O Senhor enviou uma palavra a Jacó...

01:00 0 Comments A+ a-


Isaías 9: 8


            INTRODUÇÃO

O nome de Jacó significa “suplantador, enganador”. Ele era irmão de Esaú e filho de Isaque. Jacó nasceu agarrado no tornozelo de Esaú, como que querendo tirar alguma coisa dele. Mais tarde o vemos enganando ao seu irmão por duas vezes, tomando dele o direito que tinha à primogenitura, e recebendo a bênção de seu pai, em seu lugar. Mesmo não sendo o primogênito, Jacó terminou tomando esse direito de seu irmão.


            DESENVOLVIMENTO

Essas atitudes de Jacó, fazem jus ao seu nome. Ele aqui tipifica o homem natural e caído, que vive no pecado e é capaz de tudo para alcançar seus objetivos, mesmo que isso implique no prejuízo dos outros. Os métodos usados pelo homem natural, para obter aquilo que seu coração deseja, muitas vezes incluem a mentira e o suborno, independendo de sua classe social ou de sua cultura. O homem sem Deus é capaz de coisas inacreditáveis para concretizar seus projetos. Ainda que tenha bens materiais, lhe falta a Salvação e a vida eterna, razão pela qual seu coração é vazio e angustiado.

Por causa desta situação vivida por Jacó - homem natural e sem Deus - é que o Senhor lhe enviou uma Palavra. Esta Palavra que foi enviada, é o próprio Senhor Jesus, pois Ele é a Palavra de Deus, o Verbo que se fez carne e habitou entre nós, para nos transformar e dar Salvação.

De fato, após enganar Esaú, Jacó teve que fugir para a terra de seus antepassados, e no caminho para essas terras e ao chegar nela, ele passou por várias experiências com o Senhor. Nesse período de 20 anos, a Palavra do Senhor caiu no coração de Jacó, consolidando a Obra de transformação de sua vida, quando atravessou o vau do rio Jaboque, para se encontrar com seu irmão Esaú. Nesta travessia, Jacó lutou com o anjo do Senhor e pediu que lhe abençoasse. Foi neste momento que o anjo lhe disse: “Não te chamarás mais Jacó, e sim Israel” - Aquele que luta com Deus e os homens e prevalece. Quando Deus, através do seu Espírito Santo, revela Jesus ao coração do pecador, sua Palavra brilha (luz, revelação) no seu coração, mudando sua natureza e lhe concedendo o novo nascimento. Desta forma Jacó se transforma em Israel.


            CONCLUSÃO

Deus tratou com Jacó de tal maneira, que sua antiga natureza e sua vida, foram totalmente transformadas. O Senhor mostrou que, a partir daquele momento, estaria lhe dando vitória em tudo, e que ele não precisaria lançar mão de seus antigos métodos para agir.

É isso que Deus deseja fazer na vida de cada homem. Por isso Ele enviou sua Palavra (Jesus) a Jacó (homem caído), e ela caiu (brilhou, no original) em Israel (novo homem), no seu coração, transformando sua vida.

A oferta da viúva pobre

13:55 0 Comments A+ a-


Marcos 12: 41-44

            INTRODUÇÃO

            Certo dia o Senhor Jesus estava no templo, em Jerusalém, diante da arca do tesouro, observando os que ali lançavam suas ofertas. Muitos que entravam no templo colocavam gordas ofertas na arca, mas uma pobre viúva surgiu e depositou duas pequenas moedas, que valiam cinco réis. Foi neste momento que Jesus chamou a atenção dos discípulos dizendo: “Em verdade vos digo que esta pobre viúva depositou mais do que todos os que depositaram na arca do tesouro”.

            DESENVOLVIMENTO

            Com estas palavras, o Senhor Jesus procurou mostrar que não é a “quantidade” daquilo que se dá que lhe é agradável, mas é aquilo que está no coração que lhe interessa. Ele mostrou que para agradá-lo não é preciso “muito”, pois Ele olha para o interior das nossas vidas e não para a aparência exterior. Desta forma, até uma pobre viúva, que aparentemente não tem nada, pode ser profundamente agradável ao Senhor.

            O ato de dar, de ofertar, tem um profundo significado na Palavra de Deus, pois está escrito: “mais bem-aventurada coisa é dar do que receber” – At 20:35. Aquilo que se oferta e a forma como se oferta, define muito bem o que há no coração da pessoa, expondo o seu interior e revelando aquilo que está encoberto. Naquele dia muitos deram muitas coisas, mas Jesus atentou somente para a oferta da viúva pobre. A mesma coisa aconteceu com a oferta de Abel, quando Deus atentou para o cordeiro ofertado por ele – Gên 4: 4. Tanto a oferta de Abel quanto a oferta da viúva pobre, são proféticas.

            Existem pessoas que têm coisas para dar para a Obra do Senhor, mas às vezes elas só fazem isso quando essas coisas estão sobrando nas suas vidas. O seu tempo só é dado ao Senhor quando está sobrando; elas só lêem a Bíblia quando têm tempo, só vão à igreja quando sobra um tempinho ou quando estão bastante necessitadas. Nunca estão disponíveis para realizar algum trabalho de manutenção da igreja, sempre estão ocupadas quando são convocadas para a evangelização ou assistência aos novos, e assim por diante. Existem aqueles que não colocam seus bens à disposição da Obra; só usam seu automóvel se a estrada for boa, e mesmo assim se a igreja pagar o combustível.

