PROCLAMANDO A VOLTA DO SENHOR JESUS!




"E o Espírito e a esposa dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede, venha; e quem quiser, tome de graça da água da vida” -Apocalipse 22:17



sábado, 6 de agosto de 2016

João Calvino não era Calvinista

João Calvino (1509-1564): Oração Pela Salvação de Todos os Homens



Em seguida oramos, graciosíssimo Deus e misericordioso Pai, por todos os homens em geral. Como o Senhor deseja que todos os homens te reconheçam como Salvador do mundo, através da redenção obtida mediante nosso Senhor Jesus Cristo, possam aqueles que não te conhecem, estando na escuridão e cativos da ignorância e erro - possam eles, pela luz do nosso Santo Espirito e pela pregação do teu evangelho, ser levados ao caminho da salvação, que é conhecer a Ti, o Senhor, o único e verdadeiro Deus, e Jesus Cristo o qual tu enviaste.

Possam aqueles que já visitaste com tua graça, e iluminaste pelo conhecimento de sua Palavra, crescer em toda bondade, enriquecidos pelas bençãos espirituais, a fim de que, juntos, possamos todos te adorar com o coração e a voz, honrando e glorificando a Cristo, nosso Mestre, Rei e Legislador.

Da mesma maneira, Ó Senhor de toda consolação, nós encomendamos a Ti todos aqueles que visitas e castigas com a cruz e tribulação, seja pela pobreza ou prisão, doença ou exílio, ou aflição de corpo ou mente. Que tu tornes conhecido para eles teu amor paternal, e lhes assegure que teu castigo é para a reforma de vida. E possam eles de boa vontade voltar a Ti, sendo convertidos, recebendo teu conforto, sendo libertados de todas as aflições.

Finalmente, Ó Deus e Pai, concede também que nós, que estamos reunidos aqui no nome de Jesus para ouvir tua Palavra, possamos, sem dissimulação ou hipocrisia, reconhecer que por natureza estamos perdidos, que nós merecemos tua punição, e diariamente colher condenação para nós mesmos por nossas vidas miseráveis e desordeiras. Ajuda-nos a ver que em nós não há nada de bom, e que esta carne e sangue não podem herdar o teu reino. Possamos com alegria e com confiança submetermo-nos ao nosso Senhor Jesus Cristo, nosso único Salvador e Redentor. E que ele possa viver em nós de modo que, nosso velho Adão posto à morte, possamos nos levantar para uma nova e melhor vida, para a glória e honra do teu nome.

Fonte: Beatitudes: sermões sobre as bem-aventuranças. João Calvino; tradução de Julio Zabatiero. São Paulo. Fonte Editorial, 2008. 120p.
Leia Mais ››

Conheça a comunidade virtual CBI-ICM

BLOGS CBI-ICM



VISUALIZE O CONTEÚDO DESTES BLOGS EM SEM SMARTPHONE OU TABLET
Leia Mais ››

A família na época pós-moderna


A pós-modernidade está firmada sobre o tripé: pluralização, privatização e secularização. A pluralização diz que há muitas ideias, muitos valores, muitas crenças. Não existe uma verdade absoluta, tudo é relativo. A privatização diz que nossas escolhas são soberanas e cada um tem sua própria verdade. A secularização, por sua vez, coloca Deus na lateral da vida e o reduz apenas aos recintos sagrados. A família está nesse fogo cruzado. Caminha nessa estrada juncada de perigos, ouvindo muitas vozes, tendo à sua frente muitas bifurcações morais. Que atitude tomar? Que escolhas fazer para não perder sua identidade? Quero sugerir algumas decisões:

Em primeiro lugar, coloque Deus acima das pessoas. No mundo temos Deus, pessoas e coisas. Vivemos numa sociedade que se esquece de Deus, ama as coisas e usa as pessoas. Devemos, porém, adorar a Deus, amar as pessoas e usar as coisas. A família pós-moderna tem valorizado mais as coisas do que o relacionamento com Deus. Vivemos numa sociedade que valoriza mais o ter do que o ser. Uma sociedade que se prostra diante de Mamom e se esquece do Deus vivo.

Em segundo lugar, coloque seu cônjuge acima de seus filhos. O índice de divórcio cresce espantosamente no Brasil. Enquanto os véus das noivas ficam cada vez mais longos, os casamentos ficam cada vez mais curtos. Um dos grande erros que se comete é colocar os filhos acima do cônjuge. Muitos casais transferem o sentimento que devem dedicar ao cônjuge para os filhos e isso, fragiliza a relação conjugal e ainda afeta profundamente a vida emocional dos filhos. O maior presente que os pais podem dar aos filhos é amar seu cônjuge. Pais estruturados criam filhos saudáveis.

Em terceiro lugar, coloque seus filhos acima de seus amigos. Muitos pais vivem ocupados demais, correm demais e dedicam tempo demais aos amigos e quase nenhum tempo aos filhos. Alguns pais tentam compensar essa ausência com presentes. Mas, nossos filhos não precisam tanto de presentes, mas de presença. Nenhum sucesso profissional ou financeiro compensa o fracasso do relacionamento com os filhos. Nossos filhos são nosso maior tesouro. Eles são herança de Deus. Equivocam-se os pais que pensam que a melhor coisa que podem fazer pelos filhos é deixar-lhes uma rica herança financeira. Muitas vezes, as riquezas materiais têm sido motivo de contendas na hora da distribuição da herança. Nosso maior legado para os filhos é nosso exemplo, nossa amizade e nossa dedicação a eles, criando-os na disciplina e admoestação do Senhor.

Em quarto lugar, coloque os relacionamentos acima das coisas. Vivemos numa ciranda imensa, correndo atrás de coisas. Muitas pessoas acordam cedo e vão dormir tarde, comendo penosamente o pão de cada dia. Pensam que se tiverem mais coisas serão mais felizes. Sacrificam relacionamentos para granjearem coisas. Isso é uma grande tolice. Pessoas valem mais do que coisas. Relacionamentos são mais importantes do que riquezas materiais. É melhor ter uma casa pobre onde reina harmonia e paz do que viver num palacete onde predomina a intriga.

