A cana trilhada não quebrará

00:00 0 Comments A+ a-



Isaías 42: 1- 4 

Eis o meu Servo a quem sustenho, o meu eleito, em quem tenho toda a alegria. Tenho nele o meu Espírito e ele fará justiça às nações!

Não usará de gritos, nem clamará ou levantará a voz pelas ruas.

Não quebrará o caniço rachado  e não apagará o pavio que esfumaça. Em verdade e fidelidade implementará a justiça.

Não se quebrará diante da fraqueza, nem se deixará abater, até que estabeleça a justiça na terra. Em sua lei até as mais longínquas e diminutas ilhas depositarão sua esperança! [1]

A cana trilhada não quebrará, nem apagará o pavio que fumega; com verdade trará justiça. Isaías 42: 3  [2]


INTRODUÇÃO

Quando o profeta Isaías escreveu estas palavras, ele estava vendo com perfeição o coração do Senhor Jesus, e aquilo que ele viria fazer. Ele resumiu o caráter e o ministério de Jesus quando profetizou: “A cana quebrada não esmagará, nem apagará o pavio que fumega...” 

DESENVOLVIMENTO 


Era comum crescerem canas às margens dos rios de Israel. As crianças gostavam de sentar-se às margens dos rios e tirar o miolo das canas, a fim de fazer flautinhas musicais. A tarefa era delicada; a cana poderia ser facilmente esmagada, estaria inutilizada para produzir música; as crianças quebravam de vez essa cana, e a atiravam no rio, pois, se havia tantas outras canas com que trabalhar, uma a mais, outra a menos, não iria fazer falta!

O profeta Isaías disse que quando o Messias viesse ele não esmagaria “a cana quebrada...” O Senhor Jesus se caracterizaria como a Pessoa que nunca jogaria fora aqueles que fossem esmagados no processo do manuseio. Cada pessoa tem o seu devido valor para o Senhor, e cada uma delas custou um alto preço para ser redimida. Deste modo, ninguém pode ser descartado ou jogado fora, por pior que pareça a sua situação e quanto trabalho dará para ser recuperado.

Nos tempos bíblicos, as casas israelitas eram iluminadas por candeias de óleo. Um pavio feito de fio de linho boiava no óleo, e iluminava a casa. Se o azeite acabasse, o mau cheiro do linho queimado causaria náusea; embaraçada, a dona-de-casa o atiraria fora, pela janela. Ela teria uma caixa cheia de pavios, de modo que jogar fora um deles não faria a mínima diferença.

No entanto, Isaías disse que o Senhor Jesus, quando viesse, não apagaria “o pavio que fumega”. Ele não se livraria daqueles que se viram queimados pela vida, que só produzissem luz trêmula e oscilante.

Os fariseus descartavam-se das pessoas que haviam falhado na vida, mas Jesus restaurava aquelas canas esmagadas, transformando-as em instrumentos musicais que tocavam seu louvor. Jesus tomava os restos fumegantes de uma vida esgotada e transformava-os num pavio mediante o qual Ele próprio seria a Luz do mundo. 

CONCLUSÃO 


A igreja fiel é aquela que tem o mesmo ministério do Senhor Jesus e se identifica com Ele através de suas Obras e do seu modo de viver. Ela nunca despreza aqueles que tropeçaram em algum momento da sua caminhada, mas sempre estende a mão para levantar e fortalecer. A Obra nunca abandona um soldado ferido, mas o socorre e o ajuda, para que se recupere e continue a lutar na batalha pela eternidade.

O profeta Ezequiel confirmou a profecia de Isaías quando escreveu a respeito do Senhor Jesus: “Eu apascentarei as minhas ovelhas, e eu as farei repousar, diz o Senhor Jeová. A perdida buscarei, e a desgarrada tornarei a trazer, e a quebrada ligarei, e a enferma fortalecerei...”


[2] Bíblia traduzida em português – João Ferreira de Almeida [JFA]




AVISO: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e e-mail válido).