Aqueles que agem assim têm o coração fechado, e sempre guardam o melhor que têm para si mesmos, esquecendo que na verdade tudo pertence ao Senhor. Este tipo de oferta não agrada ao Senhor e não chama a sua atenção, pois não existe gratidão nestas coisas, e o sentimento da adoração é muito superficial.

A pobre viúva representa a pessoa profundamente necessitada e dependente. Aquilo que ela oferta é tudo o que ela tem, é todo o seu sustento, é toda a sua vida. Ela não ofertou sobras, mas tudo que tinha; a partir daí sua vida passou a depender totalmente do Senhor. Ela não colocou seu coração na aparência daquilo que tinha na mão, pois sabia que o Senhor poderia lhe dar muito mais.

As duas moedas da viúva pobre apontam para a nossa entrega pessoal, para a comunhão da nossa vida com o Senhor Jesus. Aquilo que mais chama a atenção do Senhor não é outra coisa senão a entrega total da nossa vida a Ele, é a oferta sem reservas de tudo que temos em nós, a fim de que o Senhor use na realização da sua Obra, e a sua Obra é mais valiosa do que a nossa própria vida. Quando entregamos tudo que temos, alcançamos uma vida de plena comunhão com o Senhor, e nossa vida tem o valor do Ministério do Senhor Jesus – cinco réis.

CONCLUSÃO


Quando Jesus apontou para a oferta da pobre viúva, Ele estava mostrando aos discípulos um exemplo e uma forma de vida, uma vida de entrega total, como Ele mesmo se entregou por todos nós, morrendo na cruz para a nossa salvação. Jesus não negou nada ao Pai, mas ofertou sua vida por inteiro, e o Pai se agradou da sua oferta.  

A Obra no Egito

01:00 0 Comments A+ a-

A OBRA NO EGITO
Isaías 19: 19-22


Naquele tempo o Senhor terá um altar no Egito... - O altar erigido no Egito (tipo do mundo) fala da Cruz do Calvário, que foi levantada com o Senhor Jesus pregado nela, oferecendo o mais perfeito sacrifício a Deus para a salvação de todo o mundo - Jo 3: 14-16.

...e um monumento se erigirá ao Senhor... - Todo monumento é erigido para representar alguém muito importante e sua Obra. O monumento que foi levantado no meio do mundo para lembrar o Senhor Jesus e sua Obra, foi a Igreja Fiel.

...e servirá de sinal e testemunho ao Senhor dos Exércitos na terra do Egito... - A função de um monumento é lembrar a todos que olharem para ele, aquilo que ele representa. A igreja existe hoje no meio do mundo, como um sinal do poder de Deus e como um testemunho da Obra de Jesus. O sinal aponta exatamente para a morte e o derramar do Sangue de Jesus, que tem poder para purificar e transformar o pecador. A igreja fiel é aquela que tem os sinais da morte e ressurreição do Senhor Jesus, como testemunho vivo da sua Pessoa - Atos 1: 8.

...porque ao Senhor clamarão, e ele enviará um Redentor e um Protetor que os livrará... - Aqueles que têm se unido à igreja e se tornado parte dela, passam a viver em comunhão com o Pai, e por Ele são atendidos quando clamam nos momentos de luta e necessidade de socorro. O Pai tem enviado o Redentor (Jesus) e o Protetor (Espírito Santo) para livrar seus servos das garras da opressão e da morte eterna - At 12: 11.

...o Senhor se dará a conhecer ao Egito... - Deus tem realizado uma Obra gloriosa nesta última hora em todo o mundo. Ele tem se revelado e se tornado conhecido através do Senhor Jesus, conduzindo muitos ao arrependimento e à salvação, através do seu Espírito Santo. A revelação do Senhor Jesus também conduz o homem a uma vida de comunhão e santificação, através da aliança que faz com ele.

...e ferirá aos Egípcios e os curará; e converter-se-ão ao Senhor, e mover-se-á às suas orações e os curará... - A obra de Deus na vida do homem é realizada, muitas vezes, em meio às provas e tribulações da vida - a misericórdia do Senhor permite que isso aconteça. O propósito do Senhor é levar o homem à sua presença, para depois curá-lo de seu maior mal, que é o pecado. O pecado está profundamente arraigado na vida do homem, e muitas vezes é preciso um tratamento doloroso para que ele seja curado deste tão grande mal. Quando isso acontece, o homem é convertido ao Senhor, e passa a viver em comunhão com Ele, e desta forma, as suas orações são ouvidas e atendidas pelo Senhor Jesus. Esse processo produz uma experiência de cura e libertação constantes - Heb 12: 6.

A necessidade de uma vida definida

01:00 0 Comments A+ a-


I Pedro 3: 15


INTRODUÇÃO

A igreja vive um momento profético de definição nesta hora. Somente aqueles que tiveram uma experiência com o Senhor Jesus, é que se definiram e se firmaram no Caminho (I Jo 1: 1- 3).  

DESENVOLVIMENTO 

Muitas vezes nos deparamos com pessoas que estão na igreja por causa de seus pais, de seus amigos, ou por causa dos hinos que aprecia, ou por outros interesses. Essas pessoas, mais cedo ou mais tarde, abandonarão a caminhada, como já aconteceu com muitos.

