Uma palavra de esperança para o seu coração

22:00 0 Comments A+ a-


A sua alma é imortal. Ela jamais morrerá. Mas ao separar-se de seu corpo, dois destinos haverá para ela: o CÉU (a eternidade com Deus – a felicidade eterna) ou a eternidade sem Deus (o sofrimento eterno). E há apenas uma pessoa neste mundo capaz de escolher o lugar para onde você irá viver eternamente.
Você dirá que essa pessoa é Deus, mas Deus diz em Sua Palavra, a Bíblia Sagrada, que esta pessoa é você. Só você pode escolher oudeterminar o destino eterno da sua alma. Você poderá, se quiser, escolher agora o céu, mas se achar que pode deixar o assunto para outra hora, já terá escolhido a eternidade sem Deus. Se você morrer agora, irá para lá, para todo o sempre. Não morrendo agora, estará andando para a eternidade sem Deus.
Certamente você quer o Céu. E para que você tenha certeza de que vai desfrutar do Céu, o que deve fazer é:
* Reconhecer-se pecador. Deus diz: “Todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus”. (Rom 3:23)* Reconhecer que você não pode entrar no Céu por seus esforços próprios. (Ef 2:8 e 9)* Crer que somente Jesus Cristo pode levar você ao Céu. Jesus diz em João 14:6 “Eu sou o caminho, e a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, senão por mim”. Jesus não disse um dos caminhos, mas O caminho.
* Aceitar Jesus Cristo como seu único Salvador. “Crê no Senhor Jesus e serás salvo”. (Atos 16:31)
Mas dirão alguns: Sou jovem e deixarei isto para depois. Gostaríamos de dizer duas coisas:
* Não precisa ser velho para estar próximo da eternidade.
* As profecias da Bíblia dizem que Jesus voltará novamente; e estas profecias se cumprem nos nossos dias. Como estará a sua vida naquele dia? Pense nisto. Pois o único meio de alcançar esta benção é Jesus. “Eis que venho sem demora” (Ap 22:7)
Mas se você não quer escolher o Céu, saiba que está caminhando para a eternidade sem Deus, debaixo da ira de Deus. “…porém o que não crê no filho (Jesus) a ira de Deus sobre ele permanece”. (João 3:36b)
MARANATA O SENHOR JESUS VEM
Bíblia a Palavra de Deus

Deus pode restaurar o seu casamento

12:25 0 Comments A+ a-




No livro de Malaquias no capítulo 2, vemos Deus exigindo de Seu povo a santidade e sinceridade diante Ele, afinal a nação de Israel havia sido escolhida para ser abençoada e com isso glorificar a Deus entre os outros povos. Mas em muitos pontos eles estavam falhando, e um deles é o casamento. Por isso Deus deixa bem claro o que Ele espera de uma união matrimonial. Veja:
"Há outra coisa que vocês fazem: Enchem de lágrimas o altar do Senhor, choram e gemem porque ele já não dá atenção às suas ofertas nem as aceita com prazer. E vocês ainda perguntam: "Por quê?" É porque o Senhor é testemunha entre você e a mulher da sua mocidade, pois você não cumpriu a sua promessa de fidelidade, embora ela fosse a sua companheira, a mulher do seu acordo matrimonial. Não foi o Senhor que os fez um só? Em corpo e em espírito eles lhe pertencem. E por que um só? Porque ele desejava uma descendência consagrada. Portanto, tenham cuidado: Ninguém seja infiel à mulher da sua mocidade. "Eu odeio o divórcio", diz o Senhor, o Deus de Israel, e "o homem que se cobre de violência como se cobre de roupas", diz o Senhor dos Exércitos. Por isso tenham bom senso, não sejam infiéis." (Malaquias 2:13-16)
Viu como a visão de Deus para o casamento, é uma instituição duradoura e eterna? Mas talvez você se pergunte: "Por que então muitos bons casamentos tem acabado em divórcio?"
São muitos motivos que podem destruir um relacionamento, porém alguns são mais comuns: a falta de união, a falta de compromisso, a falta de diálogo, a falta de responsabilidade de um ou ambos, e principalmente, a falta de comunhão com Deus.  Você já ouviu a frase “Casa, mas se não der certo, separe?” Queridos, essa é uma demonstração da banalidade que hoje encontramos no mundo à fora. Mas creio que se você está lendo esta mensagem, você deseja resgatar, edificar, consolidar e fortalecer sua vida conjugal. Por isso quero deixar um versículo para sua meditação. No livro de Efésios 5: 25-29, temos um ensinamento profundo para nós homens, que diz:
"Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a Igreja, e a si mesmo se entregou por ela, para santificá-la, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra, para apresentá-la a si mesmo Igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível. assim devem os maridos amar as suas próprias mulheres, como a seus próprios corpos. Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo. Porque nunca ninguém odiou a sua própria carne, antes a alimenta e sustenta como também o Senhor a Igreja."
Analisando esta passagem podemos chegar a uma reflexão e assim ter um casamento abençoado e feliz. A primeira instrução que recebemos do Senhor é que devemos amar a nossa esposa como Cristo amou a igreja. A Igreja significa todos os cristãos, que apesar de conhecerem a verdade da Palavra de Deus, ainda assim falham, são teimosos e muitas vezes desobedientes. Imagine se Jesus desistisse de nós? Por isso devemos amar nossas com um amor voluntário, que não mede esforços, que doa, que deseja o bem e como consequência, se torna permanente. Muitas vezes as pessoas dizem: “Eu quero me separar pois eu não amo mais a minha esposa. E as mulheres dizem: Eu não amo mais meu marido”. Caros irmãos, o amor é um mandamento de Deus e não uma coisa que surge do nada. Diga: EU DECIDO AMAR, pois se é um mandamento, requer decisão.

A única forma de darmos continuidade a este amor é entendermos que Cristo não é somente o modelo de amor, mas é a Fonte dele. Quando a vida do homem é dirigida pelo Espírito Santo de Deus, ele se torna mais amável, compreensivo, amigo, companheiro e parceiro de sua esposa. Portanto seja um homem de Deus, que ame incondicionalmente a sua esposa e tenha o temor de Deus acima de tudo, pois assim você será fiel até o fim. “O temor do senhor é o princípio da sabedoria..." (Provérbios 9:10)

E você, esposa, respeite seu marido e peça sabedoria a Deus para lidar com ele. Provérbios 14:1 diz: “Toda mulher sábia edifica a sua casa; mas a tola a derruba com as próprias mãos.” A Bíblia também ensina que a esposa não pode ficar discutindo, "falando na cabeça" do marido não serve a Deus. Veja:
Do mesmo modo, mulheres, sujeite-se cada uma a seu marido, a fim de que, se ele não obedece à palavra, seja ganho sem palavras, pelo procedimento de sua mulher, observando a conduta honesta e respeitosa de vocês. A beleza de vocês não deve estar nos enfeites exteriores, como cabelos trançados e joias de ouro ou roupas finas. Ao contrário, esteja no ser interior, que não perece, beleza demonstrada num espírito dócil e tranquilo, o que é de grande valor para Deus.” (1 Pedro 3:1-4)
Que você possa acreditar no seu casamento assim como Deus acredita! Ele é o Deus especialista em restaurar relacionamentos, corações e acima de tudo: sua comunhão com Ele.