Em quinto lugar, coloque as coisas importantes acima das coisas urgentes. Há uma grande tensão entre o urgente e o importante. Nem tudo o que é urgente é importante. Não poucas vezes, sacrificamos no altar do urgente as coisas importantes. Nosso relacionamento com Deus, com a família e a com a igreja são coisas importantes. Relegar esses relacionamentos a um plano secundário para correr atrás de coisas passageiras é consumada tolice. A Bíblia nos ensina a buscar em primeiro lugar o reino de Deus e a sua justiça, sabendo que as demais coisas nos serão acrescentadas.

Precisamos investir em nosso relacionamento com Deus e em nossos relacionamentos familiares, a fim de não naufragarmos nesse mar profundo da pós-modernidade!

Leia Mais ››

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

A Importância do sexo no casamento

http://1.bp.blogspot.com/-HrktFfHCoys/Tqf86tR9peI/AAAAAAAAKB4/M1WBJmFDk3s/s1600/sexo%2Bno%2Bcasamento.jpg

¨E disse o SENHOR Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele. Gênesis 2:18

Como escrevi no texto anterior, começarei essa série de textos falando sobre sexualidade. Tentarei ser o mais esclarecedor possível, desde que não fuja dos meus princípios éticos cristãos. O primeiro tema é a importância de uma vida sexual ativa no casamento.

Olhando para o versículo acima, é fácil entendermos que Deus se preocupou com a situação de Adão, pois, não encontrava uma ajudadora adequada para ele. Abro aqui um momento de reflexão: O homem se encontrava no Éden, um lugar perfeito onde tinha tudo aparentemente para ser completamente feliz, mas estava faltando algo. O que seria? Inteligência? Presença de Deus? Trabalho? Não! Nenhuma dessas coisas lhe faltava, o que lhe faltava era uma ajudadora idônea.

Inteligência ele tinha, a Presença de Deus era constante, mas não se encontrava uma ajudadora adequada ao homem, os animais eram inferiores e Deus é superior. O Ser supremo cria a mulher, do homem, ela é criada, o ser idôneo aquele que é completo, competente, apta e capaz de suprir a falta sentida pelo homem. Adão tinha o próprio Deus para conversar, tinha as coisas criadas para lhe fazer companhia, mas faltava alguém que lhe completasse para poder assim cumprir a ordem de multiplicar conforme a sua espécie.

[...] Faltava ao homem alguém que lhe fosse semelhante, ossos dos seus ossos, carne da sua carne, alguém que se chamasse “varoa” porquanto do “varão” foi formada. Essa correspondência não foi encontrada nos seres irracionais criados, mas na criatura tomada de sua própria carne e essência. A mulher era ao homem o vis-à-vis de sua existência. Seu reflexo. Partida e chegada. Bentho (2006, p.24)

Lembrando que em nenhum momento essa ordem foi retirada por Deus na Bíblia, ela continua com plena força sobre os seres criados. O homem continua multiplicando assim como os animais. Para o cumprimento dessa ordem é necessário que tenha um macho e uma fêmea, hoje sabemos que o ato sexual para procriação pode ser subjetivo, pois hoje se pode fazer uma inseminação artificial para gerar uma vida. É aqui que começa o assunto que quero escrever. 

A ciência conseguiu evoluir muito, mas na questão do sexo ficou muito a desejar. Gerar um filho sem o ato, até é interessante, mas deixa aí, fatores distintos daquilo que Deus criou para o ato sexual. 

O ato sexual não é só uma mera forma de se produzir um ser, aquilo que Deus criou para esse momento é muito mais complexo do que a ciência pode chegar. Deus criou uma forma onde o ato de gerar uma vida não seja mecânico. O ato sexual criado por Deus tem muitos objetivos além de fazer a procriação. Entre as coisas criadas por Deus está que no relacionamento entre um homem e uma mulher ele envolve o prazer, físico, emocional e espiritual. A ciência até consegui ter formas de gerar um filho por outros métodos que não sejam o ato, mas não consegue ter a completude da mesma forma que Deus criou. Nunca vi ninguém dizer que sentiu prazer físico fazendo inseminação artificial. 

O casal precisa ter um relacionamento verdadeiro onde os dois tenham por meta alcançar o tão grande momento criado por Deus, para mostrar que o homem e a mulher são verdadeiramente um só carne. O ato sexual no casamento tem que alcançar a as três esferas, física, emocional e espiritual.

“Porque nossos corpos são o templo do Espírito Santo, o ato sexual nunca pode ser somente uma coisa física. Ele precisa ser a combinação da mente, alma, emoções e espírito” Joseph Campbell.

Esfera física: o homem e a mulher saudável sentem uma necessidade física de sentir prazer. E isso é algo individual. E não conheço nada que possa ser mais prazeroso do que o sexo. Quanto aos benefícios de se fazer sexo, as revistas, jornais, televisão e internet estão aí mostrando os benefícios físicos para o sexo. 

O que às vezes confundem os casais é que nem sempre os dois, marido e mulher estão com a mesma vontade, e muitas vezes se acha injusto que um faça sexo mesmo que a principio não tenha vontade. Aqui é que eu discordo de muitos. Seria bem melhor que os dois tivessem vontade todos os dias igual, mas não é isso que acontece sempre, e o que me parece é que a questão fica no egocentrismo. Se não vai ser bom para mim então não quero fazer, e assim deixa de lado a outra pessoa deixando de mostrar verdadeiramente o seu amor pelo outro. 