O mundo tem muitos argumentos e armas para desmantelar a vida daquele que não teve uma real experiência com o Senhor Jesus. A ausência desta experiência pode levar muitos a não saber o que responder diante das “dúvidas” levantadas por muitos que estão vivendo na razão e na religião, fazendo com que eles mesmos passem a duvidar das verdades bíblicas, afastando-se delas.

Hoje em dia temos visto jovens da igreja se deixando dominar pelos laços deste mundo, induzidos por colegas e amigos que os envolvem com seus argumentos, já conhecidos; aconselhando-os a aproveitar os prazeres da vida e do mundo, pois eles estão aí para isso mesmo. Como é triste saber que muitos têm vergonha de serem identificados como servos de Jesus diante de seus colegas de escola, preferindo se identificar com eles, na sua maneira de falar, de se vestir e de proceder, com medo do confronto e de sofrerem desprezo.

Como é importante a experiência pessoal e transformadora proporcionada pelo Espírito Santo, pois ela nos dará uma personalidade de verdadeiros servos, através da  Armadura de Deus, com a qual venceremos as astutas ciladas do maligno, permanecendo firmes diante do mal.

 CONCLUSÃO

A Palavra diz: “Ora irmãos, rogamo-vos, pela vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, e pela nossa reunião com Ele, que não vos movais facilmente do vosso entendimento...” – II Tess 2: 1, 2b.

Ananias, Misael e Azarias, amigos de Daniel, foram lançados vivos, pelo rei Nabucodonosor, na fornalha de fogo ardente, mas não negaram sua fé no Senhor Deus de Israel (Dn 3: 19-25).

Os discípulos enfrentaram situações de grande perigo em suas vidas, e nunca negaram ao Senhor. Superaram todas as provações, por causa da sua experiência com o Senhor Jesus ressurreto. Eles foram ameaçados, torturados, perseguidos, mas nunca deixaram de testemunhar do nome de Jesus (At 4: 19).

O apóstolo Paulo não temeu as autoridades e os reis, e falou ousadamente daquilo que o Senhor realizou na sua vida no caminho de Damasco (At 26: 9–20).

Hoje em dia precisamos atentar para a vida destes e de outros servos, que tiveram um encontro com Jesus e se definiram na sua presença, permanecendo fiéis até o fim de sua vidas.

O Vale de Baca

01:00 0 Comments A+ a-



Texto: Salmos 84:5-7

 “Bem-aventurado o homem cuja força está em ti, em cujo coração estão os caminhos aplanados. Que, passando pelo vale de Baca, faz dele uma fonte; a chuva também enche os tanques. Vão indo de força em força; cada um deles em Sião aparece perante Deus.

 O salmo 84 é caracterizado com o cântico dos degraus. Os Cânticos dos degraus são assim chamados, pois estes eram entoados pelo povo de Israel quando subia a Jerusalém. Vemos neste salmo o projeto de resgate do homem e a sua trajetória de volta para a casa do Pai. 

Vale de Baca – tem dois significados:“lágrimas” e “árvores de bálsamo”

O vale de Baca fala do sacrifício de Jesus. Para Jesus, o vale representou lágrimas, angustia e sofrimento. Para nós, este vale(Bálsamo) representa cura, refrigério, consolo.

 Um detalhe: o processo de extração do bálsamo é muito parecido com o da seringueira. Fere-se a árvore e colhe-se a seiva para produzir o bálsamo. Assim, Jesus foi ferido para que pudéssemos, através de seu sangue, ser purificados dos nossos pecados.

 Chuva enche os tanques – é o segundo passo. Quando conhecemos Jesus, tivemos uma experiência de salvação, o Espírito Santo é derramado sobre nós como selo desta salvação. É o batismo com Espírito Santo que enche os nossos corações.

 Indo de força em força – processo de santificação do homem. A partir deste momento, o homem rejeita o seu velho “eu”, os pecados de outrora, a sua razão e vontade. Ele passa a viver uma nova vida, uma nova caminhada. De força em força, a cada dia. Esta força não é nossa, mas o Espírito Santo está conosco, nos orientando, nos dando toda a direção.

 Em Sião aparece diante de Deus – sem santificação o homem não verá a Deus. Fala do momento especial que a igreja tanto anseia: o encontro com o Senhor, as bodas do Cordeiro. A igreja será arrebatada e estará com o Senhor na eternidade.

 Nós podemos dizer que somos bem-aventurados, somos muito felizes. Sabemos que a nossa força vem do Senhor, que nos conduz, nos capacita nesta caminhada. Em nossos corações estão os caminhos aplanados: Jesus, o caminho direito, certo, que conduz o homem de volta a casa do Pai.

