O sangue que fala

06:31 0 Comments A+ a-




Isaías 53:7 "Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca".

INTRODUÇÃO

A cruz do calvário é o ápice do projeto de Salvação formulado por Deus. O Cordeiro de Deus substituiria as ovelhas perdidas mencionadas no versículo anterior. 

Sobre os ombros do Salvador estava o peso do pecado de toda humanidade, incluindo-se a desobediência de Adão, o homicídio praticado por Caim e todas as demais atrocidadades culposas e dolosas praticadas pelo ser humano.

Todas as acusações e todos os castigos que trariam a culpa e a condenação - que se opõem à paz e à absolvição -  estavam sobre Ele. 

DESENVOLVIMENTO

Como advogado fiel que é, muitos esperavam que Ele abrisse a boca. Um dos ladrões ao seu lado o instou: "Desce e livra-te a ti e a nós!". O Cordeiro, contudo, não abriu a sua boca para se defender. Quando proferiu algumas palavras, o fez para nos inocentar. O bom Pastor preferiu morrer como ovelha.

Jesus não precisou abrir sua boca naquele momento, pois ali estava sendo produzida a prova da inocência dos filhos de Deus. O sangue falava por si só! 

CONCLUSÃO

A voz altissonante do sangue de Cristo continua a ecoar. Fala mais alto que qualquer acusação do inimigo. Eis a "voz de muitas águas", descrita no Apocalipse. O Sangue de              Jesus produziu não o som de um argumento racional, mas a prova que fundamenta peremptoriamente a nossa fé.

Às vezes, oramos e não percebemos o imediato agir de Deus. O silêncio aparente não significa, contudo, que Ele está inerte. Jesus esteve em silêncio na cruz, mas o Sangue dele era a maior resposta ao pecador. Nada fala mais alto que este Sangue poderoso!

Iuri Daniel
Mogi das Cruzes/SP

AVISO: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e e-mail válido).