Na verdade aqui mora a maior demonstração de amor um pelo outro, pois, não é só por que está com vontade, mas sim por que ambos se amam, e por isso um entrega a si mesmo para satisfazer a sua outra metade, e ambos respeitam que há uma diferença física entre os dois. Tenho por certo que se respeitarem essa questão teriam muito mais paz em seu casamento, pois em media teriam de dez ou mais momentos íntimos entre o casal. Isso daria uma relação a cada três dias, o que vejo que é o período suficiente para que os pensamentos não se percam em fantasias. 

Lembrando que se Deus não quisesse que o ato também fosse para o prazer, a mulher engravidaria todas as vezes que fizesse, e isso não ocorre. Segundo sabe-se a mulher pode engravidar durante + ou – três dias por mês o que sobraria em media 27 dias que o ato sexual teria só a função de dar prazer ao casal. Fica claro pelo menos para mim que o ato sexual é mais importante para o prazer, do que para a procriação. E quando falo prazer quero dizer em uma completude, um prazer onde ambos são edificados por esse ato de amor.

¨O marido pague à mulher a devida benevolência, e da mesma sorte a mulher ao marido.

A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no o marido; e também da mesma maneira o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no a mulher.Não vos priveis um ao outro, senão por consentimento mútuo por algum tempo, para vos aplicardes ao jejum e à oração; e depois ajuntai-vos outra vez, para que Satanás não vos tente pela vossa incontinência. 1 Coríntios 7:3-6

Conclusão:Para que seja interrompido o relacionamento entre marido e mulher são necessárias três condições:
- consentimento mútuo.
- tempo limitado.
- motivos espirituais e não egoístas. 

Se um dos cônjuges está interrompendo o bom andamento do relacionamento sem levar em consideração uma dessas condições, ele está colocando em risco toda a vida conjugal, e na verdade quebrando todo o conselho divino, está trabalhando para satanás e lançando o outro para uma armadilha muitas vezes sem volta.

Leia Mais ››

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

A marca da Besta



Dentre todos os tópicos da Bíblia, talvez a marca da besta seja o que mais tem suscitado especulações e argumentações ridículas e bombásticas. Cristãos e não-cristãos debatem o significado de seu valor numérico. Mas o que diz, realmente, o texto bíblico?

O Número 666: Marca Registrada da Tribulação?

A questão central da Tribulação é: Quem tem o direito de governar, Deus ou Satanás? Deus vai provar que é Ele quem tem esse direito. Pela primeira e única vez na história, as pessoas terão uma data limite para aceitarem o Evangelho. Por enquanto, todos podem aceitar ou rejeitar essa mensagem em diferentes momentos da vida; alguns o fazem na infância, outros no início da fase adulta, outros na meia-idade, e alguns até na velhice. Mas, quando vier a Tribulação, as pessoas terão que tomar essa decisão de forma imediata ou compulsória por causa da marca da besta, de modo que toda a humanidade será deliberadamente dividida em dois segmentos. O elemento polarizador será precisamente a marca da besta.

A Bíblia ensina que o líder da campanha em defesa da marca da besta será o falso profeta, que está ligado à falsa religião (Ap 13.11-18). Apocalipse 13.15 deixa claro que o ponto-chave em tudo isso é adorar "a imagem da besta". A marca da besta é simplesmente um meio de forçar as pessoas a declararem do lado de quem estão: do Anticristo ou de Jesus Cristo. Todos terão que escolher um dos lados. Será impossível manter uma posição neutra ou ficar indeciso com relação a esse assunto. A Escritura é muito clara ao afirmar que os que não aceitarem a marca serão mortos.
Toda a humanidade será forçada a escolher um dos lados: "...todos, os pequenos e os grandes, os ricos e os pobres, os livres e os escravos" (Ap 13.16). O Dr. Robert Thomas comenta que essa construção retórica "abrange todas as pessoas, de todas as classes sociais, [...] ordenadas segundo sua condição financeira, [...] abrangendo todas as categorias culturais [...]. As três expressões são um recurso estilístico que traduz universalidade".[1] A Escritura é muito específica. O falso profeta vai exigir uma "marca" em sinal de lealdade e devoção à besta, e essa marca será "sobre a mão direita" – não a esquerda – "ou sobre a fronte" (Ap 13.16).

  • O falso profeta vai exigir uma "marca" em sinal de lealdade e devoção à besta, e essa marca será"sobre a mão direita"– não a esquerda –"ou sobre a fronte" (Ap 13.16).
A palavra "marca" aparece em muitas passagens da Bíblia. Por exemplo, ela é usada várias vezes em Levítico, referindo-se a um sinal que torna o indivíduo cerimonialmente impuro, e está geralmente relacionada à lepra. É interessante notar que o modo como Ezequiel 9.4 usa a idéia de "marca" é semelhante ao de Apocalipse: "E lhe disse: Passa pelo meio da cidade, pelo meio de Jerusalém, e marca com um sinal a testa dos homens que suspiram e gemem por causa de todas as abominações que se cometem no meio dela". Nessa passagem, o sinal serve para preservação, assim como o sangue espalhado nas ombreiras das portas livrou os hebreus durante a passagem do anjo da morte, como relata o Livro do Êxodo. Em Ezequiel, a marca é colocada na fronte, semelhantemente à do Apocalipse. Todas as sete ocorrências da palavra "marca" ou "sinal" (gr. charagma) no Novo Testamento em grego, encontram-se no Livro do Apocalipse, e todas se referem à "marca da besta" (Ap 13.16,17; 14.9,11; 16.2; 19.20; 20.4). O Dr. Thomas explica o significado desse termo na Antigüidade:

A marca deve ser algum tipo de tatuagem ou estigma, semelhante às que recebiam os soldados, escravos e devotos dos templos na época de João. Na Ásia Menor, os seguidores das religiões pagãs tinham prazer em exibir essas tatuagens para mostrar que serviam a um determinado deus. No Egito, Ptolomeu IV Filopátor (221-203 a.C.) marcava com o desenho de uma folha de trevo os judeus que se submetiam ao cadastramento, simbolizando a servidão ao deus Dionísio (cf. 3 Macabeus 2.29). Esse significado lembra a antiga prática de usar marcas para tornar pública a fé religiosa do seu portador (cf. Isaías 44.5), e também a prática de marcar os escravos a fogo com o nome ou símbolo de seu proprietário (cf. Gl 6.17). O termo charagma ("marca") também era usado para designar as imagens ou nomes dos imperadores, cunhadas nas moedas romanas e, portanto, poderia muito bem aplicar-se ao emblema da besta colocado sobre as pessoas.[2]

Alguns se perguntam por que foi usado um termo tão específico para designar a marca do Anticristo. Essa marca parece ser uma paródia do plano de Deus, principalmente no que se refere aos 144.000 "selados" de Apocalipse 7. O selo de Deus sobre Suas testemunhas muito provavelmente é invisível e tem o propósito de protegê-las do Anticristo. Por outro lado, o Anticristo oferece proteção contra a ira de Deus – uma promessa que ele não tem condições de cumprir – e sua marca é visível e externa. Como os que receberem a marca da besta o farão voluntariamente, é de supor que as pessoas sentirão um certo orgulho de terem, em essência, a Satanás como seu dono. O Dr. Thomas afirma: "A marca será visível e identificará todos os que se sujeitarem à besta".[3]

Uma Identificação Traiçoeira

Além de servir como indicador visível da devoção ao Anticristo, a marca será a identificação obrigatória em qualquer transação comercial na última metade da Tribulação (Ap 13.17). Este sempre foi o sonho de todos os tiranos da história – exercer um controle tão absoluto sobre seus vassalos a ponto de decidir quem pode comprar e quem pode vender. O historiador Sir William Ramsay comenta que Domiciano, imperador romano no primeiro século, "levou a teoria da divindade Imperial ao extremo e encorajou ao máximo a ‘delação’; [...] de modo que, de uma forma ou de outra, cada habitante das províncias da Ásia precisava demonstrar sua lealdade de modo claro e visível, ou então era imediatamente denunciado e ficava impossibilitado de participar da vida social e de exercer seu ofício".[4] No futuro, o Anticristo aperfeiçoará esse sistema com o auxílio da moderna tecnologia.

Ao longo da história, muitos têm tentado marcar certos grupos de pessoas para o extermínio, mas sempre houve alguns que conseguiram achar um meio de escapar. Porém, à medida que a tecnologia avança, parece haver uma possibilidade cada vez maior de bloquear praticamente todas as saídas. Essa hipótese é reforçada pelo emprego da palavra grega dunétai – "possa" (Ap 13.17), que é usada para transmitir a idéia do que "pode" ou "não pode" ser feito. O Anticristo não permitirá que alguém compre ou venda se não tiver a marca, e o que possibilitará a implantação desta política será o fato da sociedade do futuro não usar mais o dinheiro vivo como meio de troca. O controle da economia, ao nível individual, através da marca, encaixa-se perfeitamente no que a Bíblia diz a respeito do controle do comércio global pelo Anticristo, delineado em Apocalipse 17 e 18.

A segunda metade de Apocalipse 13.17 descreve a marca como "o nome da besta ou o número do seu nome". Isso significa que "o número do nome da besta é absolutamente equivalente ao nome, [...]. Essa equivalência indica que, como nome, ele é escrito com letras; mas, como número, é o análogo do nome escrito com algarismos".[5] O nome do Anticristo será expresso numericamente como "666".

Calculando o Número

Nesse ponto da profecia (Ap 13.18), o apóstolo João interrompe momentaneamente a narrativa da visão profética e passa a ensinar a seus leitores a maneira correta de interpretar o que havia dito. Uma leitura do Apocalipse demonstra claramente que os maus não entenderão o significado, porque rejeitaram a Jesus Cristo como Senhor e Salvador. Por outro lado, os demais que estiverem atravessando a Tribulação receberão sabedoria e entendimento para que possam discernir quem é o Anticristo e recusar a sua marca. A Bíblia deixa claro que aqueles que receberem a marca da besta não poderão ser salvos (Ap 14.9-11; 16.2; 19.20; 20.4) e passarão a eternidade no lago de fogo. O fato de João usar essa passagem crucial para transmitir sabedoria e entendimento aos crentes, com relação a um assunto de conseqüências eternas, mostra que Deus proverá o conhecimento necessário para que o Seu povo possa segui-lO fielmente.
  • O Anticristo não permitirá que alguém compre ou venda se não tiver a marca, e o que possibilitará a implantação desta política será o fato da sociedade do futuro não usar mais o dinheiro vivo como meio de troca.

Mas o que essa sabedoria e esse conhecimento permitem que os crentes façam? A passagem diz que podemos "calcular". Calcular o quê? Podemos calcular o número da besta.

O principal propósito de alertar os crentes sobre a marca é permitir que eles saibam que, quando em forma de número, o "nome" da besta será 666. Assim, os crentes que estiverem passando pela Tribulação, quando lhes for sugerido que recebam o número 666 na fronte ou na mão direita, deverão rejeitá-lo, mesmo que isso signifique a morte. Outra conclusão que podemos tirar é que qualquer marca ou dispositivo oferecido antes dessa época não é a marca da besta que deve ser evitada.

Portanto, não há motivo para os cristãos de hoje encararem o número 666 de forma supersticiosa. Se o nosso endereço, número de telefone ou código postal incluem esse número, não precisamos ter medo de que algum poder satânico ou místico nos atingirá. Por outro lado, temos que reconhecer que muitos ocultistas e satanistas são atraídos por esse número por sua conexão com a futura manifestação do mal. Porém, o número em si não tem poderes sobrenaturais. Quando um crente acredita nisso, já caiu na armadilha da superstição. A Bíblia ensina que não há nenhum motivo para atribuir poderes místicos ao número 666.