Fonte: Pastor Antônio Junior

Eu oro pela CPAD

11:17 0 Comments A+ a-



EU ORO PELA CPAD

Há 105 anos, os missionários suecos Daniel Berg e Gunnar Vingren chegaram dos Estados Unidos e, a partir de Belém do Pará, deram início — com muita luta e oposição — às Assembleias de Deus no Brasil. Assim como esses dois hercúleos pioneiros do Movimento Pentecostal brasileiro, há dois homens de Deus que muito têm contribuído para o Reino de Deus por meio da #CPAD, Casa Publicadora das Assembleias de Deus: Antonio Gilberto e Ronaldo Rodrigues de Souza.

O primeiro, um mestre levantado por Deus como um referencial, mesmo enfrentando grande oposição, implantou no Brasil o CAPED (Curso de Aperfeiçoamento de Professores de Escola Dominical). E o segundo, um grande administrador e empreendedor, desde 1993 — com muita luta — vem edificando sobre as bases estabelecidas e sendo usado pelo Senhor Jesus para fazer da CPAD uma Casa de excelência!

Quem é assembleiano, amante da Palavra de Deus, ora por esses homens de Deus, tem orgulho de sua História e ama a sua Casa, que há 76 anos serve a Igreja Brasileira! #EuOroPelaCPAD!

por Ciro Sanches Zibordi

Crescendo em meio a duras provas

09:01 0 Comments A+ a-

Fizeste ver ao teu povo duras coisas. (Sl 60.3.)
Eu sempre me alegro em que o salmista tenha dito a Deus que algumas coisas eram duras. Não há engano sobre isto; há coisas duras na vida. Neste verão ganhei umas flores cor-de-rosa muito bonitas, e assim que as peguei, perguntei: “Que flores são estas?” E a resposta foi: “São flores das rochas; crescem e florescem só nas rochas onde não se vê terra.”

Então pensei nas flores de Deus que crescem em lugares duros. E penso que de alguma forma Ele deve ter para com as Suas “flores das rochas” uma ternura particular, que talvez não tenha para com os Seus lírios e rosas. — Margaret Bottome

As provas da vida não visam a nos destruir, mas construir. A tribulação pode demolir os negócios de um homem, mas também edifica o seu caráter. O golpe no homem exterior pode ser a maior bênção para o homem interior.

Então, se Deus põe ou permite alguma coisa dura em nossa vida, estejamos certos de que o perigo real, o problema real, está no que perderemos se nos rebelarmos ou recuarmos. — Maltbie D. Babcock

Seus pensamentos a meu respeito
São pensamentos de paz.
Ele é meu Deus, meu refugio;
Meu Criador, Redentor;
Pra Si me fez e comprou-me
— O que pensa a meu respeito
São pensamentos de amor.
“É dos montes de aflição que
Deus toma os Seus melhores soldados.

Este post faz parte de uma série de postagens devocionais que pretendo por em prática este ano, para abençoar meus leitores. Texto retirado de Mananciais no Deserto, de Lettie Cowman, Editora Betânia. Infelizmente, esgotado. Mas você pode ler uma versão online aqui, no Scribd.

Divulgação do blog Desafiando Limites.

Transfusões de sangue

00:00 0 Comments A+ a-




Vamos analisar alguns pontos sobre isto?

1) Este versículo proíbe transfusões de sangue?
GÊNESIS 9.4 – A carne, porém, com sua vida, isto é, com seu sangue, não comereis.

A MÁ INTERPRETAÇÃO: As Testemunhas de Jeová acreditam que esse verso proíba as transfusões de sangue. Alegam que uma transfusão sanguínea é o mesmo que comer sangue, porque é algo muito semelhante ao processo de alimentação intravenosa.

Leia também: O Leite Materno, o Sangue e as Testemunhas de Jeová

CORRIGINDO A MÁ INTERPRETAÇÃO: Enquanto é verdade que Gênesis 9.4 proíbe “comer” sangue, uma transfusão não consiste em “comer” sangue. Apesar de um médico, ao dar alimentação a um paciente de modo intravenosos, chamar essa operação de “alimentação”, simplesmente não significa que o procedimento de dar sangue de forma intravenosa se constitua em “alimentação”. O sangue não é recebido pelo organismo como “comida’. Comer é o ato literal de colocar a comida para dentro do organismo de modo normal, através da boca, e consequentemente para o sistema digestivo. É costume referir-se a injeções intravenosas como “alimentação” pois o resultado final é que, através de injeções intravenosas, o corpo recebe os nutrientes que normalmente receberia através do ato de comer. Em vista disso, Gênesis 9.4 e outras passagens relacionadas à proibição de comer sangue não podem ser usadas como suporte à proibição de transfusões de sangue. Uma transfusão simplesmente reabastece o corpo com um fluido essencial, que dá sustento à vida.

2) Esta passagem proíbe uma pessoa de sofrer uma transfusão de sangue?
A MÁ INTERPRETAÇÃO: Levítico 17.11-12 diz: “Porque a vida (alma) de carne está no sangue, pelo que vô-lo tenho dado sobre o altar, para fazer expiação pela vossa alma, porquanto é o sangue que fará expiação pela alma. Portanto, tenho dito aos filhos de Israel: Nenhuma alma dentre vós comerá sangue, nem o estrangeiro que peregrine entre vós comerá sangue”. As testemunhas de Jeová acreditam que esse é outro verso que proíbe transfusões de sangue.

CORRIGINDO Á MÁ INTERPRETAÇÃO: A proibição aqui é primariamente dirigida ao ato de comer carne que ainda estiver pulsando com vida, devido ao sangue da vida ainda estar nela. A transfusão de sangue não envolve o ato de comer carne que ainda contenha em si o sangue que lhe confere vida. Daí, transfusões de sangue não violam Lv 17.

3) Esta passagem indica que receber uma transfusão de sangue é pecado?
ATOS 15.20 – Mas escrever-lhes que se abstenham das contaminações dos ídolos, da fornicação, do que é sufocado e do sangue.

A MÁ INTERPRETAÇÃO: As Testemunhas de Jeová dizem que esse verso prova que as transfusões de sangue são contrárias à vontade de Deus.

CORRIGINDO A MÁ INTERPRETAÇÃO: Essa passagem está falando sobre a restrição que havia no Antigo Testamento contra comer ou beber sangue (Gn 9.3-4; confira At 15.28,29). Contudo, uma transfusão de sangue não é “comer” ou “beber sangue”.
As proibições em Gn 9.3, 4 e Levítico 17.10-12 foram primeiramente direcionadas ao ato de comer carne que ainda estivesse pulsando com a sua vida, pois o sangue da vida ainda estaria nela. Mas a transfusão de sangue não é o mesmo ato que comer carne que ainda contenha em si o sangue da vida.

