PROCLAMANDO A VOLTA DO SENHOR JESUS!




"E o Espírito e a esposa dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede, venha; e quem quiser, tome de graça da água da vida” -Apocalipse 22:17



sábado, 20 de agosto de 2016

A Eira de Araúna



II Samuel 24: 24

INTRODUÇÃO

Certo dia o rei Davi ordenou a Joabe, o comandante do seu exército, para que este contasse o povo de Israel. Ele queria saber se poderia se sentir seguro e tranqüilo com o número de soldados à disposição de seu exército, e desta forma Davi demonstrou falta de confiança na providência e no poder de Deus para livrar Israel de seus inimigos.

Depois da contagem do povo o coração de Davi doeu, e ele confessou o seu pecado, pedindo que o Senhor traspassasse sua iniquidade.

DESENVOLVIMENTO

Pela manhã veio a palavra do Senhor ao profeta Gate, o qual foi enviado pelo Senhor a Davi, com três opções de juízos sobre o povo de Israel e sobre sua vida:

1.    Sete anos de fome sobre a terra;
2.    Três meses de perseguições dos inimigos;
3.    Três dias de peste sobre todo o povo.

Diante destas opções Davi disse: “Estou em grande angústia: porém caiamos nós nas mãos do Senhor, porque muitas são as suas misericórdias; mas nas mãos dos homens não caia eu”.

A partir daquele dia veio a praga sobre o povo de Israel e Judá e caíram 70 mil homens, desde Dã até Berseba. Com a morte deste número tão elevado de homens, o exército de Davi se enfraqueceu, e ele entendeu com mais clareza, que deveria ter confiado no Senhor desde o princípio.

Quando o anjo do Senhor estendia sua mão contra Jerusalém, para a destruir, o Senhor se arrependeu daquele mal, e disse ao anjo: “Basta, agora retira a tua mão”. E o anjo estava junto à eira de Araúna, o jebuseu.

Naquele mesmo dia, o profeta Gate veio a Davi, e disse-lhe: “Sobe, levanta um altar ao Senhor na eira de Araúna, o jebuseu”. Davi subiu, conforme a palavra do Senhor, e olhou Araúna ao rei que vinha e foi ao seu encontro, inclinando-se diante dele com o rosto em terra, e perguntando: “Por que vem o rei meu senhor ao seu servo?”. Davi respondeu dizendo que queria comprar a sua eira, a fim de edificar nela um altar ao Senhor, para que cessasse aquele castigo de sobre o povo.
Então Araúna respondeu ao rei, dizendo: “Tome e ofereça o rei meu senhor o que bem parecer aos seus olhos, eis aí bois para o holocausto, e os trilhos, e o aparelho dos bois para a lenha”. Porém o rei disse a Araúna: “Não, mas por certo preço to comprarei, porque não oferecerei ao Senhor meu Deus holocausto que me não custem nada”. Assim Davi comprou a eira e os bois por cinquenta siclos de prata.

CONCLUSÃO

A experiência de Davi é a mesma vivida por toda a humanidade; O homem é levado naturalmente a confiar nos seus recursos, e tem a tendência de se apegar àquilo que tem à sua disposição. Ao agir assim, ele despreza o Senhor e deixa de confiar no seu amor, na sua providência e na sua proteção.

A partir desta predisposição em viver independente de Deus, toda sorte de pecados são cometidos, trazendo para o homem o juízo em forma de fome e sede espiritual, perseguições por parte do inimigo, além de enfermidades,angústias, falta de paz e morte.

Tudo que o homem tem sofrido hoje em dia, é consequência de sua escolha de viver longe do Senhor. No entanto, o Senhor foi misericordioso para com o homem, pois, numa iniciativa própria, fez cessar o juízo sobre todos nós, enviando seu Filho para oferecer sua própria vida em sacrifício e morrer no lugar de todos os pecadores.

Davi comprou a eira, os bois, os aparelhos e a lenha para o holocausto por cinquenta siclos de prata. Jesus foi vendido por trinta moedas de prata, e se fez o próprio sacrifício; Ele tomou a cruz como lenha, os cravos como aparelhos e o chicote dos soldados como trilhos, e assim edificou um altar e se ofereceu a Deus como holocausto, para que a praga da morte recolhesse a sua mão de sobre a humanidade.

Esse sacrifício se deu em Jerusalém, no mesmo lugar onde Davi ofereceu holocausto ao Senhor, na eira de Araúna, que mais tarde veio a se tornar o Calvário do Senhor Jesus. Muitos não reconhecem o valor do sacrifício de Jesus, e dizem que ele não custou nada. Mas Jesus ofereceu um verdadeiro e definitivo sacrifício ao Pai, tão valioso que Ele se deu por satisfeito e reteve o seu juízo sobre nós, livrando-nos da morte. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e e-mail válido).

SOCIAL MEDIA


Wallace Oliveira Cruz

MARCADORES