A Carroça na Frente dos Bois

Muitos têm tentado descobrir a identidade do Anticristo através de cálculos numéricos. Isso é pura perda de tempo. A lista telefônica está cheia de nomes que poderiam ser a solução do enigma, mas a sabedoria para "calcular" o nome não é para ser aplicada agora, pois isso seria colocar a carroça adiante dos bois. Esse conhecimento é para ser usado pelos crentes durante a Tribulação.

Em 2 Tessalonicenses 2, Paulo ensina que, durante a presente era da Igreja, o Anticristo está sendo detido. Ele será "revelado somente em ocasião própria" (v.6). Ao escolher a palavra "revelado", o Espírito Santo quis indicar que a identidade do Anticristo estará oculta até a hora de sua revelação, que ocorrerá em algum momento após o Arrebatamento da Igreja. Portanto, não é possível saber quem é o Anticristo antes da "ocasião própria". O Apocalipse deixa bem claro que os crentes saberão na hora certa quem é o Anticristo.

Como apontamos acima, o Apocalipse não deixa dúvida de que durante a Tribulação todos os crentes saberão que receber a marca da besta será o mesmo que rejeitar a Cristo. Durante a Tribulação, todos os cristãos terão plena consciência disso onde quer que estejam. Nenhuma das hipóteses levantadas no passado, ou que venham a ser propostas antes da Tribulação, merece crédito.

Apocalipse 13.17-18 diz claramente que o número 666 será a marca que as pessoas terão que usar na fronte ou na mão direita. Em toda a história, ninguém jamais propôs a utilização desse número em condições semelhantes às da Tribulação, de modo que todas as hipóteses já levantadas a respeito da identidade do Anticristo podem ser descartadas.

O mais importante nessa passagem é que podemos nos alegrar em saber que a identificação do futuro falso Cristo ainda não é possível, mas o será quando ele ascender ao trono. Com certeza, aquele a quem o número 666 se aplica é alguém que pertence a uma época posterior ao período em que João viveu, pois ele deixa claro que alguém iria reconhecer esse número. Se nem a geração de João nem a seguinte foi capaz de discerni-lo, isso significa que a geração que poderá identificar o Anticristo forçosamente estava (e ainda está) no futuro. No passado, houve várias figuras políticas que tipificaram características e ações desse futuro personagem, mas nenhum dos anticristos anteriores se encaixa perfeitamente no retrato e no contexto do Anticristo do final dos tempos.[6]

A Relação entre Tecnologia e a Marca da Besta

Muitos têm feito as mais variadas hipóteses sobre a marca da besta. Alguns dizem que ela será como o código de barras utilizado para identificação universal de produtos. Outros imaginam que seja um chip implantado sob a pele, ou uma marca invisível que possa ser lida por um scanner. Contudo, essas conjeturas não estão de acordo com o que a Bíblia diz.
A marca da besta – 666 – não é a tecnologia do dinheiro virtual nem um dispositivo de biometria. A Bíblia afirma de forma precisa que ela será:

·                  a marca do Anticristo, identificada com sua pessoa
·                  o número 666, não uma representação
·                  uma marca, como uma tatuagem
·                  visível a olho nu
·                  sobre a pele, e não dentro da pele
·                  facilmente reconhecível, e não duvidosa
·                  recebida de forma voluntária; portanto, as pessoas não serão ludibriadas para recebê-la involuntariamente
·                  usada após o Arrebatamento, e não antes
·                  usada na segunda metade da Tribulação
·                  necessária para comprar e vender
·                  recebida universalmente por todos os não-cristãos, mas rejeitada pelos cristãos
·                  uma demonstração de adoração e lealdade ao Anticristo
·                  promovida pelo falso profeta
·                  uma opção que selará o destino de todos os que a receberem, levando-os ao castigo eterno no lago de fogo.
  • A marca da besta é uma opção que selará o destino de todos os que a receberem, levando-os ao castigo eterno no lago de fogo. 

Talvez na história ou na Bíblia nenhum outro número tenha atraído tanto a atenção de cristãos e não-cristãos quanto o "666". Até mesmo os que ignoram totalmente os planos de Deus para o futuro, conforme a revelação bíblica, sabem que esse número tem um significado importante. Escritores religiosos ou seculares, cineastas, artistas e críticos de arte fazem menção, exibem ou discorrem a respeito dele. Ele tem sido usado e abusado por evangélicos e por membros de todos os credos, tendo sido objeto de muita especulação inútil. Freqüentemente, pessoas que se dedicam com sinceridade ao estudo da profecia bíblica associam esse número à tecnologia disponível em sua época, com o intuito de demonstrar a relevância de sua interpretação. Mas, fazer isso é colocar "a carroça na frente dos bois", pois a profecia e a Bíblia não ganham credibilidade ou legitimidade em função da cultura ou da tecnologia.

Conclusão

O fato da sociedade do futuro não utilizar mais o dinheiro vivo será usado pelo Anticristo. Entretanto, seja qual for o meio de troca substituto, ele não será a marca do 666. A tecnologia disponível na época da ascensão do Anticristo será aplicada com propósitos malignos. Ela será empregada, juntamente com a marca, para controlar o comércio (como afirma Apocalipse 13.17). Sendo assim, é possível que se usem implantes de chips, tecnologias de escaneamento de imagens e biometria para implementar a sociedade amonetária do Anticristo, como um meio de implantar a política que impedirá qualquer pessoa de comprar ou vender se não tiver a marca da besta. O avanço da tecnologia é mais um dos aspectos que mostram que o cenário para a ascensão do Anticristo está sendo preparado. Maranata! (Thomas Ice - Pre-Trib Perspectives -http://www.chamada.com.br)

1.              Robert L. Thomas, Revelation 8-22: An Exegetical Commentary (Chicago: Moody Press, 1995), pp. 179-80.
2.              Thomas, Revelation 8-22, p. 181.
3.              Thomas, Revelation 8-22, p. 181.
4.              Sir William Ramsay, The Letters to the Seven Churches (New York: A. C. Armstrong & Son, 1904), p. 107.
5.              Thomas, Revelation 8-22, p. 182.

