo sangue de Jesus, podemos, através dele chegar à presença de Deus e chamá-lo Pai.


§  E de mim não te desviarás – quando o homem se torna filho, passa a conhecer, a amar e a obedecer ao Pai. Pelo Espírito Santo recebe a orientação para prosseguir no projeto e na vontade do Pai. Aquele que se torna filho de Deus através de Jesus, também se torna herdeiro de todos os bens que o esperam na Eternidade.

Dia da Bíblia

00:30 0 Comments A+ a-


   Comemorado"Ó SENHOR Deus, a tua palavra dura para sempre; ela é firme como o céu"
(Salmo 119.89)



Celebrado no segundo domingo de dezembro, o Dia da Bíblia foi criado em 1549, na Grã-Bretanha pelo Bispo Cranmer, que incluiu a data no livro de orações do Rei Eduardo VI. O Dia da Bíblia é um dia especial, e foi criado para que a população intercedesse em favor da leitura da Bíblia. No Brasil a data começou a ser celebrada em 1850, quando chegaram da Europa e EUA os primeiros missionários cristãos evangélicos. Porém, a primeira manifestação pública aconteceu quando foi fundada a Sociedade Bíblica do Brasil, em 1948, no Monumento do Ipiranga, em São Paulo (SP).
E, graças ao trabalho de divulgação das Escrituras Sagradas, desempenhado pela entidade, o Dia da Bíblia passou a ser
comemorado não só no segundo domingo de dezembro, mas também ao longo de toda a semana que antecede a data. Desde dezembro de 2001, essa comemoração tão especial passou a integrar o calendário oficial do país, graças à Lei Federal 10.335, que instituiu a celebração do Dia da Bíblia em todo o território nacional.
Hoje, as celebrações se intensificaram e diversificaram. Realização de cultos, carreatas, shows, maratonas de leitura bíblica, exposições bíblicas, construção de monumentos à Bíblia e distribuição maciça de Escrituras são algumas das formas que os cristãos encontraram de agradecer a Deus por esse alimento para a vida.

Vencendo a dependência emocional

00:00 0 Comments A+ a-


A entrada do pecado no mundo deturpou por completo o caráter, a mente e a vontade do homem. No momento em que o homem se afastou de Deus, todos os problemas da humanidade tiveram origem. Portanto, todos nós estamos vulneráveis a problemas emocionais, por menores que sejam! Todos nós carregamos marcas e feridas em nossas almas que refletem no nosso eu.
Muitos de nós estamos presos à dependência emocional, que consiste em um estado no qual a pessoa se sente completamente subordinada(o) a outra pessoa sem a qual pensamos não conseguir nos sentir seguros. Essa prisão causa angústia, depressão e solidão. O dependente emocional acredita que precisa da atenção e presença constante de outra pessoa para se sentir bem. Esse é um dos motivos que fazem com que esse mal seja um grave entrave nos relacionamentos.
Normalmente a dependência emocional provém do sentimento de rejeição. Ao não se sentir amada a pessoa passa a viver a vontade do outro na tentativa de agradar e de se sentir aceita. Essa dependência é sempre acompanhada de uma carência excessiva, e faz com que a pessoa se mostre fraca e fragilizada. Dificilmente uma relação verdadeira suporta isso por muito tempo.
A carência faz com que as pessoas sejam menos seletivas e acabam se tornando presa fácil para fazer uma escolha errada, pois acabam se envolvendo com pessoas muito distantes daquilo que gostariam de ter ao seu lado. E por medo da solidão, torna-se escrava da ilusão de que estar com alguém a salvará da sua carência, não consegue enxergar que continua vazia de afeto.
Há uma cultura muito cruel implantada em nossa sociedade que praticamente exige que estejamos em um relacionamento, seja namorando ou casados, como se isso fosse a garantia de felicidade emocional, mas não é!
Se você passa por isso, precisa buscar no Senhor saber quais são os motivos que o levam a envolver-se em tamanha insegurança, e assim buscar cura nessa área da sua vida. O processo para alcançarmos o que Deus tem para nós, e alcançarmos a verdadeira libertação nem sempre é fácil, nem sempre nosso caminho será lindo, muitos são os espinhos que teremos que pisar, mas não devemos desistir.
Nessa busca seremos aperfeiçoados, libertos e restaurados para realizarmos os planos de Deus. Mas quando falamos de restauração, de liberdade, de cura, falamos de dor. Sentimentos internos e mal resolvidos podem deteriorar a alma e o coração. Somente o verdadeiro amor que vem de Deus pode trazer a verdadeira libertação.
O Senhor quer nos ensinar a administrar nossas emoções, mas temos que estar dispostos a renunciar nossos desejos e colocar o nosso coração e nossa vida à disposição do Pai, aprender a viver na dependência Dele e não depender emocionalmente das pessoas, isso é ser verdadeiramente livre! Assim adquiriremos novos conceitos que procedem do coração de Deus!
Que Deus te abençoe ricamente!
PS: Deixe seu comentário…ele é super importante pra nós!!!