Diácono Josenilson

Felicidade conjugal não é um acidente – 6/6

00:00 0 Comments A+ a-





Cinco decisões que podem estabelecer sua felicidade conjugal e familiar
Quinta Decisão – faça da sua casa um lugar melhor (uma decisão geográfica)
Não chegamos a conhecer as pessoas quando elas vêm à nossa casa; devemos ir a casa delas para ver como são.
 (Johann Goethe)
 Quando programamos uma mudança de residência, levamos apenas coisas que sabemos que ficarão bem na nova casa. Geralmente, fazemos uma reforma na nova casa, caso ela seja usada, e depois a mobiliamos com o que de melhor podemos comprar para que fique bonita e confortável. Como é bom preparar um lugar aconchegante para nós e nossa família.
Vamos juntos às lojas, conversamos sobre o local onde cada móvel ficará, escolhemos os enfeites – vasos, quadros, tapetes – e depois nos mudamos. Em nossa nova casa só colocamos aquilo que sabemos que a fará ficar ainda mais bonita.
É preciso, porém, fazer uma manutenção constante em outro quesito. É preciso escolher também as pessoas que entrarão em nossa casa. Por isso, a nossa quinta e última decisão é: Decida fazer da sua casa o melhor lugar do mundo para estar.
Veja o que está escrito em Marcos 2.1: “Dias depois entrou Jesus de novo em Cafarnaum e logo correu que ele estava em casa”.
Ele estava em casa. Jesus estava em casa. Quem entrou naquela casa era nada menos que o Príncipe da Paz, o Conselheiro, o Deus forte, o Pai da Eternidade.
Quem é Jesus? O Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim, o que era e o que é, o Senhor Todo-poderoso! Entrou naquela casa a semente que nasceu para esmagar a cabeça da serpente, aquele que disse: “Eu sou a ressurreição e a vida, quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá”. E também disse: “Eu sou o bom pastor e o bom pastor dá a vida pelas suas ovelhas”.
As pessoas correram para lá quando souberam que Jesus estava em casa. Não é em todas as casas que Jesus entra. Há casas nas quais Jesus não entra porque as pessoas não têm compromisso com ele. Penso que você nunca poderá afirmar que “ele está em casa” se a presença dele não mudar você. Quem não se deixa transformar por Jesus faz dele um “Jesus fraquinho”. Onde Jesus está, a sua presença causa alguma novidade em termos de mudanças e tais mudanças, geralmente, são bem radicais e notáveis. Do contrário, que Jesus pequeno é esse que está presente, mas a sua presença não muda as coisas em nós? Esse Jesus que não muda as coisas não é o mesmo Jesus dos Evangelhos. E há muitos “Jesus genéricos” por aí, mas eles não causam mudanças.
Só é possível dizer que Ele está em casa quando as pessoas notam algo radiante, e por isso… “muitos afluíram para ali, tantos que nem mesmo junto à porta eles achavam lugar e anunciava-lhes a palavra”.
A frase “muitos afluíram para ali” é a expressão sincera do evangelista Marcos, e ela nos revela o que acontecia e o que deve acontecer quando Jesus, verdadeiramente, está em uma casa.
A presença de Jesus deve fazer da nossa casa um lugar onde todos querem estar. O filho quer estar, a nora quer estar, o genro quer estar, o tio quer estar, o primo quer estar, todos querem estar. “Muitos afluíram para ali.”
Quando Jesus está na nossa casa, a casa torna-se um lugar que atrai. Isso não significa que teremos uma “casa da mãe Joana”. Isso não significa que a família de origem dará palpites nos nossos assuntos. Quem acompanha o meu trabalho sabe como tenho ensinado sobre os limites existentes para preservar relacionamentos conjugais e familiares.
Cultive a presença de Jesus em sua casa.
Uma das coisas que Jesus fazia era frequentar algumas casas de pessoas próximas e de outras que não eram tão próximas assim. Por exemplo, Jesus sempre estava na casa de Lázaro, sempre! Sabe por quê? Porque era uma família que sabia hospedar, alguém lá tinha a mão poderosa para preparar os quitutes. Como é bom estar onde somos bem hospedados.
Quando a família da sua esposa chega à sua casa, você se esconde no quarto? Foi isso o que você aprendeu com Jesus? Quando a família do seu marido chega à sua casa, você dá um jeitinho de sair para fazer compras? Esse é a hospitalidade que você aprendeu com Jesus? Quando o seu marido diz que irá trazer uns irmãos da igreja ou alguns amigos para estar um tempo em sua casa, você fica “bicuda”? Ou você pensa: “Lá vem a turma dele. Vão estragar meu sofá, vão estragar minha mesa, vão lambuzar a minha churrasqueira, vão sujar meu quintal e quebrar minhas plantas, mexer nas minhas coisas…”. Ou pior ainda: “Essa turma come demais, vão acabar com a comida aqui em casa”.
Parafraseando um versículo do apóstolo João, “se você não sabe receber a sua mãe, a quem você vê, saberá receber a Jesus, a quem não vê?”. Eu conheço muito bem as questões que envolvem a hospedagem de pessoas em nossa casa porque frequentemente hospedo pessoas e famílias em minha casa – frequentemente!
Se Jesus está na minha casa, quem fica hospedado lá deve sentir paz naquele lugar, deve sentir liberdade porque Jesus está lá e mora conosco. E onde Jesus está, todos querem estar também!
Portanto, estas são as perguntas que lhe faço: “Como é a sua casa a partir das suas atitudes? Como você avalia o ambiente em sua casa tomando por referência o seu procedimento com as pessoas?”.
Lembro-me de quando tivemos uma célula em casa, e essa célula contou com 50 jovens. Imagine isso! E nós conseguimos fazer com que todos se sentissem à vontade.
“Entre…. Sente-se… Coma… Pegue aí, gente. Sente-se ali… Pegue lá…” Jesus estava em casa.
Foi assim. Onde Jesus está, há festa! Onde Jesus está, a reunião é alegre, animada e não fúnebre. Onde Jesus está, a glória da ressurreição está presente. Onde Jesus está, tem de haver festa! A sua casa é um lugar de festa!
Cultive a presença de Jesus na sua casa porque a presença de Jesus faz com que o lar, o casamento, a família tornem-se ferramentas de transformação.
Quando Jesus está presente, ele não deforma a situação e as pessoas: ele as transforma. Se Jesus estiver por perto, a água virará vinho.
É preciso decidir que Jesus será o Senhor da nossa família a partir do fato de o termos como Senhor da nossa vida. Primeiro eu, depois nós. Por isso a nossa quarta decisão foi sermos uma cópia de Jesus e, agora, a quinta decisão é que a nossa casa, nós, a nossa família serão para ele. É um processo. Não cairá uma caixa nem um embrulho do céu com o “Kit Felicidade Conjugal e Familiar”. É um processo que construímos aos poucos, envolvendo as pessoas aos poucos, promovendo mudanças e transformações aos poucos, durante toda uma vida. É um projeto para toda uma vida, dia a dia, pessoa a pessoa.