Finalmente, a proibição em Atos não foi dada como uma lei através da qual os cristãos devessem viver, pois o Novo Testamento ensina claramente que não estamos mais sob uma lei ( Rm 6.14; Gl 4.8,31 ). Antes, o conselho de Jerusalém estava admoestando os cristãos gentios a que respeitassem os seus irmãos judeus observando essas práticas, e desse modo não causando escândalo “nem aos judeus, nem aos gregos, nem à igreja de Deus” (I Co 10.32).


Angêlo Dos Santos e Wallace Oliveira Cruz

Já dissera o sábio...

21:31 0 Comments A+ a-


"Uma obra autêntica do Espírito de Deus produz uma transformação radical da natureza da alma individual, que irá manifestar-se em uma conduta e em práticas inteiramente novas, revelando progressivamente a própria imagem de Cristo implantada no crente" Jonathan Edwards

O Leite Materno, o Sangue e as Testemunhas de Jeová

17:00 0 Comments A+ a-


Colleen Ralson

No seu livro intitulado Jehovah's Witnesses and Blood Transfusions [As Testemunhas de Jeová e as Transfusões de Sangue], Jerry Bergman diz que a primeira condenação directa das transfusões de sangue que as TJ fizeram nas suas publicações foi em 22 de Dezembro de 1943, ao falarem das imunizações (p.14). Mais tarde, a Watchtower [Sentinela] de 1.º de Dezembro de 1944 radicalizou a sua posição com proibições contra comer sangue ou aceitar transfusões de sangue (ibid, p.14). Nos anos seguintes as declarações da Sociedade para as Testemunhas tornaram-se cada vez mais fortes e mais específicas, até que em 1961 decidiu-se desassociar TJ que aceitassem uma transfusão de sangue (ibid, p.17).


Veja também: Transfusões de sangue

Esta posição das TJ contra as transfusões de sangue ainda se mantém hoje, e elas preferem morrer em vez de aceitarem uma transfusão de sangue para si mesmas ou para os seus filhos. Já foi trazido à atenção das TJ que comer sangue não é o mesmo que aceitar uma transfusão de sangue pois estão envolvidos dois sistemas distintos do corpo, o sistema cardiovascular e o sistema digestivo. Mas de nada adiantou, as TJ continuam a dizer convictamente que aceitar uma transfusão é o mesmo que "comer" sangue.

Talvez devesse ser dito às TJ que uma consequência lógica da sua posição é que uma mãe que amamente o seu filho está a violar o mandamento de Jeová pois permite que o seu bebé "coma" sangue. Pouco depois do nascimento de uma criança, aproximadamente no segundo dia depois do parto, uma substância chamada colostrum [utilizamos aqui a designação inglesa, pois não sabemos ao certo o nome que a substância tem em português], um soro branco, é produzido pela mãe e transmitido ao bebé através do leite.

"A secreção do colostrum continua durante cerca de uma semana, com uma conversão gradual para leite maduro", (Williams Obstetrics, 15.ª edição, p.378).

"Anticorpos" e "outros factores de resistência do hospedeiro, bem como imunoglobinas, têm sido descritas no colostrum e no leite humano. Estes incluem componentes de complemento, macrophages, linfócitos, lactoferrin, lactoperoxidase e lysozyme" [mantemos as designações inglesas], (ibid, p.378; ênfase acrescentada).

O Taber's Cyclopedic Medical Dictionary [Dicionário Médico Enciclopédico de Taber] explica que um macrophage é uma célula do sistema reticuloendotelial do corpo, são as células móveis que têm a capacidade de ingerir matéria (bactérias, por exemplo) existente no corpo. Este grupo de células inclui também os monócitos, que se decompõem em leucócitos, que são glóbulos brancos! (pp. R25 e L20). [Nota: as TJ não aceitam glóbulos brancos!]

Taber diz ainda que um linfócito também é um corpúsculo branco do sangue... ["glóbulo branco" é talvez uma tradução mais acertada para "white blood corpuscle"] e que normalmente constitui cerca de 25-30 porcento de todos os glóbulos brancos", (ibid, p. L44; ênfase acrescentada).

Isto coloca as Testemunhas de Jeová perante um dilema:

Será que Jeová criaria o corpo humano de um modo tal que se uma mãe amamentar de forma natural o seu bebé recém nascido, ela está a fazê-lo "comer" sangue [especificamente: glóbulos brancos], que segundo a Sociedade diz, Jeová proíbe?


N. do T.: Raymond Franz, ex-membro do Corpo Governante das Testemunhas de Jeová, comentou este assunto no seu livro In Search of Christian Freedom [Em Busca de Liberdade Cristã], p.289. Ele escreveu:

A ausência de quaisquer bases morais ou lógicas para essa proibição é também vista no facto de o leite humano conter leucócitos, de facto, contém mais leucócitos do que se podem encontrar numa quantidade equivalente de sangue. O sangue contém cerca de 4.000 a 11.000 leucócitos por milímetro cúbico, enquanto o leite de uma mãe pode conter, durante os primeiros meses de aleitação, até 50.000 leucócitos por milímetro cúbico. Isto representa entre cinco e doze vezes mais do que a quantidade presente no sangue!9


9 The New Encyclopædia Britannica (A Nova Enciclopédia Britânica), Macropœdia, Vol. 15 (1987), página 135; J. H. Green, An Introduction to Human Physiology (Uma Introdução à Fisiologia Humana), 4.ª ed. (Oxford: Oxford University Press, 1976, página 16). Acerca da quantidade de leucócitos no leite humano, veja Armond S. Goldman, Anthony J. Ham Pong, e Randall M. Goldblum, "Host Defenses: Development and Maternal Contributions," Year Book of Pediatrics ("Defesas do Hospedeiro: Contribuições do Desenvolvimento e Maternais," Anuário de Pediatria; Chicago: Year Book Medical Publishers, Inc., 1985), página 87.

Wallace Oliveira Cruz 

Igreja Corpo de Cristo...

13:44 0 Comments A+ a-



"E comeram todos, e saciaram-se; e levantaram, do que lhes sobejou, doze alcofas de pedaços." Lucas 9:17

Introdução;
Qualquer povo que tem o Deus todo poderoso como Senhor, nota-se algo estupendo, maravilhoso!
"A vida é dada, e regida debaixo de milagres e maravilhas"
O texto nos mostra um povo que Jesus reúne, "segundo sua presciência" para registrar profeticamente como se dará o sustento do seus, após a Sua ascensão.

Desenvolvimento;
O milagre da vida eclesiástica está fundamentada nos;
5- Pães= Jesus
Ministério do Senhor Jesus pelo Seu Espírito
E...
2-Peixes= Homem
Igreja, Corpo, tirado do mundo...
Não há outra forma, é sine qua non...
O chamado, é da economia do Senhor, não compete ao Cronos definir esta data, somente a "Kairosfera eternal"
Sobejou (12) cestos cheios de pedaços...

Engana-se quem diz que a era apostólica cessou no reconhecimento do câno neotestamentário.
Com a igreja primitiva iniciou-se a noite profética, corroborando com o plano salvífico, e a igreja da última hora, a finda com os mesmos ensinos abordados pelo Mestre.

Conclusão;

A igreja é imutável, não cabe emendas, nossa segurança consiste em atentarmos para esta tão grande e solida Salvação.