6.              Thomas, Revelation 8-22, p. 185.

Thomas Ice é diretor-executivo do Pre-Trib Research Center (Centro de Pesquisas Pré-Tribulacionistas) e professor de Teologia na Liberty University. Ele é Th.M. pelo Seminário Teológico de Dallas e Ph.D. pelo Seminário Teológico Tyndale. Editor da Bíblia de Estudo Profética e autor de aproximadamente 30 livros, Thomas Ice é também um renomado conferencista. Ele e sua esposa Janice vivem com os três filhos em Lynchburg, Virginia (EUA).
Leia Mais ››

Deserto floresce em Israel de acordo com a profecia bíblica de Isaías






ISRAEL.- O cumprimento da profecia de Isaías se torna visível no deserto de Arava, com quase 50 graus no verão, está se tornando terra cheia de vegetação e vida. Samantha Levy, um funcionário do Arava Conselho Regional (CRA), disse que eles conseguiram fazer o deserto num espaço adequado para a agricultura e um centro de estudo para aqueles que querem aprender a melhor maneira de usar a água para as culturas, conforme publicado Agência de Notícias judaica (AJN). deserto de Arava é uma região árida de Israel onde caem cerca de 25 mililitros de água por ano e tem um clima extremo. No entanto, é responsável por 60 por cento das exportações de produtos hortícolas frescos provenientes de Israel. "Conseguimos fazer isso uma vantagem. Nós agricultura, por vezes, em outros lugares não pode ser feito. Nós conseguimos ter criatividade na gestão da água, porque cada gota que cai usá-lo, porque não estão ligados ao sistema nacional de água de Israel ", disse Samantha Levy, uma menina colombiana que serve como um funcionário do CRA. Cumprindo a profecia de Isaías: flores do deserto em Israel "deve ser enfatizado para a comunidade, a mentalidade daqueles que vieram aqui há 50 anos para se estabelecer no deserto veio e conseguiu grande forma Não é apenas a agricultura a Israel, mas .. Nós ensinou ao mundo como fazê-lo ", especificou Levy. Em Arava entre 7000 e 8000 pessoas no sudeste da Ásia, que são agricultores de forma não eficaz. Eles usam sistemas de irrigação tradicionais e, por vezes, quando não há água, eles não têm nada para comer. Por estas razões, eles vão para Arava para estudar e trabalhar, eo que eles aprendem em sala de aula praticá-lo em seu trabalho. "Um agricultor terá grande apoio aqui e é tão simples como saber qual é a quantidade de luz, umidade e solo precisa uma planta para uma melhor produtividade. Arava ensina ao mundo como a crescer. Temos também uma pré-visualização da biotecnologia e tem mais de 50 cientistas do centro estão a investigar as plantas do deserto que conseguem crescer em condições climáticas extremas. curas para várias doenças, tais como diabetes, câncer, Parkinson também são estudadas. Arava é prova de que o impossível é possível ", Levy disse com entusiasmo. "O deserto eo lugar solitário se alegrarão; deserto (terras não cultivadas) se regozijará e florescerá como a rosa." (Isaías 35: 1)


http://www.marcosgospel.com.br/noticia/4236-deserto-floresce-em-israel-de-acordo-com-a-profecia-biblica-de-isaias

MARCOS GOSPEL
Leia Mais ››

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Obra de Deus x Teologia mundana




Teologia é o nosso passatempo, o nosso "esporte" e jamais confundimos isto com o ato de servir a Deus. Servir a Deus é obedecer a sua voz. Há milhares de "teólogos" que nunca ouviram a voz de DEUS e como consequência, não lhe servem, são servidores do ego e da soberba.                                                                       
A vida cristã e a obediência a Cristo não é esporte, é louvor a Deus. Na vida cristã de comunhão pessoal entre o crente e o seu Senhor Jesus Cristo não existem controvérsias. Há diálogo, fidelidade e compromisso. Na teologia há controvérsias, por isso ela será apenas um hobby para nós, mas a palavra final para a nossa vida espiritual, nós a obtemos de joelhos aos pés de Cristo. Ele nunca deixou de falar conosco por meio dos dons revelacionais, os quais não cessaram.
Servir a Deus é algo intangível pela teologia, como ciência humana, que emerge do homem. "A lei do Senhor é perfeita e dá sabedoria aos simples" esta é a teologia de Deus, prescrita nas sagradas escrituras. Não quer dizer que o cristão precisa ser um "burro". Ele pode ser um erudito piedoso. Isto não é pecado e nunca desagradará a Deus. Ele pode ser um grande teólogo também, não há problemas nisto, o que ele não pode é dizer que a teologia que possui na cachola é o passaporte para o entendimento genuíno do processo de salvação. Conhecimento sem piedade é inútil para a edificação da igreja.
A teologia é o argumento dos homens inteligentes, alguns são realmente de Deus, outros são falsos doutores e nem se dão conta disto. Nunca ouviram a voz de Deus e possuem milhares de seguidores e admiradores que compram seus livros.
Na mesma estante em que guardamos os livros dos teólogos liberais e lobos do cristianismo, guardamos também as obras de outros teólogos, os quais são servos de Deus e trabalham para a edificação da igreja. Na teologia moderna o santo anda misturado com o profano. Nas nossas relações com Cristo tudo quanto é profano cai por terra, inclusive a teologia besta e liberal que alguns queriam trazer para dentro da igreja.
A profecia se cumpre. SEMPRE!
Que Deus nos abençoe!
Saudações em Cristo!
Leia Mais ››

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Candeia



"E ninguém, acendendo uma candeia, a cobre com algum vaso, ou a põe debaixo da cama; mas põe-na no velador, para que os que entram vejam a luz." Lucas 8:16