A primeira coisa que faço todos os dias quando acordo, estando em casa ou não, é dobrar os meus joelhos, segurar na mão da minha esposa (se eu estiver em casa) e começar o meu dia falando com Deus. Quem você começa o dia sem falar com Deus, passa o dia todo falando com o diabo.
Todos os dias, levanto-me pela manhã, e mesmo que minha esposa esteja dormindo, eu pego na mão dela e oro. Ela já sabe que vou orar quando pego em sua mão pela manhã porque tornou-se um hábito, e ela segura na minha mão e nós oramos. Minha oração pela manhã tem sido esta:
Venha o teu reino. Venha o teu domínio. Venha a tua soberania. Ocupe o primeiro lugar na minha vida, Senhor. Guarda-me do adultério, guarda-me da maledicência, guarda-me da mentira, guarda-me da ilegalidade, e ajuda-me a servir o próximo com excelência servindo a ti. Eu quero te servir servindo ao próximo. Abençoe minha esposa, meus filhos, minha nora, meus netos, minha filha, meu genro. Dá-me um dia na tua presença. Não me deixe perder nenhuma oportunidade de glorificar o teu nome na vida de alguém, em nome de Jesus. Mas venha o teu reino. Seja o Senhor da minha casa, seja o Senhor do meu casamento, seja o Senhor da minha família. Venha o teu reino, venha o teu domínio, venha o teu controle, venha o teu senhorio.
Decidi que em todos os dias da minha vida a primeira voz que eu tenho que ouvir é a voz de Deus. Por isso, não leio outra coisa antes de ler a Bíblia logo pela manhã. É um processo que estou promovendo a fim de melhorar e manter a felicidade na minha vida, e depois na vida dos que são meus. E isto eu faço porque quando ele é o Senhor, o processo de transformação não para. Nós sempre acordaremos um pouco melhor do que no dia que passou.
Não podemos mais perder tempo; precisamos acordar todos os dias, a partir de hoje, um pouco melhor do que no dia de ontem. Precisamos ser como a luz da aurora que brilha um pouco mais a cada manhã! Da mesma maneira, precisamos viver um milagre como o da água no processo de transformação para se tornar vinho: aos poucos, ela ficou um pouco melhor até tornar-se vinho, conforme lemos no Evangelho de João. Um pouco melhor a cada instante.
Sua relação com seus filhos será um pouco melhor a cada dia! Sua relação conjugal será um pouco melhor a cada dia! Seu relacionamento com a família de origem será um pouco melhor a cada dia! Seu relacionamento com a família de origem do seu cônjuge será um pouco melhor porque se Jesus está envolvido com vocês, ela não pode piorar, mas deve melhorar!
Quando Jesus está presente a casa também se torna um lugar de cura.
Em Marcos 2, há uma história interessante de cura, um verdadeiro milagre ocorrido dentro de casa. Como é que aquele homem chegou até Jesus se não podia andar por conta própria? Chegou carregado. Os amigos levaram-no até a casa de Pedro em Cafarnaum, mas não havia lugar de acesso pela porta para ele entrar. Alçaram o homem ao telhado, abriram uma fenda no teto, desceram-no no centro da sala por uma corda ou algo assim. E ele chegou à presença de Jesus, no lugar da sala onde o Mestre estava. Quando baixaram aquele homem, a Bíblia diz que Jesus não viu a fé do doente, mas viu a fé dos amigos que o levaram. Que impressionante!
Se você não consegue crer, ande com pessoas que creem por você e que creiam no seu milagre. A Bíblia diz que Jesus não viu a fé do doente, ele viu a fé dos amigos que levaram o doente.
Há momentos quando não conseguimos avançar por conta própria, com nossos próprios esforços. Precisamos de um amigo que nos leve, que nos empurre, que creia em nosso lugar ou por nós. É assim que avançamos quando não temos forças. Por isso é importante que você esteja com seus irmãos, esteja envolvido na igreja. Há um movimento em nossos dias que acusa a igreja, que critica a igreja, que aponta os problemas da igreja, mas a igreja não é só um lugar de problemas. Do mesmo modo, há movimentos em nossos dias que querem acabar com a família por meio de discursos, da mídia, da política e de movimentos sociais contrários ao que Deus criou há milhares de anos. Mas sem uma família convencional, “papai-mamãe”, nem mesmo esses manifestantes teriam nascido.
Você e todos nós precisamos promover a nossa casa e a nossa família a um lugar de cura, a um lugar de saúde para nossas emoções, para nossa alma. E com isso, com Jesus presente, o seu casamento será curado e reestabelecido. Creio nisso em nome de Jesus! Se hoje você não crê, eu creio por você! Se você não acredita, Deus acredita em você. Deus acredita no seu casamento. Deus acredita na sua família, no seu filho, na sua filha. Deus acredita no bom êxito do seu casamento e da sua família, e nenhuma palavra do que ele disse haverá de cair no esquecimento. Deus não é homem para que minta nem filho do homem para que se arrependa.
É interessante pensar que desceram o homem naquela casa e Jesus o curou; aquele que entrou carregado colocou a sua cama nas costas e saiu carregando-a. Aquele que era o objeto da sua grande vergonha tornou-se o próprio troféu. Aquilo que o prendia foi mudado em símbolo e demonstração de liberdade. Aquilo que o aprisionava como coxo, como paralítico, foi o seu prêmio. E ele saiu dizendo a plenos pulmões: “Vejam o que aconteceu comigo, eu fui curado! Eu fui curado! Eu fui curado!”.
Vejo nisso um sinal de que aquilo que hoje é a nossa grande vergonha pode ser visto amanhã por todos como o nosso grande testemunho.
No entanto, há algo mais que quero que você veja nessa passagem do Evangelho de Marcos. A casa de Pedro tornou-se lugar de cura porque Jesus ocupava o lugar principal ali. O lugar de Jesus deve ser o lugar do Senhor da família. Quando Jesus ocupa o primeiro e mais importante lugar em uma casa, ela se torna lugar de cura.
Coloque Jesus em primeiro lugar e no lugar principal, e a sua casa deixará de ser um lugar comum para se tornar o lugar onde acontecem coisas sobrenaturais – um lugar de coisas extraordinárias, um lugar excepcional!
Quem entrar em sua casa oprimido, sairá liberto!
Quem entrar na sua casa carregado, sairá carregando o seu troféu!
Quem entrar na sua casa triste, sairá alegre!
Quem entrar na sua casa doente, sairá curado!
Quem entrar na sua casa vazio, sairá batizado com o batismo de transbordamento!
Sua casa será lugar de cura. Quando Jesus está presente a casa torna-se lugar de salvação.
Comece a tratar de maneira diferente as pessoas da sua família que não o entendem e que demonstram não gostar de você. Seja uma cópia de Jesus no lugar onde você vive, vença o mal com o bem, pois quando fazemos o bem a quem nos faz o mal, jogamos brasas acesas na consciência como disse o apóstolo Paulo (Rm 12.20). Em pouco tempo, morrerá o inimigo e nascerá o irmão. Deixe que a sua família veja Jesus em você.