Grupo Teologia Em Foco

O novo currículo escolar e o banimento da História do Cristianismo

00:20 0 Comments A+ a-



No início deste ano circulou pela Internet a notícia de que o Governo Federal estaria arquitetando um plano para banir do currículo escolar do país a história do Cristianismo. O alerta teria partido do professor e historiador Marco Antônio Villa, em sua coluna no jornal ´O Globo´. 
Mas, ao ler o artigo “A revolução cultural do PT” percebi que Villa chamava a atenção para uma certa “Base Nacional Comum Curricular” (BNC), um plano do Ministério da Educação que pretende reformular a matriz educacional do país. De acordo com o historiador o documento está recheado de equívocos e de desconhecimento da História. Isso porque, só para ficar em alguns exemplos do ensino médio, o novo currículo não contempla o ensino da História Antiga englobando-se aí estudo da Mesopotâmia, Egito, cultura grega, Império Romano e, é claro, o nascimento do Cristianismo. A História Medieval também foi desprezada, desconsiderando-se a expansão do Cristianismo e seus reflexos na cultura ocidental; as transformações econômico-políticas, especialmente a partir do século XI. 
A afirmação de que governo estaria idealizando um plano para banir a história do Cristianismo do currículo escolar nacional, portanto, não representa completamente a realidade dos fatos. Para sermos exatos, tal banimento ocorre como a consequência lógica da desconstrução de grande parte da História mundial, principalmente do Ocidente, mediante a retirada de certos períodos da humanidade do ensino escolar básico. A História do pensamento cristão é afetada certamente, assim como os relatos do mundo greco-romano e as grandes revoluções mundiais.
Seja como for, a notícia evoca certa preocupação e nos conclama a refletir sobre as implicações práticas desse novo programa curricular. Afinal, longe de representar uma mera direção pedagógica do Ministério da Educação, a escolha do conteúdo fundamental para a formação básica dos estudantes se fundamenta em certas inspirações ideológicas, que influenciam a forma de pensar e a visão de mundo das pessoas. O currículo, segundo afirma o material de divulgação do governo, “precisa preparar os alunos para a vida”[1]. 
Considerando que o ser humano é influenciado em grande medida por aquilo que aprende, somos impelidos a perceber que há muita coisa em jogo nesta proposta do governo federal, com impacto significativo a longo prazo. 
Desenvolvida por determinação do Plano Nacional de Educação (PNE) a proposta da BNC – ainda em fase de consulta pública até 15 de março – prevê quatro áreas de conhecimento: Matemática, Linguagens, Ciências da Natureza e Humanas; sendo esta última a que mais inspira críticas e preocupação, onde está alocada a História.
A compreensão da História é importante porque, como escreveu Michael D. Palmer, “toda importante teoria de fundo do universo também afirma ou implica algo sobre a história em sua ideologia”[2]. Enquanto os cristãos, por exemplo, olham para o passado da humanidade e o desenvolvimento histórico à luz do propósito divino, os naturalistas afirmam uma visão cegamente mecânica, como produto dos seres humanos interagindo entre si e com as forças naturais impessoais [3]. 
Desse modo, a própria metodologia empregada para o ensino dessa disciplina direciona o modo como os alunos podem compreender boa parte da dimensão da vida e da construção dos valores. Por isso, quando usada de forma negativa, a História pode servir como ferramenta de doutrinação ideológica, dominação e ocultação da verdade. Regimes totalitaristas são pródigos em tentar desconstruir o passado e recontá-lo de acordo com sua conveniência. O livro “1984” do escritor George Orwell demonstra isso de modo brilhante. Nesta obra de ficção, a autoridade máxima (o Partido) fazia de tudo para alterar a realidade do passado, apagando e reescrevendo, inclusive, o conteúdo dos livros históricos.
De volta ao currículo, percebe-se que a proposta apresenta uma metodologia pedagógica multiculturalista, que pretende levar o aluno a conhecer a história a partir da realidade sociocultural brasileira. O novo currículo abandona a estrutura clássica da história baseada no esquema temporal (Antiguidade, Idade Média, Idade Moderna, Idade Contemporânea), colocando em seu lugar um método baseado nos diferentes “mundos”: Mundos brasileiros; Mundos ameríndios, africanos e afro-brasileiros; Mundos americanos e; Mundos europeus e asiáticos. 
Além de retirar a perspectiva cronológica do desenvolvimento da humanidade, criando uma História sem tempo [4], a nova metodologia materializa a aversão ao chamado eurocentrismo (a Europa como o centro), e tudo o que isso representa, especialmente as grandes navegações e as conquistas da Europa cristã. E assim, contra essa visão “imperialista e conquistadora”, como costumam rotular, apresenta-se um ensino baseado nos diferentes “mundos” e diferentes culturas. 
Embora a crítica ao eurocentrismo não seja de todo equivocada, a desconstrução do modelo clássico, na forma proposta, é perigosa, pois desconsidera as importantes contribuições do Cristianismo no percurso das civilizações. Demétrio Magnóli observou que: “Sem a Idade Média europeia, [os alunos] jamais entenderão a importância das religiões monoteístas na formação de sociedades que, pela primeira vez, englobaram grupos geográfica e culturalmente diversos por meio de valores éticos universalistas” [5]. A fragmentação da história tenta apagar a marcante linha da influência da cristandade sobre o ocidente, suas tradições e cultura, apresentando em seu lugar um panorama segmentando do mundo, que não apenas reconhece, mas incentiva o multiculturalismo.
Diante das evidências inegáveis do passado, desconsiderar a contribuição do Cristianismo na história mundial é um ato insano, que somente pode ser compreendido como uma tentativa de manipulação pela mentalidade pós-cristã e secularizada do nosso tempo. Isso porque, como demonstra o historiador Chistopher Dawson [6], a religião é a alma da cultura e o Cristianismo, especialmente, se tornou uma força moral e social no mundo ocidental, a partir do pressuposto que Deus se importa com o homem e com a história do mundo. Segundo Dawson, ou reapropriamos uma cultura cristã vital ou avançamos em direção a expressões mais perigosas e alienadas de consumismo e totalitarismo. 
Desse modo, ainda que não seja o objetivo direto do novo currículo escolar banir o ensino da história do Cristianismo, o modelo pedagógico proposto parece partir de uma perspectiva ideológica que rejeita suas contribuições históricas. Diante disso e da importância do currículo básico para a formação dos estudantes, é indispensável que os cristãos em geral, principalmente os especialistas na área, analisem com cuidado e discernimento (1 Co 2.15) o teor do documento, a fim de antever as suas implicações para a sociedade em geral; não somente a respeito deste tema, mas de muito outros que constam na proposta. 
Artigo publicado originalmente no Mensageiro da Paz - Março de 2016.
Referências
[1] Disponível em: http://movimentopelabase.org.br/. Acesso em 29.01.16.

[2] PALMER, Michael. Panorama do Pensamento Cristão. Rio de Janeiro: CPAD, 2001, p. 32.

[3] Idem.