Introdução;

A candeia  é para a igreja profeticamente um objeto muito familiar, pois O Mestre à usa muito em suas parábolas.
Neste texto observaremos dois perigos que podem ocultar a revelação de Jesus em nossas vidas;

Desenvolvimento;

"E ninguém, acendendo uma candeia, a cobre com algum vaso"
Um vaso cobrindo a candeia, é o barro sobressaindo à luz.
O Pai não enviou a luz(Jesus) para que o homem se destacasse, mas para que o sEu nome fosse exaltado neLe.
E o outro perigo é;

"Ou a põe debaixo da cama"
A luz debaixo da cama, é o comodismo deste mundo físico, a tônica das nossas vidas é a abstinência da estabilidade.
A luz que reflete debaixo da cama ilumina apenas o chão, isto é, os nossos olhos voltados para a terra, focado nas coisas desta vida.
Resumindo:
Tanto o "Eu" quanto o "Mundo" são as armas que o adversário intenta contra a igreja.
ele veio para;

"MATAR" a vida que o Pai deu; apresentando a vida mundana...

"ROUBAR" a salvação em Cristo; apontando outros salvadores...

"DESTRUIR" a obra do Espírito edificada em nós, oferecendo conceitos religiosos...

Conclusão;

Para que a candeia possa ser útil, Deus Pai à constituiu com três elementos:

Barro= _Homem_
Veio do pó, frágil...

Pavio= _Jesus_
Linho torcido(sacrifício), responsável por suportar o fogo sobre si iluminando todo homem.
A posição do Pavio é vertical, porque o ato de Cristo foi ligar o homem caído ao Deus Altíssimo...

Óleo= _Espírito Santo_
O Agente que liga o Pavio ao interior do barro, isto é, batismo com fogo...

A necessidade de manter a candeia cheia, depende do valor que damos a mesma, não à encobrindo com o que é nosso, e nem com o que está neste mundo.
Leia Mais ››

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

E perseveravam na doutrina dos apóstolos



“E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações.” Atos 2:42

INTRODUÇÃO:

Como nos anos anteriores o Senhor tem nos dado um lema, uma palavra, para que possamos aplicá-la no nosso viver no decorrer de todo este ano. O Lema é uma revelação do Senhor e sempre vem acompanhado de um propósito de Deus para os seus servos.

Neste ano o Senhor deixou para nós o seguinte LEMA: “E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações.” Atos 2:42

Assim, devemos aprender o que significa o lema, para que possamos segui-lo todos os dias, especialmente, deste ano.

DESENVOLVIMENTO:

O texto do lema fala dos irmãos da Igreja Primitiva. Esta igreja teve o nome de “primitiva” porque ela foi levantada pelos doze apóstolos do Senhor Jesus. Os apóstolos (mensageiros, enviados) de Jesus eram, na sua maioria, homens simples, e Jesus lhes ensinou tudo o que era necessário saber Dele e de sua doutrina.

Mas o que são as Doutrinas de Jesus? (ouvir as classes) Onde as encontramos? (ouvir as classes) Doutrinas são os ensinos dados pelo Senhor Jesus para a sua Igreja seguir, e as doutrinas estão na Bíblia – A Palavra de Deus. "Jesus lhes respondeu, e disse: A minha doutrina não é minha, mas daquele que me enviou." João 7:16

A Bíblia nos conta que muitos que ouviram (homens, mulheres, idosos, jovens, adolescentes e crianças) as pregações dos apóstolos (apóstolo = mensageiro, enviado), receberam de bom grado a Palavra de Deus e se converteram.

Mas será que aqueles que se convertiam eram todos iguais?

Tinham os mesmos pensamentos? Não! Eram pessoas que vinham de lugares diferentes, com costumes e conhecimentos diferentes, que precisavam conhecer e entender a Palavra de Deus. Por isso, os apóstolos se preocupavam em lhes ensinar todas as doutrinas (ensinos) de Jesus, para que eles conhecessem a verdade acerca do Reino de Deus, e não fossem enganados por falsos ensinos.

E hoje, da mesma forma, nós precisamos aprender todos os ensinos da Palavra de Deus, as doutrinas ensinadas por Jesus, para que nós não sejamos enganados por tantos falsos ensinos que de tantas formas querem nos desviar do caminho da verdade. Hoje vemos muitas pessoas sendo enganadas por não conhecerem a Palavra de Deus, as doutrinas de Jesus, e por isso, logo se desviam do caminho da verdade.

Nós devemos ser como os irmãos da igreja primitiva, que perseveravam na doutrina dos apóstolos.

Mas o que é perseverar? Perseverar é permanecer firme e constante, sem mudar.

Mas quais são as doutrinas básicas (principais) que o Senhor Jesus deixou para a Sua igreja?

·      A Palavra Revelada: No mês de setembro aprendemos sobre a Palavra Revelada e vimos que Deus revela aos seus servos os segredos da Sua Palavra. Quando permitimos que Deus revele a nós a Sua Palavra, nós estamos aprendendo a nos desviar do caminho mau, pois aquele que segue a Palavra de Deus não andará em trevas. “Falou-lhes, pois, Jesus outra vez, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida.” João 8:12; “Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho”. Salmos 119:105.