Pr. Josué Gonçalves é terapeuta familiar, pastor sênior do Ministério Família Debaixo da Graça - Assembleias de Deus em Bragança Paulista – SP, bacharel em teologia, com especialização em aconselhamento pastoral e terapia de casais, exerce um ministério específico com famílias desde 1990.

O Senhor cuida do seu povo

07:53 0 Comments A+ a-

SALMOS 84:06

"O qual passando pelo vale de Baca, faz dele uma fonte; a chuva também enche os tanques."


INTRODUÇÃO

A palavra nos fala de um lugar onde o povo de Deus passava e suas enfermidades eram curadas (física ou espirituais), Deus tem reservado um lugar assim para o seu povo, trazendo renovo, sarando as feridas ao longo da caminhada, alcançando os corações, fazendo-os transbordar da alegria da salvação.

Vale de ossos - Ezequiel 37: 1-12


DESENVOLVIMENTO

O qual passando pelo Vale de Baca - nos fala da dinâmica da Igreja, na caminhada no corpo rompendo todas barreiras. Lugar onde os pastores tinham o costume de levar seu rebanho para passar o bálsamo, para cura de suas enfermidades, e ter o cheiro aromático. (Lugar cheio de arvores de bálsamo).

Faz dele uma fonte - o Senhor Jesus é a fonte da vida.

A chuva também enche os tanques - o Espírito Santo tem operado grandemente, chuva de bênçãos, sem medida, suprindo todas necessidades mediante a fé. O homem quando se coloca diante do Sr. e deixa ele conduzir a sua vida,  seu (tanque) coração transborda da alegria da salvação.


CONCLUSÃO

O Senhor tem falado a cada servo na sua necessidade, conduzido ao vale de Baca e na igreja, todos os dias a ovelha é levada a uma experiência a mais com o seu Pastor.