[4] Expressão usada por Demétrio Magnoli e Elaine Senise Barbosa. Disponível em: 
http://oglobo.globo.com/opiniao/historia-sem-tempo-17719022. Acesso em 29.01.16.

[5] Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/ilustrissima/2015/11/1703011-proposta-do-mec-para-ensino-de-historia-mata-a-temporalidade.shtml. 
Acesso em 29.01.16.

[6] DAWSON, Christopher. Progresso e religião. São Paulo: É Realizações, 2012.

Perfil
Valmir Nascimento é ministro do evangelho, jurista, teólogo e mestrando em teologia. Possui pós-graduação em Direito e antropologia da religião. Professor universitário de Direito religioso, Ética e Teologia. Editor da Revista acadêmica Enfoque Teológico (FEICS). Membro e Diretor de Assuntos Acadêmicos da Associação Nacional de Juristas Evangélicos (Anajure). Analista Jurídico da Justiça Eleitoral. Escritor e palestrante. Comentarista de Lições Bíblicas de Jovens da CPAD (Jesus e o seu Tempo). Evangelista da Assembleia de Deus em Cuiabá/MT.

CPADNEWS

Escola não pode impedir inclusão de material satânico na biblioteca, segundo diretoria

00:05 0 Comments A+ a-

Distrito Escolar Delta, no Colorado informou que suas políticas de administração só os levam proibir materiais que promovam a hostilidade, violência, fins comerciais por publicidade de um produto, a candidatura em uma eleição ou que sejam obscenos / por




O Distrito Escolar do Condado de Delta, no Estado do Colorado (EUA) afirmou que, conforme as políticas de administração, os grupos ateus estão permitidos a prosseguir com o seu plano de distribuir literaturas com material, não apenas secular, mas também satânico nas bibliotecas escolares.
As organizações "Western Colorado Atheists and Freethinkers" ("Ateístas e Pensadores Livres Ocidentais do Colorado") e a "Freedom From Religion Foundation" ("Fundação Liberdade de Religião") irão incluir suas literaturas em uma tabela das bibliotecas do ensino médio no Distrito Escolar. A medida seria uma resposta à distribuição de exemplares do Novo Testamento pelos Gideões nas escolas, de acordo com a mídia local.
Ao que tudo indica, os grupos ateístas estão até mesmo aceitando o apoio de um grupo religioso nesta campanha. Além de distribuir a literatura satânica - que inevitavelmente carregam os conceitos de uma seita / religião -  as organizações responsáveis por esta iniciativa, também estariam contando com o apoio do templo satânico neste programa de inclusão das literaturas nas escolas.
Um dos novos broches que os grupos têm preparado para os alunos do ensino médio traz frase "Não há problema em não acreditar em Deus!".
"Elfos, unicórnios, deuses, anjos, fadas, fantasmas, Papai Noel e a fada dos dentes. ... Todas essas criaturas mitológicas têm uma função na mente humana", diz um folheto que divulga a campanha. "Deuses foram inventados para explicar fenômenos naturais, como trovões e relâmpagos. ... Eles ensinam as crianças que Jesus Cristo foi pregado em uma cruz por causa de seus pecados e seu coração enganoso. Estes programas são projetados para envergonhar e aterrorizar as crianças em sua apresentação e silêncio, e ensiná-las a não fazer perguntas...".
Muitos pais estão alarmados e indignados com a distribuição de material satânico nas escolas de seus filhos. Mas Kurt Clay, superintendente assistente do Distrito Escolar Delta, afirmou que eles têm de permitir que todos os tipos de informações estejam disponíveis para os estudantes, assim como eles também recebem literaturas de outras organizações, como os escoteiros e outras mais.
Segundo o Distrito, a política por eles adotada não permite a discriminação contra quaisquer grupos ou organizações em relação a materiais não-curriculares. Só são proibidos materiais que promove a hostilidade ou à violência, fins comerciais por publicidade de um produto, que promovam a candidatura em uma eleição e seja obscenos ou pornográficos.
Cerca de quatro meses atrás, exemplares bíblicos dos Gideões Internacionais foram disponibilizados para os alunos em bibliotecas escolares, o que levou os ateus a planejarem a distribuição de material ateísta e satânico.
Agora, o distrito escolar está buscando rever a sua política para permitir que materiais benéficos aos estudantes estejam disponíveis aos estudantes, mas isto não inclui questões religiosas ou crenças.
No início deste mês, o advogado Andrew Seidel, da "Fredom From Religion" escreveu aos funcionários do distrito escolar que "as escolas públicas já tentaram negar a permissão ao grupo ateísta de distribuir as literaturas. ... Isso resultou em um processo que custou às Escolas Públicas do Condado, quase 90 mil dólares e as escolas acabaram permitindo toda a distribuição das literaturas.
Candi Cushman, analista de educação especializada em Família, em Colorado Springs, disse anteriormente ao site 'Christian Post' que se sentia que o "bom senso e os padrões de decência devem ser aplicados a este caso".
"A partir das imagens exibidas na televisão e relatórios recentes sobre esta história, parece que alguns dos materiais podem ser depreciativos com relação a outros pontos de vista religiosos e até mesmo lascivos em suas representações", disse Cushman.

O Cajado

08:17 0 Comments A+ a-



II Samuel 23:21

“Matou também um egípcio, homem de temível aspecto; tinha este uma lança na mão, mas Benaia desceu a ele com um cajado, arrancou-lhe da mão a lança, e com ela o matou”.

INTRODUÇÃO

O texto relata-nos sobre um homem chamado Benaia que foi um dos 37 valentes de Davi. Ele lutou com um “homem egípcio, homem de respeito”, segundo o texto, indicado que esse egípcio era uma pessoa admirada e respeitada pelos seus.

O egípcio possuía uma lança, com a qual investiu sobre Benaia para o destruir, porém, Benaia defendeu-se com um instrumento aparentememte inadequado, e frágil para uma luta, um cajado. A palavra nos diz que Benaia com seu cajado arrancou a lança da mão do egípcio e o matou com sua própria lança.

O egípcio é tipo daquilo que é gerado pelo mundo, daquilo que agrada a carne e tudo o que é gerado pelo mundo é com competência, velocidade e precisão, levando as pessoas a ter grande admiração.

Ele usou as armas do mundo (lança), que são para matar, destruir a vida do homem, separando-o de Deus para sempre (lança=morte).
Benaia é tipo do servo fiel a Deus, que se opõe ao egípcio, e o faz também com competência, velocidade e precisão, pois, quando lutou contra o egípcio, teve agilidade suficiente para tomar a lança de suas mãos, utilizando um instrumento completamente diferente da lança, e que aparentemente não seria capaz de faze-lo, esse instrumento foi o cajado.

Quem olhasse para os dois lutando, humanamente diria que o egípcio venceria Benaia facilmente, pois a lança é uma arma própria para um combate, o cajado não.

Com o cajado Benaia venceu o que foi gerado pelo mundo, venceu a carne (“a carne não herdará o reino de Deus” – I Cor. 15:50). O que o mundo gera é para a morte e para vence-la só a direção que se obtém através do cajado.