·      O Poder do Sangue de Jesus: Em novembro aprendemos sobre o poder do sangue de Jesus, que é uma arma poderosa que devemos usar todos os dias da nossa vida. O sangue de Jesus renova a nossa comunhão com Deus, nos traz proteção, livramento e salvação (Ex: Nos livra de acidentes, guarda a nossa casa, etc.). “Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado.” I Jo 1:7

·      Igreja, Corpo de Cristo: Neste ano vamos aprender sobre que a igreja é o Corpo de Cristo. Devemos nos lembrar a cada dia, que somos parte do Corpo de Cristo e não deste mundo, que combate contra o Senhor Jesus e a sua Igreja. Nós fazemos parte da igreja que um dia vai ser arrebatada, e vai morar para sempre com o Senhor na eternidade. “Ora, vós sois o corpo de Cristo, e seus membros em particular”. I Coríntios 12:27

·      Salvação: Hoje vemos muitas pessoas que aceitam Jesus, mas continuam fazendo as mesmas coisas que faziam antes. Mas salvação não é só no dia que você aceita Jesus (ato), mas é todos os dias (processo). Salvação é andar no caminho, que é Jesus. Só Jesus pode nos salvar.  “Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim”. João 14:6

·      Fé: Fé é deixar Deus dirigir as nossas vidas. É crermos nas promessas de Deus para nossas vidas. Hoje, muitas pessoas vivem pela sua razão (Ex: Eu acho isso, eu penso assim), elas não creem que Deus pode operar nas suas vidas. Jesus nos ensinou que todo aquele que crer, ainda que esteja morto viverá.  “Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá;” Jo 11:25; “...porque o justo viverá pela fé”. Gálatas 3:11b

CONCLUSÃO:

Vamos guardar o Lema deste ano nos nossos corações: “E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações.” Atos 2:42

Os irmãos da igreja primitiva perseveraram firmes na doutrina dos apóstolos. E nós, da mesma forma, vamos permanecer firmes nas doutrinas que o Senhor Jesus deixou aos seus servos. Não queremos andar segundo os conselhos deste mundo, os falsos ensinos, mas queremos andar segundo as doutrinas da Palavra de Deus. Permanecendo assim, vamos continuar em comunhão, firmes na caminhada rumo aos céus!

Leia Mais ››

domingo, 31 de julho de 2016

Família nos Céus



Efésios 3:14-15

“Por esta razão dobro os meus joelhos perante o Pai, do qual toda família nos céus e na terra toma o nome”

INTRODUÇÃO

Paulo ora da Deus em favor da igreja que estava em Éfeso para que ela não viesse a desfalecer diante das tribulações que ele iria passar. Na sua oração ele menciona família nos céus e na terra e ambas, segundo Paulo, tomam o nome do Pai.

Aqui Paulo deixa o ensino de que a família foi e é constituída pelo Pai, o Deus criador de todas as coisas.

Família nos céus – família profética – que aponta para a igreja fiel que vive como uma família, pois faz a vontade daquele que a constituiu.

Marcos 3:33-35 -  Respondeu-lhes Jesus, dizendo: Quem é minha mãe e meus irmãos! E olhando em redor para os que estavam sentados à roda de si, disse: Eis aqui minha mãe e meus irmãos! Pois aquele que fizer a vontade de Deus, esse é meu irmão, irmã e mãe.

Família na terra – fala da família da obra criadora que tem importância tal qual a primeira, visto que também foi constituída por determinação do Pai celestial.

Como Paulo orou pela igreja / família de Éfeso, assim também nós como corpo de Cristo, movidos pelo Espírito Santo temos orado para que Deus possa salvar e abençoar as famílias que, neste momento profético, estão passando por momentos adversos como desemprego, enfermidades, lutas das mais variadas (separação, filhos conta pais e pais contra filhos, vícios, etc,) além de um projeto maligno que quer descaracterizar aquilo que foi instituído por Deus e consequentemente anular a fé no coração de muitos.

Diante deste contexto há um segredo para a preservação da comunhão da família. Este segredo não está nas terapias, nos livros de autoajuda. Os segredos que podem salvar as famílias têm origem na eternidade e são eficazes quando aplicado com temor e fé.

Os segredos são os mesmos que Paulo pediu ao Pai em favor daquela igreja. Estes segredos presentes no seio da família é sua certeza de findar os dias aqui nesta terra em comunhão e com a certeza de que a eternidade será ao lado do Salvador, o Senhor Jesus.

Oração – a Oração é o primeiro e grande segredo para salvação e preservação da família. A oração é uma opção de intimidade com Deus onde o homem, pelo sangue de Jesus, pode exercer o sacerdócio universal e adentrar a presença do Pai sem a intermediação de homem ou objeto algum.

Que sejais robustecidos com poder pelo seu Espírito – a família deve buscar o Batismo com o Espírito Santo. Somente o Espírito Santo pode, nestes momentos adversos, fortalecer e apontar qual caminho a seguir.

Que Cristo habite pela fé nos vossos corações – no coração de muitos familiares habita o ódio, a intolerância, a falta de paciência, o rancor, o ódio, a angustia, etc. A nossa oração também é para que, através da fé profética que tem origem na eternidade, Cristo habite em cada coração. Quando Cristo habita no coração de cada integrante da família ele retira tudo o que foi mencionado anteriormente e a paz, o amor, a alegria, a tolerância, a compreensão toma lugar, pois Ele, JESUS, é o Príncipe da Paz.

Possais compreender, com todos os santos, qual seja a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade, e conhecer o amor de Cristo, que excede todo o entendimento – O Espírito Santo que levar o homem a conhecer o amor de Cristo, um amor que excede todo o nosso entendimento, pois ele não é baseado na troca. Este amor é incondicional, pois basta que você ame e quem ama como diz Paulo na carta aos Coríntios tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor jamais acaba.

Que sejais cheios – Paulo encerra o v. 19 pedindo ao Pai para que aquela igreja fosse cheia, mas cheia de que?

Cheia de poder, cheia da presença de Cristo, cheia do amor de Deus. Nossa família, precisa estar cheia destas bênçãos.

Até a inteira plenitude de Deus – Jesus está às portas, o seu projeto está se completando, faltando o soar da última trombeta e a igreja será arrebatada.

Deus tem uma bênção para a sua família e a convida para que ela faça parte da família profética que herdará a eternidade.

por Sebastião Ramos - Igreja Cristã Maranata
Leia Mais ››

SOCIAL MEDIA


Wallace Oliveira Cruz

MARCADORES