Diácono Josenilson

Felicidade conjugal não é um acidente – 5/6

01:00 0 Comments A+ a-




Cinco decisões que podem estabelecer sua felicidade conjugal e familiar
Quarta Decisão – Seja uma cópia de Jesus
Os gritos começam quando termina a inteligência. (Marlene Guerrato)
Você sabe o que é mimese? A mimese é a imitação que alguém faz de um comportamento de outra pessoa. Há um escritor francês que desenvolveu uma teoria sobre o comportamento humano e chamou essa teoria de “teoria do desejo mimético”. Isso nada mais é do que desejar o que o seu modelo deseja. É desejar o desejo do outro. Isso não é bom quando você tem um modelo humano e imperfeito, mas quando o seu modelo é perfeito, divino e insuperável, então eu penso que você terá desejos elevados.
A partir disso, quero propor a quarta decisão que você precisa assumir a fim de que sua família e seu casamento tenham felicidade de maneira constante: Decida ser uma cópia de Jesus dentro da sua família.
Desejar faz parte do aspecto volitivo do ser humano; todos nós desejamos algo: um objeto, o cumprimento de um sonho, uma sensação agradável, uma condição especial. São muitos os desejos que eu poderia relacionar aqui como desejos que estão dentro da esfera volitiva do homem. Quero que dê atenção a este desejo específico: deseje ser uma cópia de Jesus dentro da sua família.
Veja este texto: “Vinde a mim todos os que estais cansados e sobrecarregados e eu vos aliviarei”. Com esta declaração, Jesus nos deixa uma porta aberta para que saibamos que podemos contar com Ele sempre que as coisas apertam. E elas sempre apertam em algum momento. Não importa a circunstância, o caso ou a situação: sabemos que sempre poderemos contar com Jesus nas nossas dificuldades. Sabemos que não seremos humilhados, nem ignorados, nem desprezados se recorrermos a ele nas nossas fraquezas e dificuldades.
Esse é o ponto que preciso destacar aqui quanto à nossa proposta de decisões para a felicidade conjugal e familiar: faça o que Jesus quer que seja feito dentro da sua casa. Em outras palavras, copie ou imite Jesus sendo você mesmo um “aliviador” das cargas emocionais, das pressões psicológicas, das crises espirituais sobre a vida dos membros da sua família ou do seu cônjuge.
“Vinde a mim todos os que estais cansados e sobrecarregados.” Sabe o que mais significa isso? Que Deus quer que eu seja um canal da sua graça, aliviando os cansados, oprimidos, sobrecarregados dentro da família. Ele quer que eu reproduza com o meu próximo aquilo que que Ele faz comigo. Ele quer que eu seja uma cópia. É isso que Deus quer que nós sejamos. Seja uma cópia de Jesus. Paulo já havia pensado nisso quando escreveu: “Sede meus imitadores, como também eu sou de Cristo” (1Co 11.1).
Jesus prossegue: “Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim porque sou manso e humilde de coração…” (Mt 11.29).
Será que podemos dizer à nossa família essa frase de Jesus: “Aprendam comigo porque eu sou manso”? Será que podemos fazer as afirmações seguintes?
– Eu não grito, sempre falo baixo.
– Eu não esbravejo, sempre sou calmo.
– Eu sempre corrijo meus filhos com amor, nunca com ira.
Lembro-me daquela história de uma mulher que pegou o filho na igreja, porque ele estava aprontando “umas poucas e boas” durante o culto, e o arrastou para trás do templo. Ela estava na batalha para dar um “esfrega” no garoto, mas ele, sendo mais esperto do que ela, escapou. Então correu para o templo e subiu as escadas para a galeria. O templo estava lotado, pois era domingo à noite. Lá no alto, ele deu um grito: “Pastor! Põe a igreja em oração porque a minha mãe está endemoninhada lá atrás da igreja”.
“Aprendei de mim porque sou manso.” Essa historiazinha do filho e sua mãe, como muitas outras, é fictícia. No entanto, elas sempre têm um pano de fundo na realidade, sempre são criadas a partir de uma cena ou de situação reais. Como a nossa família precisa de gente mansa!
Tenho um compromisso muito sério com a excelência e, por conta disso, não suporto ver coisas erradas, não suporto ver coisas quebradas e não posso ver coisas mal feitas. Estou trabalhando em minha consciência para que eu não seja um perfeccionista porque, na verdade, o perfeccionista esconde certo complexo de inferioridade e torna-se uma pessoa “tóxica”.
Tempo atrás, era muito comum eu explodir por qualquer coisa que não estivesse com perfil de excelência. Era mais comum do que hoje eu ter esses momentos de inconformismo em função daquilo que não estivesse bem feito. Comecei, porém, a pensar nisso: “Aprendei de mim, porque sou manso”. E entendi que precisava ser uma cópia de Jesus. A frase de Jesus estava na minha cabeça: “Aprendei de mim, porque sou manso”. Sabe o que aconteceu? Hoje, quando preciso resolver um problema, vou orando antes: “Senhor, segure-me. Senhor, ajude-me. Não me deixe explodir, Senhor. Não me deixe ferir meu irmão com um tom de voz desnecessário. Senhor, ajude-me”.
Isso é treinamento, isso é exercício que precisamos fazer o tempo todo para melhorar as áreas que devem ser modificadas. Tornamo-nos antipáticos quando começamos a explodir por qualquer coisa, a agredir, machucar, gritar, brigar. E, invariavelmente, nós nos arrependemos ao perceber os excessos e ver que não era necessário tamanho exagero. Olhamos para trás e vemos que já ferimos, já machucamos, já fizemos pessoas chorar sem que fosse preciso agir assim. É preciso ser manso.