O cajado é a arma do servo desta obra, pois representa o Senhor Jesus e com ele (cajado) derrotamos o egípcio. Com o cajado vencemos o que é gerado pelo mundo. O que o mundo gera é para a morte, mas com cajado em nossas mãos temos a direção para a vida eterna.

CONCLUSÃO

Egípcio – o que é gerado pelo mundo
Lança – arma da carne que leva à morte
Benaia – servo desta obra
Cajado – arma do servo que nos leva a vida eterna, pois simboliza o governo, a direção, o apascentar, o cuidado do Senhor para com nossas vidas.

Wallace Oliveira Cruz

Candeia

23:12 0 Comments A+ a-

"E ninguém, acendendo uma candeia, a cobre com algum vaso, ou a põe debaixo da cama; mas põe-na no velador, para que os que entram vejam a luz." Lucas 8:16

Introdução;
A candeia  é para a igreja profeticamente um objeto muito familiar, pois O Mestre à usa muito em suas parábolas.
Neste texto observaremos dois perigos que podem ocultar a revelação de Jesus em nossas vidas;

Desenvolvimento;

"E ninguém, acendendo uma candeia, a cobre com algum vaso"
Um vaso cobrindo a candeia, é o barro sobressaindo à luz.
O Pai não enviou a luz(Jesus) para que o homem se destacasse, mas para que o sEu nome fosse exaltado neLe.
E o outro perigo é;

"Ou a põe debaixo da cama"
A luz debaixo da cama, é o comodismo deste mundo físico, a tônica das nossas vidas é a abstinência da estabilidade.
A luz que reflete debaixo da cama ilumina apenas o chão, isto é, os nossos olhos voltados para a terra, focado nas coisas desta vida.
Resumindo:
Tanto o "Eu" quanto o "Mundo" são as armas que o adversário intenta contra a igreja.
ele veio para;

"MATAR" a vida que o Pai deu; apresentando a vida mundana...


"ROUBAR" a salvação em Cristo; apontando outros salvadores...

"DESTRUIR" a obra do Espírito edificada em nós, oferecendo conceitos religiosos...

Conclusão;

Para que a candeia possa ser útil, Deus Pai à constituiu com três elementos:

Barro= _Homem_
Veio do pó, frágil...

Pavio= _Jesus_
Linho torcido(sacrifício), responsável por suportar o fogo sobre si iluminando todo homem.
A posição do Pavio é vertical, porque o ato de Cristo foi ligar o homem caído ao Deus Altíssimo...

Óleo= _Espírito Santo_
O Agente que liga o Pavio ao interior do barro, isto é, batismo com fogo...

A necessidade de manter a candeia cheia, depende do valor que damos a mesma, não à encobrindo com o que é nosso, e nem com o que está neste mundo.

Sobrevivente de queda de avião fala sobre o poder da oração: "Meu clamor foi atendido"

20:40 0 Comments A+ a-

A angustiante experiência testou a fé de Helen Hayes que, na época, tinha 17 anos; hoje, ela afirma que esteve naquele voo por um propósito: interceder pelas vítimas


No dia 19 de julho de 1989, a jovem Helen Young Hayes embarcou no voo 232 da United Airlines em Denver, no Colorado, com destino a Chicago, em Illinois (EUA). No entanto, o voo nunca conseguiu chegar a seu destino. Após o motor do avião sofrer uma falha catastrófica, a aeronave caiu em Sioux City, no estado de Iowa.

Em meio a tragédia, Hayes sobreviveu, e está compartilhando seu milagre publicamente. "Me lembro de cada minuto, como se fosse na semana passada", disse ela ao site CBN News.

A angustiante experiência testou sua fé enquanto realizava seu trajeto. "Assim que eu soube que havia algo errado, o capitão informou: ‘Senhoras e senhores, não iremos mais pousar em Chicago. Sofremos danos na cauda do nosso avião. Tentaremos um pouso de emergência em Sioux City, em Iowa, dentro de 35 minutos e vou ser realista — vai ser difícil", lembra.

"O avião estava carenando. Olhei para cima me vi cercada de chamas. Naquele momento, pela primeira vez, eu fiquei com medo", continuou. "Eu pensei: 'Meu Deus, não me deixe ser queimada'. As chamas passaram e, de repente, estávamos dando cambalhotas, até tudo parar. Tudo o que eu ouvia era o som do crepitar das chamas".

Hayes foi uma das 185 pessoas que sobreviveram ao acidente. Acima de tudo, ela sabe que estava naquele voo por uma razão. "Eu estava no avião porque, mesmo sem saber, as mãos do piloto precisavam de orientação e uma oração foi colocada em mim. Eu apenas orei", disse ela.

A sobrevivente relatou à CBN News como sua oração foi conduzida. "A primeira coisa que me veio em mente foram as mãos dos pilotos. Eu fechei meus olhos e apenas orei pelos pilotos, pedindo ao Senhor para dar a eles sabedoria e mostrar o que fazer. Eu acredito que a minha oração foi atendida naquele dia."

"Pela primeira vez na história da aviação, um avião que não era dirigível — não tinha elevadores, nem pausas e trem de pouso — e estava completamente instável foi trazido para a pista. Enquanto esperavam que ninguém iria sobreviver, 185 pessoas sobreviveram”, conta. “Eu sei que é por isso que eu estava no avião".

Em vez de acumular traumas pelo que aconteceu, Hayes acumulou milhas: desde o acidente, já são mais de um milhão de milhas aéreas. "Eu olhei a morte nos olhos e me sentei na borda da eternidade. Eu acredito que não temos que temer a morte, porque eu sei que esta vida só vai inaugurar a próxima vida... A vida real”.

Fonte: Guia-me / com informações CBN News |

O Avisado vê

18:16 0 Comments A+ a-

Grupo: Obreiros & Obreiros


"O avisado vê o mal e esconde-se; mas os simples passam e sofrem a pena." Provérbios 27:12

Introdução;
A palavra de Deus é revelada somente aos servos que tem se voltado a conhecer a verdade da letra.
Para medicar um paciente é necessário que haja um conhecimento nítido da enfermidade.
Desconhecendo as heresias, não temos condições de pregar o evangelho de Cristo.

Desenvolvimento;
Há movimentos que por comodismo trazem a tona o pensamento calvinista;
"Salvo uma vez, sempre salvo" impossível a heresia derrubar um salvo!
E Paulo despedindo dos irmãos, diz:
"E que de entre vós mesmos se levantarão homens que falarão coisas perversas, para atraírem os discípulos após si." Atos 20:30
Se este conto de fada "calvinista" fosse verdade, não teria valor o câno neotestamentário.

"O avisado vê o mal e esconde-se"

O avisado é quem tem dado ouvido ao Espírito Santo...

Vê o mal, é distinguir o Santo do profano...

Esconder é abrigar-se em algo superior a nós...

A igreja que tem dado ouvido ao Espírito da Verdade, tem discernido o evangelho de Cristo, e se escondido na revelação da sua palavra...

"Mas os simples passam e sofrem a pena."

Neste contexto a simplicidade aqui, pressupõe a superficialidade do conhecimento.
"O analfabetismo "bíblico" é a causa das denominações"
O crente denominacional crê em um deus limitado, que só age da maneira que ele "caoticamente" pensa.

