PROCLAMANDO A VOLTA DO SENHOR JESUS!




"E o Espírito e a esposa dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede, venha; e quem quiser, tome de graça da água da vida” -Apocalipse 22:17



sexta-feira, 22 de julho de 2016

O Leite Materno, o Sangue e as Testemunhas de Jeová


Colleen Ralson

No seu livro intitulado Jehovah's Witnesses and Blood Transfusions [As Testemunhas de Jeová e as Transfusões de Sangue], Jerry Bergman diz que a primeira condenação directa das transfusões de sangue que as TJ fizeram nas suas publicações foi em 22 de Dezembro de 1943, ao falarem das imunizações (p.14). Mais tarde, a Watchtower [Sentinela] de 1.º de Dezembro de 1944 radicalizou a sua posição com proibições contra comer sangue ou aceitar transfusões de sangue (ibid, p.14). Nos anos seguintes as declarações da Sociedade para as Testemunhas tornaram-se cada vez mais fortes e mais específicas, até que em 1961 decidiu-se desassociar TJ que aceitassem uma transfusão de sangue (ibid, p.17).


Veja também: Transfusões de sangue

Esta posição das TJ contra as transfusões de sangue ainda se mantém hoje, e elas preferem morrer em vez de aceitarem uma transfusão de sangue para si mesmas ou para os seus filhos. Já foi trazido à atenção das TJ que comer sangue não é o mesmo que aceitar uma transfusão de sangue pois estão envolvidos dois sistemas distintos do corpo, o sistema cardiovascular e o sistema digestivo. Mas de nada adiantou, as TJ continuam a dizer convictamente que aceitar uma transfusão é o mesmo que "comer" sangue.

Talvez devesse ser dito às TJ que uma consequência lógica da sua posição é que uma mãe que amamente o seu filho está a violar o mandamento de Jeová pois permite que o seu bebé "coma" sangue. Pouco depois do nascimento de uma criança, aproximadamente no segundo dia depois do parto, uma substância chamada colostrum [utilizamos aqui a designação inglesa, pois não sabemos ao certo o nome que a substância tem em português], um soro branco, é produzido pela mãe e transmitido ao bebé através do leite.

"A secreção do colostrum continua durante cerca de uma semana, com uma conversão gradual para leite maduro", (Williams Obstetrics, 15.ª edição, p.378).

"Anticorpos" e "outros factores de resistência do hospedeiro, bem como imunoglobinas, têm sido descritas no colostrum e no leite humano. Estes incluem componentes de complemento, macrophages, linfócitos, lactoferrin, lactoperoxidase e lysozyme" [mantemos as designações inglesas], (ibid, p.378; ênfase acrescentada).

O Taber's Cyclopedic Medical Dictionary [Dicionário Médico Enciclopédico de Taber] explica que um macrophage é uma célula do sistema reticuloendotelial do corpo, são as células móveis que têm a capacidade de ingerir matéria (bactérias, por exemplo) existente no corpo. Este grupo de células inclui também os monócitos, que se decompõem em leucócitos, que são glóbulos brancos! (pp. R25 e L20). [Nota: as TJ não aceitam glóbulos brancos!]

Taber diz ainda que um linfócito também é um corpúsculo branco do sangue... ["glóbulo branco" é talvez uma tradução mais acertada para "white blood corpuscle"] e que normalmente constitui cerca de 25-30 porcento de todos os glóbulos brancos", (ibid, p. L44; ênfase acrescentada).

Isto coloca as Testemunhas de Jeová perante um dilema:

Será que Jeová criaria o corpo humano de um modo tal que se uma mãe amamentar de forma natural o seu bebé recém nascido, ela está a fazê-lo "comer" sangue [especificamente: glóbulos brancos], que segundo a Sociedade diz, Jeová proíbe?


N. do T.: Raymond Franz, ex-membro do Corpo Governante das Testemunhas de Jeová, comentou este assunto no seu livro In Search of Christian Freedom [Em Busca de Liberdade Cristã], p.289. Ele escreveu:

A ausência de quaisquer bases morais ou lógicas para essa proibição é também vista no facto de o leite humano conter leucócitos, de facto, contém mais leucócitos do que se podem encontrar numa quantidade equivalente de sangue. O sangue contém cerca de 4.000 a 11.000 leucócitos por milímetro cúbico, enquanto o leite de uma mãe pode conter, durante os primeiros meses de aleitação, até 50.000 leucócitos por milímetro cúbico. Isto representa entre cinco e doze vezes mais do que a quantidade presente no sangue!9


9 The New Encyclopædia Britannica (A Nova Enciclopédia Britânica), Macropœdia, Vol. 15 (1987), página 135; J. H. Green, An Introduction to Human Physiology (Uma Introdução à Fisiologia Humana), 4.ª ed. (Oxford: Oxford University Press, 1976, página 16). Acerca da quantidade de leucócitos no leite humano, veja Armond S. Goldman, Anthony J. Ham Pong, e Randall M. Goldblum, "Host Defenses: Development and Maternal Contributions," Year Book of Pediatrics ("Defesas do Hospedeiro: Contribuições do Desenvolvimento e Maternais," Anuário de Pediatria; Chicago: Year Book Medical Publishers, Inc., 1985), página 87.

Wallace Oliveira Cruz 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e e-mail válido).

SOCIAL MEDIA


Wallace Oliveira Cruz

MARCADORES