Há um tempo, minha esposa comprou um celular de presente para mim. E eu avisei ao Pedrinho: “Olhe, não mexa no aparelho porque se você mexer, vai desconfigurá-lo, e aí não conseguiremos reajustar como antes”.
E não é que ele mexeu? Desconfigurou o aparelho todo. Eu explodi… Levei o Pedrinho para a minha sala e falei umas “verdades” para ele, desabei.
Pouco depois, quando fui à cozinha tomar um café, passei pela sala e lá estava o garoto, todo murchinho, acabrunhado.
Pensei: “Poxa, errei. Não precisava ter dito tudo aquilo ao garoto”.
Voltei até à sala.
– Pedro, chega aqui! – eu o chamei, e lá veio ele, todo triste, ombrinhos caídos.
– Fala, pai! – respondeu ele em voz baixa.
– Rapaz, foi mal, hein! Você errou, não era para mexer. Mexeu, desconfigurou. Eu podia ter cobrado de você a desobediência, mas não podia cobrar usando o tom de voz que usei. Você perdoa o pai?
– Tá perdoado, pai! — respondeu ele, e me deu a mão.
Caro leitor, precisamos nos esforçar para sermos uma cópia de Jesus. Precisamos encarar as nossas fraquezas e substitui-las por novas atitudes de acordo com a maneira de agir de Jesus e com aquilo que ele quer que façamos hoje. Para cada ato falho nosso, há uma nova oportunidade inspirada por Deus a fim de nos reconduzir ao caminho direito. Mas a tomada de decisão para refazer o que foi destruído cabe a nós. Deus já fez o que era preciso e nos convoca a reagir contra o mal, imitando a sua vida, o seu jeito de ser, o seu modo de pensar.
“Aprendei de mim porque sou manso e humilde de coração.”
Todos quantos querem praticar isso dentro de sua casa precisam reagir contra o conformismo e, deixando de lado o orgulho, refazer o caminho na direção do perdão e da reconciliação, substituindo uma explosão de raiva por outra de mansidão.
Meu desejo é motivar você a mostrar em sua casa a nova pessoa criada em Cristo Jesus. Meu desejo é incentivar você a agir como quem nasceu de novo, para que todos vejam que algo novo de Deus começou na sua vida! Meu desejo é incentivar você a tomar decisões que revelem saúde espiritual e emocional em sua vida, para que isso seja transmitido a todos quantos estiverem próximos a você, e que suas ações não mais intoxiquem nem façam adoecer a ninguém. A sua presença transformará o ambiente na sua casa. A sua presença alterará a vida de pessoas por causa da sua influência.
Incentivo você a rever o mau humor e a tomar decisões no sentido de tornar-se uma pessoa mais alegre, amável e mansa.
Quando passamos a ser mais mansos e humildes, ocorre o que Jesus disse, evidentemente: “… e achareis descanso para vossa alma” (Mt 11.29).
Jesus está falando de segurança, está falando de conforto, de harmonia. Você terá esses resultados todos com sua família, com seu cônjuge e seus filhos, e esses serão os frutos que surgirão quando aplicar o coração ao exercício da mansidão dentro de casa, com a família. E quando você aplicar o seu coração e investir o seu esforço para tornar-se uma pessoa mansa, então poderá ouvir do seu filho, do seu marido ou da esposa, que agora você é outra pessoa. Imagine isso! Pense em como seria o seu filho testemunhar a seu respeito coisas como essas: “Meu pai está doce, ele está amável. O meu pai agora chupa sorvete comigo, come pizza comigo, toma café comigo. Ele senta no sofá para assistir um filme comigo”.
E então você saberá que de fato decidiu e conseguiu ser uma cópia de Jesus. Decida hoje mesmo ser uma cópia de Jesus, pois você não estará sozinho nesse empreendimento. Os resultados são certos, uma vez que confiamos nas promessas de Jesus:
Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve. (Mt 11.29,30)
Quero terminar este capítulo registrando uma oração por você que tem sofrido e lutado contra os momentos nos quais tem perdido o controle. Entendo perfeitamente muitas das causas que levam uma pessoa a perder o controle e “estourar”. Nossos dias são tensos, estressantes, agitados, e as cobranças são inúmeras. Mas nós temos um refúgio onde podemos encontrar amparo e proteção.
Por isso, acompanhe comigo essa oração e permita que o Espírito de Deus conduza você a um lugar de refrigério para a sua alma.
“Espírito Santo, peço que se manifeste agora e cure o nosso estresse, que cure o nosso sistema nervoso enfermo e à flor da pele, que cure a nossa maneira grosseira e estúpida de ser, que cure a nossa maneira mal educada de tratar as pessoas. Peço, Santo Espírito, que cure o nosso temperamento tão descontrolado. Senhor, há pessoas fazendo tempestade em copo d’água e perdendo a cabeça por pouca coisa. Há pessoas ferindo funcionários, ferindo aquele que ajuda em casa, ferindo o cônjuge, ferindo os filhos e ferindo a si mesmas, sem perceber que os outros estão se distanciando. Há pessoas que provocam tensão pelo simples aproximar-se dos demais porque a sua presença é tóxica, perturbadora, e não é abençoadora. Nós não queremos ser assim, Senhor! Nós não queremos ser isso; queremos ser uma cópia de Jesus. Queremos ser uma cópia de Jesus, pois ele disse: ‘Aprendam comigo porque eu sou manso e humilde de coração’. Queremos isso porque o Espírito de Deus controlará a nossa vida, o Espírito de Deus dominará o nosso temperamento, o Espírito de Deus estará construindo em nós o caráter de Jesus. Amém.”

Pr. Josué Gonçalves é terapeuta familiar, pastor sênior do Ministério Família Debaixo da Graça - Assembleias de Deus em Bragança Paulista – SP, bacharel em teologia, com especialização em aconselhamento pastoral e terapia de casais, exerce um ministério específico com famílias desde 1990.