Que mal é este que o simples tem sofrido?

Desconhecer os mistérios do Senhor nos causa danos, pois nos tornamos vulneráveis, todo vento de doutrina é capaz de nos destruir.

Conclusão;
O que entra não contamina, mas o que sai...
A igreja é um corpo que recebe contaminados pelo pecado, e neles somos edificados.
Mas quando um suposto servo sai do corpo e continua no meio da congregação, este sim contamina!

Significado da palavra Selá

07:53 0 Comments A+ a-


A PALAVRA “SELÁ” NA BÍBLIA

• SALMOS 3:2,4,8

2 Muitos dizem da minha alma: Não há salvação para ele em Deus. Selá.
4 Com a minha voz clamei ao SENHOR, e ouviu-me desde o seu santo monte. Selá.
8 A salvação vem do SENHOR; sobre o teu povo seja a tua bênção. Selá.

INTRODUÇÃO

Quando fazemos a leitura do versículo, devemos ler também a palavra “Selá” ? Certa feita, um irmão, ao fazer a leitura em voz alta na igreja, leu inclusive a palavra em questão! Retomo a pergunta: tal palavra deve ser lida também, ou não? Qual é o seu significado?

II) SIGNIFICADO DA PALAVRA “SELÁ” (ou Selah)
1) O Dicionário Bíblico Ilustrado para a Família, define assim tal palavra: “Termo que aparece 71 vezes nos Salmos e três vezes em Habacuque. Deve ser uma pausa musical ou uma instrução litúrgica, mas não se conhece o seu significado. (As versões mais recentes costumam suprimir a expressão.)”

2) O Dicionário da Bíblia de John D. Davis, por seu turno, define a palavra em apreço: “SELÁ, Elevação. Palavra que se encontra setenta e uma vezes nos salmos e também em Hc 3.9,13. Stainer oferece seis opiniões distintas quanto ao sentido:
(1) pausa;
(2) repetição semelhante a “da capo”;
(3) final de uma estrofe;
(4) toque com força (fortíssimo);
(5) curvatura do corpo em sinal de obediência; e
(6) repetição da sinfonia (“ritornello”).

Provavelmente significa uma pausa da orquestra ou mudança de piano para forte. 3) Por fim, outros estudiosos no assunto, definem “SELÁ”, como sendo:
• UMA PAUSA para que o nosso pensamento seja elevado a Deus.
• Um SUSPIRO pausado de ALEGRIA, quando alguém que amamos chega inesperadamente a nossa frente ou a nossa casa.
• Seria uma espécie de INTERJEIÇÃO DE ALEGRIA ou SATISFAÇÃO, ou ainda,
• o EXPRESSAR HARMONIOSO de todas as FIBRAS de um CORAÇÃO que ansiasse pelo auxílio de Deus e de repente SENTISSE a DOCE SERENIDADE da presença divina, como se conclui do SALMO 67:1:
“DEUS tenha misericórdia de nós e nos abençoe; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós ( Selá. )”

Em assim sendo, não seria o caso de se ler tal palavra, sobretudo em voz alta. O leitor, deveria sim, fazer uma PAUSA na leitura do texto bíblico, para expressar o sentimento de alegria, de satisfação, motivada pela doce presença divina.


Portanto, penso ser este o significado de palavra em apreço, ou seja, ELEVAÇÃO, PAUSA, etc.

Wallace Oliveira Cruz

Beber Vinho é Pecado?

13:33 0 Comments A+ a-


Amados, grande é a nossa tristeza ao depararmos com uma discussão no fórum da rede social cristo é a Verdade, sobre a mensagem intitulada: O CRISTÃO PODE BEBER VINHO? Postada em 18 Outubro passado.
E o que nos deixou perplexo foi o “jeitinho brasileiro” postado por alguns irmãos, adequando o uso do vinho como algo saudável para os servos de Deus.
Mas o que diz a Palavra do Senhor sobre o vinho, o crente poderá tomar vinho ou apenas o abriagar-se é pecado? Vamos para a Palavra:
A carta aos Romanos 14.17, exorta: O Reino de Deus não é comida nem bebida,mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo.E os versículos 20 e 21 adverti: Não destruas a obra de Deus por causa da comida. É verdade que tudo é limpo, mas mal vai para o homem que come com escândalo.
O Reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo. E os versículos 20 e 21 adverti: Não destruas a obra de Deus por causa da comida. É verdade que tudo é limpo, mas mal vai para o homem que come com escândalo.
Bom é não comer carne, nem beber vinho, nem fazer outras coisas em que teu irmão tropece, ou se escandalize, ou se enfraqueça.
Em I Coríntios 6.12, diz: Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma.
DANIEL SE ABSTEM DO VINHO E DO MANJAR DO REI
No livro de Daniel 1.1-9, narra que o rei da Babilônia, Nabucodonosor, determinou a ração de cada dia, da porção do manjar do rei e do vinho que ele bebia, e que assim fossem criados por três anos, para que no fim deles pudessem estar diante do rei. E entre eles se achavam, dos filhos de Judá, Daniel, Hananias, Misael e Azarias.
E Daniel assentou no seu coração não se contaminar com a porção do manjar do rei, nem com o vinho que ele bebia; portanto, pediu ao chefe dos eunucos que lhe concedesse não se contaminar. Ora, deu Deus a Daniel graça e misericórdia diante do chefe dos eunucos.
Amados, eis o exemplo e o testemunho do homem compromissado com Deus. Quem não gostaria de participar do banquete que ao rei é servido e tomar da porção do vinho degustado pela majestade?
Daniel e os seus companheiros, ungidos com a sabedoria que Deus lhes havia ofertado, recusaram a receber da mordomia dispensada ao rei, optaram em se alimentar com legumes em lugar do banquete e a tomar água em lugar do vinho, para não se contaminarem, e foram por Deus, agraciados:
Daniel 1.17: Ora, a esses quatro jovens, Deus deu o conhecimento e a inteligência em todas as letras e sabedoria; mas a Daniel deu entendimento em toda visão e sonhos.
A preocupação de Daniel, não era contaminar a carne, mas o espírito e as virtudes que de Deus havia recebido, coisas que muitos crentes não têm olhos espirituais para ver, e quando tem essa percepção, acabam por desprezar a Palavra, e buscar o prazer na comida e na bebida e nas coisas deste mundo, abandonando a santificação e a purificação da alma para a vinda do Senhor Jesus. Porém, o Reino de Deus não é comida e nem bebida, mas justiça, paz e alegria do Espírito Santo.
O NASCIMENTO DE JOÃO BATISTA
A Palavra em Lucas 1.13-15, conta que apareceu um anjo a Zacarias, pai de João Batista e disse-lhe: Zacarias, não temas, porque a tua oração foi ouvida, e Isabel, tua mulher, dará à luz um filho, e lhe porás o nome de João.
E terás prazer e alegria, e muitos se alegrarão no seu nascimento, porque será grande diante do Senhor, e não beberá vinho, nem bebida forte, e será cheio do Espírito Santo, desde o ventre de sua mãe.
O VINHO DAS BODAS DE CANÁ
Mas muitos dirão: Jesus não só transformou água em vinho, como Ele próprio tomava vinho. Correto, então vamos meditar na Palavra.
João 2.1-10, descreve a Palavra que Jesus e os seus discípulos, participavam de umas bodas, na cidade de Caná, e acabado o vinho, Disse-lhes Jesus: Enchei de água essas talhas. E encheram-nas até em cima. E disse-lhes: Tirai agora e levai ao mestre-sala. E levaram.
E, logo que o mestre-sala provou a água feita vinho (não sabendo de onde viera, se bem que o sabiam os empregados que tinham tirado a água), chamou o mestre-sala ao esposo.
E disse-lhe: Todo homem põe primeiro o vinho bom e, quando já têm bebido bem, então, o inferior; mas tu guardaste até agora o bom vinho.
Amados, meditem, qual a matéria prima usada na transformação do vinho? Certamente AGUA. E aquele bom vinho produzido pela glória do Senhor é igual a esses que se comercializam por aí, com alto teor alcoólico?
Certamente não, Jesus não iria oferecer um vinho que viesse a embriagar (contaminar como disse Daniel), porque todos os atos do senhor eram obras do Espírito Santo, milagres e maravilhas que ao homem comum é impossível realizar.
JESUS, A FONTE DA ÁGUA DA VIDA ETERNA
A água que Jesus referia-se, não é a água natural de símbolo químico H²O, mas a água que tem a consistência de Espírito e Vida, pois em João 7.37-39, disse Jesus: Se alguém tem sede, venha a mim, e beba.
E quem crê em mim, como diz a escritura, rios e de água viva correrão do seu ventre. Isso disse Ele, do Espírito que haviam de receber os que nele cressem, porque o Espírito Santo ainda não havia sido manifestado, por ainda Jesus não ter sido glorificado.
O CÁLICE DA CEIA, O SANGUE DO NOVO TESTAMENTO
O próprio Jesus revelou que tomava vinho (Lucas 7.34), entretanto, precisamos observar que a Palavra fala do vinho e da bebida forte. E os vinhos produzidos hoje, todos são bebidas fortes, pois embriagam.
Considere que na primeira ceia (Mateus 26.27, 28), enquanto comiam, Jesus tomou o pão, e, abençoando-o, o partiu, e o deu aos discípulos, e disse: Tomai, comei, isto é o meu corpo.
Semelhantemente, tomando o cálice e dando graças, deu-lho, dizendo: Bebei dele todos. Porque isto é o meu sangue, o sangue do Novo Testamento, que é derramado por muitos, para remissão dos pecados.
E no versículo 29 deste mesmo capítulo de Mateus, Jesus refere-se ao cálice como fruto da vide (Marcos 14.25 e Lucas 22.18).
Então perguntamos: O vinho que Jesus tomava seria porventura o mesmo vinho alcoólico que é servido hoje nas ceias? Ou o vinho dos botecos que muitos crentes apreciam e julgam correto degustá-lo?
Jesus disse aos seus discípulos: Isto é o meu sangue, o sangue do Novo Testamento.
Irmãos, porventura o sangue aspergido na cruz, que Jesus escreveu o Novo Testamento, poderia conter algum teor alcoólico?
Podemos afirmar com toda certeza que o vinho usado por Jesus nessa ocasião não era fermentado. Esta afirmação é irrefutável na Bíblia pelo seguinte:
Desde a primeira cerimônia da páscoa não devia haver fermento em nenhum compartimento da casa (Êxodo 12.15), porque este é o símbolo do pecado. E, se os pães asmos não podiam conter fermento como o próprio nome indica, é fácil concluir que o vinho também não podia ser fermentado.
Tanto o vinho da ceia como o das bodas em Caná da Galiléia não eram fermentados, porque Jesus jamais aceitaria partilhar daquilo que é tão fortemente condenado na Bíblia.
Muitas igrejas cristãs tradicionais, conservam o costume de usar o vinho sem fermento para simbolizar o sangue de Cristo, oferecido por nós na cruz, para remissão de nossos pecados.
Por esta razão concluímos que o vinho usado pelo Senhor trata-se do MOSTO, que significa:-
O MOSTO (do latim mŭstum, “novo”, “jovem”) é o sumo de uvas frescas obtido antes que passem pelo processo de fermentação.
Vinho novo e sem alcool, ou seja, antes da fermentação o qual é usado para atingir o grau alcoólico desejado. Mosto pode ser também o suco de qualquer fruto.
E para tanto, o Apóstolo Paulo recomendou a Timóteo: Não bebas mais água só, mas usa de um pouco de vinho, por causa do teu estômago e das tuas freqüentes enfermidades (Timóteo 5.23).
Amados, qual a propriedade medicinal do vinho para as doenças estomacais e outras enfermidades?
Todos sabem que o vinho e toda bebida alcóolica neutraliza o efeito dos medicamentos, e principalmente para o problema estomacal, o vinho é altamente agressivo a essa enfermidade.
Outra prova incontestável que o vinho recomendado a Timóteo não era vinho comum com teor alcoólico, é o descrito na primeira carta a Timóteo (3.3), ocasião em que Paulo lhe ordenou estabelecer presíteros nas igrejas, mas um dos quisitos para o presbíbtério, era não ser dados ao vinho.
Entretanto, não há contradição alguma na Palavra, basta recebermos o Evangelho de Cristo com discernimento pelo Espírito Santo de Deus, vamos meditar:
Pedro 1.20, 21: Sabendo primeiramente isto, que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação; porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo.
Mas se o irmão entende que não há problema ingerir uma pequena quantidade de vinho, sem embriagar-se, faça uma avaliação, tome um pequeno cálice de vinho, saia dirigindo o seu carro e faça um teste no bafômetro da polícia, só para ver o resultado final.
Meu irmão, se o uso da bebida é reprovável pela lei do homem, imagine então o conceito do Senhor Deus sobre isso? Vinho é bebida alcóolica tanto quanto as demais, mas alguns “irmãos” tentam justificar-se dizendo que tomar um copinho de vinho, eventualmente uma cervejinha, não tem problema. Talvez um cigarrinho, ou um adulteriozinho, e outros pecadinhos.
O que precisamos nos conscientizar que para Deus não há pecadinho e nem pecadão. Não é a quantidade, e sim o caráter pecaminoso dos atos praticados. Pecado é abominação ao Senhor e encerrou. O que passar da verdade que Cristo nos ensinou é de procedência maligna.
Portanto, o vinho recomendado por Paulo a Timóteo, com toda certeza não era o comercializado nas gôndolas dos mercados, mas o vinho semelhante ao transformado por Jesus nas bodas de Caná, maravilha que veio para honrar e glorificar o Nome do Pai, a qual deu início inúmeros milagres pelas poderosas mãos do Senhor Jesus, porque Deus era com Ele. Amém!
Gálatas 5.15: Vós, irmãos, fostes chamados à liberdade. Não useis, então, da liberdade para dar ocasião à carne, mas servi-vos uns aos outros no amor de Cristo.